Brasil deve colher safra recorde de 198 mi de toneladas de grãos em 2015

via Blog do Planalto

Senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), ex-ministra da Casa Civil, no começo do ano, exaltou a proposta de crédito para o agronegócio será de R$ 156 bilhões para a safra 2014/2015; na época, durante lançamento do Plano Safra, ela lembrou que há 12 anos o setor contava com R$ 18 bilhões de crédito; para o médio agricultor, serão destinados R$ 16 bilhões; para a petista, setor foi ao paraíso durante os governos Lula e Dilma.

Senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), ex-ministra da Casa Civil, no começo do ano, exaltou a proposta de crédito para o agronegócio será de R$ 156 bilhões para a safra 2014/2015; na época, durante lançamento do Plano Safra, ela lembrou que há 12 anos o setor contava com R$ 18 bilhões de crédito; para o médio agricultor, serão destinados R$ 16 bilhões; para a petista, setor foi ao paraíso durante os governos Lula e Dilma.

O Brasil deverá colher uma safra recorde de cereais, leguminosas e oleaginosas de 198,3 milhões de toneladas em 2015, o que representa um aumento de 2,5% em relação à  deste ano, segundo a primeira estimativa divulgada nesta terça-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O avanço deverá ser puxado especialmente pela soja, cuja safra deverá ser 9% maior que a de 2014, com aumento de 1,6% na área prevista. Entre os seis produtos de maior relevância na safra de verão, cinco apresentam variações positivas na produção: feijão 1!ª safra (11,0%), amendoim (em casca) 1!ª safra (10,7%), soja (9,0%), arroz (em casca) 1,4% e o milho 1!ª safra (0,3%). O algodão herbáceo registrou variação negativa na produção, de 8%.

A estimativa da área a ser colhida é de 56,2 milhões de hectares, apresentou acréscimo de 6,3% frente à  área colhida em 2013 (52,8 milhões de hectares) e de 0,4% em relação ao mês anterior. O arroz, o milho e a soja são os três principais produtos deste grupo, que somados representaram 91,4% da estimativa da produção e responderam por 85,0% da área a ser colhida.
Em relação ao ano anterior, houve acréscimos de 660 hectares na área de arroz e de 8,3% na área da soja.

O milho teve sua área a ser colhida reduzida em 0,7%. No que se refere à  produção, houve acréscimos de 3,4% para o arroz, 5,6% para a soja e diminuição de 2,7% para o milho, quando comparado a 2013.

Regiões

Nessa avaliação para 2014, o Mato Grosso liderou como maior produtor nacional de grãos, com uma participação de 24,4%, seguido pelo Paraná (18,5%) e Rio Grande do Sul (15,6%), que somados representaram 58,5% do total nacional previsto.

Entre as Grandes Regiões, o volume da produção de cereais, leguminosas e oleaginosas apresentou a seguinte distribuição: Centro-Oeste, 82,1 milhões de toneladas; região Sul, 72,3 milhões de toneladas; Sudeste, 17,8 milhões de toneladas; Nordeste, 15,8 milhões de toneladas e Norte, 5,5 milhões de toneladas.

Comparativamente à  safra passada, foi constatado incremento de 10,0% na região Norte, de 32,2% na região Nordeste e de 4,7% na Região Centro-Oeste. As regiões Sul e Sudeste apresentaram, respectivamente, diminuição de 1,1% e 9,8% em relação à  produção do ano anterior.

Fonte: com informações do IBGE.

7 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Quando vi a foto da Gleisi junto com as espigas, pensei que o texto dissesse que ela as teria plantado.

  2. No mundo conturbado da política, guardada as questões políticas, interesses pessoais, casos de polícia, temos que reconhecer os fatos e ações indiferente de pessoas e partidos, essas que beneficiam a todos.

  3. …,ESTE É O BRASIL “QUEBRADO” QUE OS TUCANOS “VENDERAM”PAÍS AFORA…,50 MILHÕES DE OTÁRIOS COMPRARAM…,COMO ÉRA NA ÉPOCA DOS TUCANOS???…,NÃO EXISTIA FINANCIAMENTOS…,O, FMI…,MANDAVA,MANDAVA…NO BRASIL…

  4. Tá, o agronegócio fez o seu papel.
    Agora só faltam as estradas, as ferrovias. os
    entrepostos nos entroncamentos ferroviários, e
    portos que funcionem.
    Com a palavra os governos federal e estaduais,
    desde 1960…

    • O Agronegocio não fez seu papel agora, neste ano.
      Fezem doze anos que ele faz o seu papel.
      Com estrada ou sem estrada.
      Acha que foi só agora?
      Presta atenção…
      Onde não havia mais trilhos, hoje tem..
      Tá lembrado quando a Direita quebrou os
      trens..
      Aqui onde havia trem, tem shoping.
      A estação é Museu. cuidado pela direita
      vive pichado.
      Vamos devagar…Se não é Requião nem saia no Porto.
      Dá uma olhada no PAC…acompanhe, é legal.
      Se não servir para você, vai servir para alguem.
      E não caia na choradeira dos Caiados da vida.

    • Bem lembrado. Tudo isso ficou fora da campanha eleitoral onde ficaram macetando temas irrelevantes e denúncias que nunca serão apuradas.