Coluna do Marcelo Araújo: Qual o verdadeiro alvo das críticas? Cadê o Anãozinho do Fruet?

araujo_anao_fruetMarcelo Araújo*

Na semana passada abordamos o tema sobre as vantagens da locação de veículos, ou terceirização de frota, para os órgãos públicos, e citamos matéria publicada na Gazeta do Povo em que havia duras críticas à  Prefeitura de Curitiba em 2011, na gestão anterior.

No dia 25/11/2014, no mesmo caderno da época o colunista Celso Nascimento criticou uma licitação da Sanepar para locação de veículos, cujo valor de 25 milhões permitiria a compra de 1000 carros populares, em seu cálculo estimou R$ 25 mil cada. (clique aqui).

O cálculo simplista de Nascimento não considerou a manutenção, reparos, substituições imediatas, seguro, depreciação, etc., muito menos que alguns veículos precisam ser robustos, capazes de enfrentar locais de difícil acesso, além da capacidade de transportar equipamentos, atividade típica da empresa, e cujo valor é superior a R$ 100 mil. Até o comodato (empréstimo) é delicado, e podemos citar os elétricos Twizzy sem registro nem preço de mercado que foram danificados e queriam cobrar a conta do Guarda Municipal.

No dia 30/11 o colunista fez um discreto reparo, porém como lhe é típico, com extrema dificuldade de reconhecer suas impropriedades, ele foi irônico em relação à s explicações dadas pela empresa (clique aqui).

Esse exemplo deixa claro que a intenção do periódico e especificamente do colunista não é criticar a modalidade eleita para a frota, e sim o governo, pois na época a crítica era contra o antecessor de seu pupilo e atual Prefeito que assim que assumiu prometeu frota própria e continua locando veículos (clique aqui).

Aliás, exemplos não faltam. Não se falou mais na empresa cujos radares fixos estão encampados, mas na época foi um tiroteio. Atualmente além de a Prefeitura continuar pagando pela mesma ocupação, não deu continuidade nem encerrou a licitação que se iniciou à  época porque ainda há discussão judicial, e ainda comprou equipamentos estáticos (com tripé) cuja tomada de preços foi feita na gestão anterior.

Novas Ciclofaixas estão tão estreitas quanto dantes, mas o Anãozinho não se deitou mais no leito da via para protestar.

De multa eu entendo!

*Marcelo Araújo é advogado, presidente da Comissão de Trânsito, Transporte e Mobilidade da OAB/PR. Escreve nas segundas-feiras para o Blog do Esmael.

5 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Pessoal, fácil compreender o resultado matemático do Celso Malvadeza Nascimento. Ele deve usar a tabuada do Delfin Neto, a gravata do Maluf e o manual de finanças do Armínio Praga, opa… Fraga!!!

  2. A conta do Grupo RPC há muito não fecha, prova cabal que está falindo. Se o Requião tivesse sido eleito, eles estariam prontos a fechar. Quase falariam no terceiro mandato do Requião, sorte foi o antigo banco ABN ajudá-los…
    Pena que só o Esmael e o Marcelão têm coragem de pisar nessa ferida.

  3. Parabenizo o Dr. Marcelo Araujo pelo artigo, quanto ao Celso Nascimento, ele segue o que manda a Gazeta do Povo. Há venho falando que esse senhor segue o critério de dois pesos e duas medidas. A Gazeta do Povo não tem credibilidade, pois quando erra jamais reconhece.

  4. na campanha de 2012 valeu tudo de ambos os lados, AGORA com o fruet como prefeito a coisa ficou pior que a gestão do ducci, pior por que o fruet passou a ideia de mudança segura e honestidade com a coisa pública principalmente com a saúde ,fomos redondamente enganados.