Calote em diárias leva bombeiros e policiais à s ruas do Litoral contra Richa

Policiais e bombeiros protestaram ontem (7) à  noite contra calote nas diárias. PMs relatam que estão sendo humilhados pelo governo Beto Richa. Por outro lado, policiais militares estão sendo orientados pelos oficiais para não entrar em confronto com os grevistas nesta segunda, dia 9, em Curitiba, durante acampamento em frente ao Palácio Iguaçu. "Não vamos repetir o que houve no passado onde muitos professores foram agredidos de maneira covarde!, orientou capitão Walter, da Patrulha Escolar de Londrina.

Policiais e bombeiros protestaram ontem (7) à  noite contra calote nas diárias. PMs relatam que estão sendo humilhados pelo governo Beto Richa. Por outro lado, policiais militares estão sendo orientados pelos oficiais para não entrar em confronto com os grevistas nesta segunda, dia 9, em Curitiba, durante acampamento em frente ao Palácio Iguaçu. “Não vamos repetir o que houve no passado onde muitos professores foram agredidos de maneira covarde!, orientou capitão Walter, da Patrulha Escolar de Londrina.

O governador Beto Richa (PSDB) foi alvo de manifestação na noite deste sábado (7) em Guaratuba, Litoral do Paraná, promovida por policiais e bombeiros que trabalham na Operação Verão desde dezembro de 2014. Os guarda-vidas e agentes da PM estão sem receber as prometidas diárias que seriam utilizadas para pagar alimentação e hospedagem.

O calote nos bombeiros e policiais está revoltando toda a tropa da PM, que está inquieta nos batalhões e quartéis. Os profissionais dizem que estão sendo humilhados pelo governo do estado e há quem aposte numa surpreendente adesão dos militares à  greve geral do funcionalismo público a partir desta segunda-feira, 9.

Em solidariedade aos grevistas, oficiais da PM afirmam nas redes sociais que não vão reprimir os manifestantes que prometem acampar esta semana em frente à  Assembleia Legislativa e do Palácio Iguaçu.

Se forem convocados para trabalhar na Assembleia, no dia 9, não sejam violentos nem agridam os professores ou outros manifestantes. Somos policiais em defesa do povo paranaense… Não vamos repetir o que houve no passado onde muitos professores foram agredidos de maneira covarde!, orientou capitão Walter, da Patrulha Escolar de Londrina.

Comentários encerrados.