Por Esmael Morais

Richa anuncia retirada de direitos do funcionalismo do estado, que promete greve geral por tempo indeterminado

Publicado em 04/02/2015

"O governo Richa declarou guerra. Agora é greve geral dos professores e dos servidores públicos estaduais", disse deputado Professor Lemos com exclusividade ao Blog do Esmael.

“O governo Richa declarou guerra. Agora é greve geral dos professores e dos servidores públicos estaduais”, disse deputado Professor Lemos com exclusividade ao Blog do Esmael.

O governador Beto Richa (PSDB) encaminhou nesta quarta (4) mensagem à  Assembleia Legislativa do Paraná propondo a retirada de direitos do funcionalismo público do estado.

O pacote de maldades prevê o fim do auxílio-transporte aos professores e limita a aposentadoria aos servidores ao teto do INSS de R$ 4,7 mil.

A mensagem governamental também extingue o adicional por tempo de serviço do funcionalismo público estadual efetivo (quinquênio), previsto no Plano de Carreira. Essa conquista equivalente a 5% do salário, a cada cinco anos trabalhados, até completar 25 anos de carreira.

O Palácio Iguaçu solicitou que a Assembleia transforme comissão geral (tratoraço) na semana que vem para aprovar, sem muito debate, as medidas contra os servidores públicos.

O regime de urgência representa um golpe na democracia do plenário. Estamos falando em bilhões em reais e em medidas vão impactar na vida de milhares de pessoas!, protestou o líder da oposição, deputado Tadeu Veneri.

O deputado Professor Lemos (PT) ressaltou que a bancada não vai aceitar a redução de direito dos trabalhadores.

à‰ inadmissível que o governo queira mexer na carreira do funcionalismo, no auxílio transporte dos professores, no adicional por tempo de serviço, no regime de previdência complementar, utilizando o regime de urgência.!

O pacote de maldades do governador Beto Richa reforça ainda mais a possibilidade de greve geral dos servidores públicos paranaenses. Os educadores realizam neste (7), em Guarapuava, assembleia geral. Agora é greve!, adiantou Lemos.