PT x PT: Militantes de cultura publicam manifesto questionando gestão da Fundação Cultural de Curitiba

acorda.jpg

Foi lançado nesta quinta-feira (13) um manifesto cobrando promessas de campanha do prefeito Gustavo Fruet (PDT) para área da cultura e criticando a gestão da Fundação Cultural de Curtitba (FCC), encabeçada pelo petista Marcos Cordiolli.

Chamado de Não é só por 1%! em uma referência à  promessa de aplicação de 1% do orçamento municipal na área, o texto é assinado por artistas e militantes da cultura e das artes de Curitiba, muitos deles filiados ao próprio PT.

As críticas à  gestão de Cordiolli na FCC não são novidade. Os! artistas, trabalhadores e militantes da área não escondem a decepção! com a gestão da cultura, das artes e do patrimônio municipal. A falta de verbas para financiar projetos é um dos motivos, mas não é o único. O texto fala em! crise! administrativa e inépcia da atual gestão da Fundação.

O que se comenta é que a administração! petista na FCC é lenta e antidemocrática, o que seria inclusive um dos motivos da baixa votação do deputado federal Angelo Vanhoni (PT), que não conseguiu se reeleger; pois os gestores da Fundação são militantes do seu grupo político, e os desmandos na área teriam causado um forte estrago na base que lhe foi fiel por mais de duas décadas.

O Manifesto Não é só por 1%! está publicado no endereço acordaculturacuritiba.com! e está aberto a adesões pela internet. Lá é possível conferir quem já aderiu.

Leia a íntegra do manifesto a seguir:

  • NàƒO à‰ Sà“ POR 1% PARA A CULTURA, prometido para até 2014 durante a campanha pelo prefeito Gustavo Fruet, mas também pela crise! administrativa da atual gestão da Fundação Cultural de Curitiba representada por seus dirigentes, já há dois anos em constatada inépcia;
  • NàƒO à‰ Sà“ POR 1% PARA A CULTURA, é também pela inexistência de planejamento específico para todas as linguagens artísticas, culturais e de Patrimônio, assim como ações que contemplem o Patrimônio Imaterial;
  • NàƒO à‰ Sà“ POR 1% PARA A CULTURA, é pela desvalorização e desconstrução dos programas de ações de êxito artístico cultural já reconhecidos e de significativa representação sócio cultural;
  • NàƒO à‰ Sà“ POR 1% PARA A CULTURA, é pelo desconhecimento da complexidade e especificidade das linguagens artísticas e culturais;
  • NàƒO à‰ Sà“ POR 1% PARA A CULTURA, é pela falta de critérios eficazes para o atendimento nas ações de política cultural que visem contemplar as demandas artísticas e comunidades em geral;
  • NàƒO à‰ Sà“ POR 1% PARA A CULTURA, é pela ausência de inventário, legislação e conselho patrimonial;
  • NàƒO à‰ Sà“ POR 1% PARA A CULTURA, é pela ausência e falta de conhecimento do presidente e superintendente junto aos equipamentos da FCC e conseqà¼ente ignorância da própria estrutura administrada;
  • NàƒO à‰ Sà“ POR 1% PARA A CULTURA é pela constatada fragilidade administrativa e operacional e falta de transparência referente ao Mecenato e Fundo Municipal de Cultura, contemplando as várias áreas da produção como Teatro, Audiovisual, Música, Dança, Artes Visuais, Circo, Patrimônio Material e Imaterial, Produções das Identidades Culturais, Literatura, Linguagens e Mapeamentos digitais, etc.;
  • NàƒO à‰ Sà“ POR 1% PARA A CULTURA é pela falta de conceito na elaboração de editais do FUNDO MUNICIPAL DE CULTURA, falta de critério na escolha das comissões de seleção e má gestão de alguns desses editais;
  • NàƒO à‰ Sà“ POR 1% PARA A CULTURA é pela falta de investimento e não reconhecimento das ações de fomento à  reflexão, formação, pesquisa e produção;
  • NàƒO à‰ Sà“ POR 1% PARA A CULTURA é pela ausência de investimento e plano de formação /qualificação profissional para funcionários da FCC ;
  • NàƒO à‰ Sà“ POR 1% PARA A CULTURA é pela falta de publicização dos nomes, funções e salários dos contratados pelo ICAC;
  • NàƒO à‰ Sà“ POR 1% PARA A CULTURA é pelas péssimas condições de preservação de acervos e ausência de investimento na área;
  • NàƒO à‰ Sà“ POR 1% PARA A CULTURA é pela desvalorização e sucateamento dos equipamentos da FCC e não clareza dos critérios de ocupação (Casa Hoffmann, Casas da Leitura, CCC, Memorial de Curitiba, Teatro Londrina, TUC , Cinemateca de Curitiba, Conservatório de MPB, etc.), bem como dos corpos artísticos estáveis Orquestras à  Base de Sopro e Cordas, Corais Brasileirão e Brasileirinho e Camerata Antiqua de Curitiba;
  • NàƒO à‰ Sà“ POR 1% PARA A CULTURA é pela transparência interna e externa do uso/destino da verba existente.
  • NàƒO à‰ Sà“ POR 1% PARA A CULTURA, é por repúdio ao fechamento de espaços públicos, atividades e programas importantes para toda a comunidade curitibana.
  • Por tudo isso, nós artistas da cidade de Curitiba reivindicamos uma audiência com o Prefeito Gustavo Fruet, para discussão e tomada de decisões emergenciais destas e outras questões levantadas sobre a política cultural da cidade de Curitiba.

FRENTE ACORDA CULTURA CURITIBA

Comentários encerrados.