Uruguaios elegem Tabaré Vasquez sucessor de Mujica

via Agência Brasil

MujicayVasquez

Os uruguaios elegeram nesse domingo (30) o sucessor do presidente José Pepe Mujica: no dia 1!º de março, o médico socialista Tabaré Vasquez será reconduzido ao cargo, que ocupou de 2005 a 2010. Este vai ser o terceiro governo consecutivo da coligação de partidos de esquerda, Frente Ampla.

No discurso em que festejou a vitória, Tabaré convocou a oposição a um diálogo. Convoco todos os uruguaios, não para que me sigam, mas para que me guiem e me acompanhem!, disse. Ao mesmo tempo prometeu que seu retorno ao poder não representará mais do mesmo! porque o país que vai presidir nos próximos cinco anos não é o mesmo de 2005 nem de 2010!.

Tabaré Vasquez disputou o segundo turno das eleições presidenciais com o candidato do tradicional Partido Nacional (ou Blanco), Luis Lacalle Pou. Ele obteve 53,6% dos votos, enquanto seu adversário ficou com 41,1%. A Frente Ampla ainda assegurou a maioria no Congresso, no primeiro turno das eleições, em outubro passado.

No Uruguai, o Congresso é totalmente renovado a cada troca de governo. E os eleitores são obrigados a escolher candidatos a presidente, à  Câmara dos Deputados e ao Senado do mesmo partido. Todos têm mandatos de cinco anos e o presidente não pode ter dois mandatos consecutivos.

A legislação, no entanto, não impede que uma pessoa dispute o cargo de presidente e uma vaga no Congresso, em uma mesma eleição, ou que o presidente em exercício se candidate ao Senado. Por isso, no dia 1!º de marco, Lacalle Pou (que foi derrotado na eleição presidencial, mas obteve votos suficientes na eleição legislativa) assumirá como senador do Partido Nacional. José Pepe Mujica vai liderar a bancada da Frente Ampla no Senado.

Em entrevista à  Agência Brasil, Mujica disse que quer impulsionar uma reforma constitucional e criar mecanismos para evitar a corrupção politica. A primeira-dama, a senadora Lucia Topolanski, foi reeleita em outubro e vai integrar a bancada governista junto com o marido.

Segundo Victor Rossi, que foi ministro de Transporte e Obras Públicas na primeira gestão de Tabaré Vasquez, o novo governo vai manter a politica de redistribuição da riqueza dos últimos dez anos, que deu bons resultados: a redução da pobreza de 39% a 11% e a queda do desemprego. Mas existem novos desafios porque os uruguaios hoje estão mais exigentes do que em 2005 e em 2010!, disse Rossi.

Responsável por conduzir a Frente Ampla ao poder, rompendo com a hegemonia dos partidos Nacional e Colorado (ambos com mais de 170 anos de historia), Tabaré Vasquez obteve votação histórica. Ele ganhou as eleições com a maior margem de diferença em relação ao segundo colocado desde 1996.

Apesar de Tabaré ser um político popular, foi seu sucessor !“ o ex-guerrilheiro José Pepe Mujica, preso durante 14 anos !“ que colocou o pequeno país no mapa, graças ao seu jeito simples de ser. Ele foi manchete da imprensa local e internacional porque continua vivendo na mesma chácara e dirigindo o mesmo fusca velho (que um xeque árabe quis comprar por US$ 1 milhão e que ele se recusou a vender).

Mujica também ganhou fama de ser o presidente mais pobre do mundo! porque doa 90% de seu salario para financiar projetos sociais. Na gestão dele, o Uruguai legalizou o aborto, o casamento entre pessoas do mesmo sexo e a produção e venda da maconha.

14 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Esse Uruguai só serve para mandar coisas falcificadas para o Brasil. Acho bom o governo fechar a Ponte da Amizade logo antes que Fóz seja contaminada.

  2. Será que lá no Uruguai vai ter protesto de meia dúzia e meia e pedindo também golpe militar pela vitória do sucesso de Mujica?
    Ou será que só no Brasil se tem direita?
    Parabéns povo uruguaio, vocês realmente sabem respeitar os princípios da democracia. O voto do povo e sua vontade. Quanto a turma do FHC e Aécio Chorão, que a direita uruguaia sirva de exemplo.

  3. POVO INTELIGENTES OS URUGUAIOS…,JÁ NO PARANÁ…,NÃO FOSSE OS OTÁRIOS, OS BANDIDOS ESTARIAM TODOS MORTOS…

  4. Taí pessoal! Primeiro foi o Evo Morales na Bolívia; depois a Dilma Roussef aqui no Brasil e agora é o Tabaré Vasquez no Uruguai. Tá mais que provado que o povão não quer mais saber de neo-liberalismo, Fundo Monetário Internacional, a jogatina do rentismo, o preconceito social, a liderança de nossos hermanos del norte, “desenvolvimento dependente” obra prima do pensamento de nosso colonizado “príncipe dos sociólogos”. O negócio agora é governo do povo para o povo! Já era governo da elite para a elite! Chora coxinha, pode chorar bastante, faz bem pra saúde, desafoga as mágoas da perda das noites de poder!