Por Esmael Morais

Servidores da saúde em greve fazem cerco à  Prefeitura de Curitiba

Publicado em 03/02/2015

greve_saude.jpgCentenas de servidores da saúde de Curitiba fazem um cerco ao Palácio 29 de Março, sede do executivo municipal, para pressionar o prefeito Gustavo Fruet (PDT) a negociar com a categoria que está de braços cruzados desde ontem.

De acordo com o Sismuc (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba), há pouco uma comissão da entidade entrou no prédio, no Centro Cívico, para iniciar as conversas. Não há notícias de que Fruet estará presente no encontro.

Ontem pela manhã, quando se iniciou o movimento paredista, o Sismuc acusou Fruet de “fugir” da sessão solene de abertura dos trabalhos na Câmara Municipal de Vereadores. Em seu lugar, o pedetista enviou a vice Mirian Gonçalves (PT).

Os grevistas reivindicam o pagamento de horas extras em atraso e também reajuste salarial por parte da Prefeitura, além de contratação de mais trabalhadores para o setor e a elevação do piso salarial da categoria.

Atualização à s 19h09:

Os servidores da saúde entraram em acordo com a Prefeitura e, por isso, suspenderam a greve. Segundo o Sismuc, os pagamentos das horas extras vão ocorrer em fevereiro e, reajuste, em março e de forma retroativa.