Beto Richa planeja pé na bunda! dos servidores comissionados do Paraná

richa_demissao.jpgO governador Beto Richa (PSDB) não está prosa!, como diria Abelardo Barbosa, o Chacrinha. O tucano planeja demitir todos os servidores comissionados !“ aqueles de livre nomeação !“ no próximo dia 31 de dezembro.

A tarefa da degola dos 4.445 servidores sem concurso em cargos de confiança, na administração direta, caberá ao futuro secretário da Casa Civil.

Richa tem tomado medidas tributárias duras, como as que taxam em 11% aposentados e pensionistas, e os tarifaços no ICMS e IPVA. A isso tudo se chama por aí de pacotaço da malvadeza!.

Não são apenas os comissionados que levarão um pé no traseiro!, como se diz a quem é dispensado.

O Blog do Esmael registrou semana passada que 30% dos funcionários da educação, lotados nos Núcleos Regionais de Educação (NREs), que fizeram campanha pela reeleição do governador, também levaram um pontapé nas redondas abundâncias. Eles já estão voltando para as escolas (clique aqui). Os chefes desses órgãos também deverão ser defenestrados.

Os ocupantes de cargos comissionados e de gratificações, disponível aos servidores públicos, serão substituídos por nomes indicados pelos deputados não reeleitos e reeleitos, desta legislatura, que votaram no “pacotaço da malvadeza” nesta semana !“ inclusive aqueles parlamentares que marcharam contra a reeleição do governador tucano. à‰ um novo rearranjo político e administrativo.

O desespero de Beto Richa é pelo superávit primário!, reserva de caixa, que o traria para dentro do limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). O tucano tem governado fora da lei. Na prática, o Paraná está quebrado e a conta está indo para os velhinhos, os servidores, a educação, a produção e o consumo.

As contas do governador do PSDB poderão até se adequar à  legislação e garantir-lhe que nenhum tribunal lhe retire a elegibilidade, mas a fatura será paga por todos os paranaenses. Inclusive os comissionados, o que mais defenderam a reeleição.

Comentários encerrados.