Coluna do Requião Filho: Estelionato eleitoral de Richa é caso de PROCON

richa_procon_requiao.jpgRequião Filho*

A realidade tem uma mania irritante de sempre vir à  tona. Mentiras, já diz o dito popular tem perna curta. Durante o ano eleitoral o investimento em publicidade do governo do estado do Paraná foi massivo. Os acordos com jornalões e jornalecos ocultavam a verdadeira situação do estado. Acabaram as eleições e a oposição falhou, falhamos, em expor a realidade. A mentira e a propaganda abafaram a verdade… mas a verdade sempre vem à  tona.

O boneco do ventríloquo é agora governador por mais 4 anos. E as notícias que temos no Estado indicam que cabe uma reclamação ao PROCON por propaganda enganosa, ou uma queixa na delegacia por estelionato eleitoral.

Veja o que diz uma dessas matérias do famoso folhetim gazeta do Povo:

Publicamente, desde que se lançou à  reeleição, Richa tem afirmado que “O MELHOR ESTà POR VIR” no segundo mandato. Em sabatina à  Gazeta do Povo antes do 1.!º turno, por exemplo, afirmou: “ACHO QUE AS COISAS ESTàƒO DE CERTA FORMA INDO BEM. AGORA COM A CASA EM ORDEM E A MàQUINA AZEITADA, VAMOS AVANà‡AR MAIS”. Segundo aliados próximos, porém, a realidade é completamente diferente. Alguns chegam a classificar a situação financeira do estado como “desesperadora”.!

Mentiu o candidato? Nada sabia? Eu acho que o titereiro deste teatro não contou para ele a real situação, e ele nunca se preocupou em perguntar. Como bom ventríloquo, os marqueteiros fizeram o povo acreditar que o boneco falava e sabia do que estava falando. Mas…

Voltando a citar o nosso folhetim predileto, somos informados que o líder do governo da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB), afirmou que as medidas são impopulares, porém necessárias para colocar em ordem as contas do estado.

A realidade chegou e, para cobrir os rombos e conseguir pagar a folha começou o desespero. Veio um pacote de maldades ou, como eu prefiro chamar, um raspa tacho.

O governo aprovou uma emenda no orçamento que permite que ele utilize livremente 15% de sua receita sem consultar o Legislativo. Assim, puxa o cobertor sobre a cabeça para descobrir os pés e nesse passo irá sempre deixando algo descoberto.

Como o caixa está zerado, falta dinheiro para pagar 13!º, mandou dividir em 3 vezes o 1/3 de férias dos funcionários e só começa a pagar as parcelas no ano que vem.

Em outra medida, sobe de uma vez em 40% o valor do IPVA dos carros dos paranaenses e suspende o desconto de 10% para o pagamento do imposto para quem pagava à  vista até o final do mês de Janeiro. Mas não para por aí.

O governo quer reduzir de 5% para 3% o desconto para quem pagar o imposto até abril. Deve realmente estar feia a situação!

Mais um imposto que o paranaense que tem carro não vai conseguir fugir é o aumento do ICMS da gasolina de 28% para 29%, parou no posto pagou mais.

Mas não paremos por aqui, a coisa tá tão complicada que o governador resolveu taxar os aposentados, coisa que não acontecia aqui em nosso estado. Agora 36 mil aposentados do estado perderam 11% de sua renda, já não haviam contribuído antes? A falta de controle e as verdades distorcidas da campanha agora os farão pagar além de uma vida de contribuição.

Para coroar a devassa escondida nas contas públicas do estado que pode não ter receita para pagar a folha de funcionários, o governo faz o que todo devedor responsável faz… pede mais um empréstimo para se afundar ainda mais em dívidas. Isso mesmo, mal consegue pagar a folha e pede à  ALEP autorização para fechar um novo empréstimo de 300 milhões de dólares.

Não pare de se assustar ainda. Para manter uma agenda positiva, o governador se expôs ao ridículo ao inaugurar obras de concessionárias de pedágio como se dele fossem. Inaugurou o contorno de Mandaguari. Na sequência diz que renovou a sinalização das rodovias litorâneas para a temporada de verão 2014/2015. Pena que esta é uma obrigação contratual da concessionaria.

Ano que vem a luta para manter em ordem, em real ordem, as contas do estado será grande. A ALEP precisará se posicionar de uma forma firme e responsável e defender com unhas e dentes o orçamento de nosso estado.

Do jeito que vai, sem um timoneiro, o rombo no orçamento pode chegar ao impagável e irreversível. Teremos em nossas mãos o poder/dever de fiscalizar e garantir que exista um Paraná no porvir. As mentiras e as propagandas serão desmentidas e a amarga realidade deverá trazer pesadelos ao atual governo.

Vamos ao trabalho!

*Requião Filho é advogado, deputado estadual eleito pelo PMDB, especialista em políticas públicas. Escreve à s quintas no Blog do Esmael.

Comentários encerrados.