Derrota em campo acirra disputa eleitoral no Coritiba

eleicao_coxa.jpgSe correr o bicho pega, se ficar o bicho come. Eis a situação do presidente do Coritiba, Vilson Ribeiro de Andrade, que terá de enfrentar as urnas no próximo dia 13 de dezembro. Será a última grande disputa eleitoral de 2014 no estado do Paraná que, a exemplo do segundo turno presidencial, acontecerá sob o signo da mudança.

Para complicar o quadro político da “situação”, o Coxa perdeu ontem do Flamengo no Maracanã pelo placar de 3 a 2. O time do Alto da Glória corre o risco de voltar à  zona de rebaixamento, se perder na próxima rodada para o Vitória.

Fora das quatro linhas do gramado, os 9 mil sócios-torcedores do clube, que têm direito a voto, querem mudança independente de o Coritiba ser defenestrado ou continuar na elite do futebol brasileiro.

A nação coxa-branca quer mudança porque, segundo apurou o Blog do Esmael, porque seu principal adversário, o Atlético, tem melhor desempenho em campo com metade da folha de pagamento. Essa opinião é compartilhada pelo empresário André Macias, vice na chapa oposicionista “Coxa Maior”, que altruisticamente abriu mão de disputar a presidência do clube em favor do cartorário Rogério Bacellar.

Mesmo com as críticas de incompetência administrativa, Vilson Andrade tentará a reeleição com a chapa Coritiba, Nós Construímos!. O dirigente não cogita desistir da luta por mais um mandato.

A chapa de oposição comandada por Bacellar e Macias tem novidade que podem desequilibrar a situação. A mulher do craque Alex, Daiane Mauad, está entre os 160 sócios da chapa “Coxa Maior”. Entretanto, o camisa 10 do Coritiba jura que não vai se meter nessa disputa eleitoral. Será?

Comentários encerrados.