Velha mídia decadente recebe mais verba de publicidade das estatais

verba_publicidade_estatais.jpgEm 13 anos, entre 2000 e 2013, os tradicionais grupos de comunicação familiares do país abocanharam nada mais nada menos que R$ 15,7 bilhões de empresas estatais controladas pelo governo federal. O levantamento é do jornal Folha de S. Paulo, edição desta quarta (17), que corrigiu os valores pelo IGP-M, índice de preços da Fundação Getúlio Vargas.

As empresas do grupo Globo, dos Marinho, abiscoitaram R$ 5 bilhões da viúva no período; TV Record, do bispo Edir Macedo, levou R$ 1,3 bilhão; SBT, de Silvio Santos, R$ 1,2 bilhão; TV Bandeirantes, de Johnny Saad, R$ 1 bilhão;Grupo Abril, que edita a Veja, levou R$ 523 milhões; Grupo Folha, R$ 251 milhões; O Estado de S. Paulo, R$ 188 milhões.

Na tentativa de politizar a reportagem, a Folha também divulga levantamento de verba publicitária destinada a veículos que destoam da velha mídia: CartaCapital, R$ 44,3 milhões; Luís Nassif, R$ 5,7 milhões; Caros Amigos, R$ 4,7 milhões; Paulo Henrique Amorim, R$ 2,6 milhões; Brasil 247, R$ 1,7 milhão.

De acordo com a Folha, as estatais Petrobras, Caixa e Banco do Brasil foram as responsáveis por 86% dessa verba destinada à  publicidade oficial.

Comentários encerrados.