Requião Filho pede ao Gaeco quebra de sigilo de computadores do Palácio Iguaçu

RequiaoFilho_Oficio_Tchello.jpgO deputado estadual Requião Filho (PMDB), vice-líder da oposição na Assembleia Legislativa do Paraná, nesta quinta (5), protocolou pedido ao Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), braço policial do Ministério Público, para que investigue e-mails e grupos de WhatsApp que supostamente trocaram mensagens utilizando computadores do Palácio Iguaçu.

Segundo o parlamentar, denúncia anônima recebida por ele ligaria o ex-assessor do governo do estado, Marcelo Caramori, o Tchello, preso pelo Gaeco sob suspeita de cometer crime sexual, teria ligações com os administradores da Tenda Digital! durante a campanha eleitoral de 2014.

Requião Filho pede no documento que o Gaeco intensifique investigação da possibilidade de cometimento de crimes sexuais e cibernéticos por parte de servidores e até mesmo de altas autoridades do Estado dentro das instalações públicas.

… que se intensifiquem as investigações nas redes de relacionamento profissional/público (troca de emails e mensagens via Whatsapp) do sr. Marcelo Caramori, incluindo os computadores instalados nas dependências do Palácio Iguaçu…!, diz o ofício enviado hoje pelo peemedebista ao Gaeco.

Tchello é fotógrafo e teria se apresentado, durante a prisão, no final de janeiro, como assessor do governador Beto Richa (PSDB) em Londrina e mostrado uma tatuagem no braço 100% Beto Richa!. Ele era lotado na Governadoria com salário de R$ 6.177,13, símbolo DAS-5.

Leia a íntegra do ofício ao Gaeco:

13 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Grande nome ao governo do Paraná>>>>> REQUIÃO FILHO!

  2. Finalmente surgem fortes opositores. A ingerência é notória. Um estado como o nosso que compete em igualdade com SP e RJ merece mais. Parabéns pela iniciativa.

  3. Escutei numa rádio que este fotografo ganhava a bagatela de 6.100 reais só para fotografar o narigudo quando ele estivesse em Londrina. Só em Londrina. Fico imaginando quantos vagabundos como este ganham dinheiro na moleza do governo do estado. O narigudo gosta de desperdiçar e quer que o funcionalismo pague a conta. Vamos pro pau, contra ele e contra os deputados.

  4. É isso? sério? esse cidadão é eleito deputado e é isso que ele tem para apresentar? interferir na investigação do Gaeco enviando um ofício que é quase que a mesmo coisa que dizer faça o trabalho que tem que fazer, tentando criar um factoide? Por favor diga que não… diga que um advogado eleito deputado sabe que seu papel é muito mais importante que esse, que a oposição tem um papel maior que esse, diga que vai questionar a legalidade da utilização do fundo de previdência para custeio de outras despesas… que vai questionar a legalidade do parcelamento das férias dos funcionários… que vai questionar ezequias, dalazens… que vai questionar o pagamento à baixada quando não se tem dinheiro para pagar as diárias dos policiais no litoral… por favor

    • Entre tantas coisas importantes que o deputado tem que fazer, essa é uma delas sim, entendeu, ou você não tem noção de nada ou não tem respeito algum com criaturas sem defesa alguma para achar que esse fato não importância, tudo tem que ser investigado sim, todos os setores, só tem medo quem deve.

  5. O cara ganhava R$ 6.177,13 para puxar o saco? Que bacana, agora as criancinhas do Paraná vão responder quando alguém perguntar para elas:

    _O que você vai ser quando crescer?

    _Puxa saco, puxa saco e sem vergonha…

  6. Poderia ter feito o pedido,mas não divulgar nada por enquanto ,ao jogar seu pedido na Mídia ,dá a chance de apagarem eventuais provas.

  7. Parabéns, Deputado Requião Filho. Se o atenderem, essas relações de pele serão esclarecidas e também ficaria provado que esse, o Pedófilo, recebia do nosso Estado para atacar concorrentes do C. Alberto, na campanha. Daí o MP seguirá o exemplo do Juiz Moro, ou não.

  8. Por favor; que ele também pessa para o GAECO investigar onde foi parar o dinheiro do Paraná; investigar o Beto Richa e seus acessores.
    Cadeia Neles.