Quebrado, Coxa imita Beto Richa e dá calote em funcionários

ribeiro_coxa_incompetencia.jpgO presidente do Coritiba, Vilson Ribeiro de Andrade, está sendo acusado carta por ex-funcionários do clube de administração temerária e de apropriação indébita de recursos, pois, de acordo com os acusadores, o dirigente deixou de recolher por 5 Anos o FGTS dos funcionários do futebol profissional. Em carta, eles reclamam ainda de calote na rescisão trabalhista seis meses depois de demitidos.

O médico Walmir Sampaio, em artigo publicado no site COXAnautas, corrobora as acusações contra Ribeiro de Andrade e também classifica a administração do time do Alto da Glória como incompetente.

“Se em campo a situação está resolvida, fora dele o torcedor apto a votar poderá afastar outra grande ameaça ao futuro do clube: a atual gestão. Gestão que fez promessas e não cumpriu, que afastou pessoas competentes por discordarem dos seus métodos, que perdeu a credibilidade e se cercou de omissos ou apadrinhados que jamais discordam de coisa alguma. Não haverá futuro melhor sem mudanças na gestão e nos métodos”, prega o médico.

O governador Beto Richa (PSDB) é ‘exemplo vivo’ de incompetência administrativa. No primeiro mandato, quebrou o Estado. Reeleito, o tucano agora ameaça quebrar até a iniciativa privada aumentando o ICMS dentre outras maldades.

Para integrantes da chapa oposicionista “Coxa Maior”, sem entrar no mérito da comparação política com Richa, a reeleição de Vilson Andrade poderá representar um desastre para o clube, que poderá se endividar mais e voltar à  ZR em 2015.

Cerca de 9 mil torcedores coxa-branca vão à s urnas neste sábado, dia 13, para escolher a nova direção do clube. O maior eleitor, o ex-capitão Alex, deverá anunciar nesta quinta (11) apoio à  chapa comandada pelo cartorário Rogério Bacellar e o empresário André Macias. Sua mulher, Daiane, reforça a chapa oposicionista.

A seguir, leia a íntegra da carta dos ex-funcionários do Coxa:

Carta aberta aos torcedores do Coritiba

Nós, ex-funcionários do Coritiba, usamos esse espaço para mais uma vez demonstrar nossa insatisfação com a nossa situação e como certas coisas vem sendo administradas no clube.

Antes de que nos acusem de algum viés eleitoral, deixamos claro que nenhum de nós faz parte de qualquer chapa ou declarou apoio oficialmente a qualquer dos postulantes do pleito que acontece daqui a alguns dias.

Pelo contrário, por respeito ao clube aguardamos que estivéssemos livre do rebaixamento, mais uma vez, para não atrapalharmos os atletas e comissão técnica nessa luta inglória que felizmente terminou com alívio pra todos nós.

Como todos sabem, fomos funcionários do clube por muitos anos, sempre com muito esforço e dedicação.

Mas demitir funcionários, mesmo SEM JUSTA CAUSA, é direito de qualquer empresa ou qualquer empregador. Embora não tenhamos sido informados dos reais motivos, entendemos as mesmas como legítimas.

O que não podemos aceitar é o total descaso com que os dirigentes do clube tem nos tratado desde então. Muitos funcionários humildes, pais de família, que tinham no clube seu único sustento, foram dispensados.

Essa dispensa seria uma coisa normal numa empresa se não fosse por um único detalhe: o clube até agora, quase 6 meses depois, AINDA NàƒO FEZ A RESCISàƒO DESSES FUNCIONàRIOS.

Esses funcionários humildes ainda não puderam assim ter acesso ao seu Seguro Desemprego nem ao FGTS, pois isto só pode ser feito após rescisão oficial no sindicato competente. Imaginar que os mesmos podem estar ainda desempregados, passando necessidades, sem poder comprar um presente de Natal para seus familiares não comove quem tem o poder e a obrigação de fazer os pagamentos. Ao contrário, são barrados na portaria do clube em qualquer tentativa de buscar informações a respeito de seus direitos trabalhistas.

E por falar em FGTS, é inacreditável que o atual mandatário do clube seja o líder dos clubes na defesa da Lei de Responsabilidade Fiscal no Esporte, quando deixou de recolher por 5 Anos o FGTS dos funcionários do futebol profissional e até agora ainda não o fez, sendo este um crime de apropriação indébita de recursos, já que o mesmo vinha todo mês discriminado nos holerites desses funcionários.

O mesmo que ficou 3 meses sem pagar salários a seus próprios atletas, sem falar nos direitos de imagem, gerando protesto público justo no Atletiba e podendo gerar futuros processos trabalhistas de outros atletas, como ocorreu com o Deivid e provavelmente com todos os funcionários demitidos já citados, gerando enorme passivo futuro, algo tão criticado pelo presidente em relação à s gestões anteriores.

E o mesmo presidente que já chamou alguns torcedores de “imbecis” e atletas de “vagabundos” e nunca se desculpou publicamente por isto.

Além dele, que largou o Coritiba na ZR do brasileirão pra ser o chefe da delegação brasileira na última Copa, aquela dos 7×1 pra Alemanha, foi contratado um gerente de futebol sem nenhuma qualificação para o cargo, a não ser a amizade com um antigo gestor demitido anteriormente.

O Sr. carioca citado não tem nenhum título no currículo, apenas lutas contra o rebaixamento no Botafogo e Bahia, dois prováveis rebaixados esse ano. Não conhecia e nunca fez questão de conhecer a história do clube ou de seus funcionários que estavam nele, e com apenas 2 meses no clube fez uma lista de dispensa de acordo com seu interesse, com a conivência do presidente ausente e ajuda do treinador gaúcho arrogante e prepotente que veio com ele e tinha interesses comuns.

Ambos os 3 colaboraram e muito para o péssimo clima interno no dia a dia do clube e seus respectivos resultados, até que não puderam mais segurar e demitiram o treinador, ACREDITEM, agradecendo o mesmo pelos serviços prestados, dentre eles a lanterna do campeonato por algumas rodadas.

A partir da chegada do treinador Marquinhos Santos, jogadores e comissão técnica se uniram pra tirar o clube do rebaixamento iminente, apesar da persistência da situação caótica diretiva.

Será que é essa conduta que esperamos do mandatário maior do clube? Será que é desta maneira que seremos um dos melhores clubes do Brasil? O que acontecerá com o Coritiba se continuar sendo administrado dessa maneira?

Nos preocupamos com a instituição centenária Coritiba, e não com as pessoas que nela se encontram pois elas passam, mas podem deixar marcas para o bem ou para o mal no futuro do clube.

Aguardaremos os resultados das eleições para definir nossas possíveis ações trabalhistas e esperamos que num futuro próximo o clube trate seus funcionários e atletas com o respeito que eles merecem.

Curitiba, 5 de dezembro de 2014.
Comissão de ex-funcionários lesados pelo presidente do Coritiba.

Comentários encerrados.