Greve geral depois do Carnaval

Segundo a APP-Sindicato, as escolas estão sem merenda, papel higiênico e funcionários. Além disso, ano letivo deverá começar com salas superlotadas devido ao fechamento de turmas. Caos na educação promovido pelo governo Richa, que põe em risco as conquistas do magistério, une grupos rivais na maior entidade sindical do Paraná. Greve geral deverá sair depois do Carnaval e será precedida de uma batalha de comunicação.

Segundo a APP-Sindicato, as escolas estão sem merenda, papel higiênico e funcionários. Além disso, ano letivo deverá começar com salas superlotadas devido ao fechamento de turmas. Caos na educação promovido pelo governo Richa, que põe em risco as conquistas do magistério, une grupos rivais na maior entidade sindical do Paraná. Greve geral deverá sair depois do Carnaval e será precedida de uma batalha de comunicação.

Os educadores deverão puxar o bloco grevista somente depois do Carnaval.

O presidente da APP-Sindicato, Hermes Leão, ao Blog do Esmael, afirmou nesta terça (3) que a entidade ainda vai debater se deflagra o movimento já no dia 9 ou depois do Carnaval.

O professor Luiz Paixão, também liderança na categoria, que no ano passado disputou a APP, defende o início da greve dia 23 de fevereiro, mas adiantou que não colocará obstáculos em datas.

O ataque do governo Beto Richa à s conquistas do magistério paranaense uniu tacitamente os grupos internos no maior sindicato do estado. A ideia de ambos, antes da greve, é travar uma batalha de comunicação para mostrar a realidade caótica das escolas à  comunidade.

Comentários encerrados.