Big Bang da corrupção fortalece agenda de Dilma

do Brasil 247
dilma_PFEmbora a oposição derrotada nas urnas já esteja se mobilizando para levar à s últimas consequências as investigações da Operação Lava-Jato, que registrou, nesta sexta-feira, um de seus principais capítulos, com as prisões de executivos de grandes empreiteiras, o “big bang” promovido pelo juiz Sergio Moro, pelo Ministério Público e pela Polícia Federal fortalece a agenda de reformas defendida pela presidente Dilma Rousseff.

Mais uma vez, o Brasil se vê diante de um escândalo ligado ao financiamento privado de campanhas eleitorais. Um tema que a presidente Dilma pretende enfrentar já no início do seu segundo mandato. “A minha disposição mais profunda é liderar da forma mais pacífica e democrática esse momento transformador. Estou disposta a abrir um grande espaço de diálogo com todos os setores da sociedade para encontrarmos as soluções mais rápidas para os nossos problemas”, disse ela, em seu discurso de vitória. “Entre as reformas, a primeira e mais importante deve ser a reforma política.”

A prioridade do segundo governo Dilma é lutar pelo fim das doações privadas, que vêm de grandes empresas, como as empreiteiras. Esse tema, já discutido no Supremo Tribunal Federal, teve seis votos favoráveis ao fim das contribuições empresariais, mas só não foi sacramentado em razão de um pedido de vistas do ministro Gilmar Mendes !“ favorável à s doações, ele diz não ter prazo para devolver o caso ao plenário.

No discurso de vitória, Dilma explicitou sua posição. “Meu compromisso, como ficou claro durante toda a campanha, é deflagrar essa reforma, que é responsabilidade constitucional do Congresso, e que deve mobilizar a sociedade por um plebiscito, por meio de uma consulta popular. Como instrumento desta consulta, nós vamos encontrar a força e a legitimidade exigida neste momento de transformação para levarmos à  frente a reforma política”, disse. “Quero discutir esse tema profundamente com o novo Congresso Nacional e com toda a população brasileira, e tenho convicção de que haverá interesse dos setores do Congresso, dos setores da sociedade, de todas as forças ativas na nossa sociedade para abrir uma discussão e encaminhar as medidas concretas. Quero discutir igualmente com todos os movimentos sociais e as forças da sociedade civil.”

A agenda da oposição, no entanto, será outra. Como o escândalo da vez atinge partidos da base aliada, como PT, PMDB e PP, muito embora as empreiteiras doem para todas as legendas, a estratégia foi anunciada pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG), que pretende recolher assinaturas para uma nova CPI no início de 2015. Além disso, como Gilmar Mendes será o relator das contas da campanha da presidente Dilma em 2014, o PT já dá como certo que ele votará por sua reprovação.

Isso significa que haverá, nos próximos meses, o embate entre duas forças. De um lado, os que defendem a reforma política e o fim das doações de empresas. De outro, os que usarão o escândalo atual para criar instabilidade política e, eventualmente, inviabilizar o segundo governo Dilma.

7 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. É DE RIR
    A defesa da corrupção do governo, via Petrobrás chega a provocar risos. Como pode. Nenhuma linha contra a corrupção, nem uma palavra escrita vinculando a corrupção dos 3 principais partidos governistas (PT, PMDB e PP). Como pode tamanha desfassatez?
    Quando não é de propria lavra, reproduz os panfletos governistas do “Brasil 247”, blog principal da conhecida Rede PT13. È muita cara de pau. Pra vcs (Ex e 247) tudo é golpe. A digulgação da delação premiada do Yousef foi chamada de golpe por parte da “Midia Golpista”, dizendo que queriam ganhar eleição na “mão grande”. Uso dos correios na campanha chapa branca não era golpe, não era “mão grande”, mas divulgar os “mal feitos” (forma carinhosa de denominação da corrupção usada pela DilmAnta) é golpe
    Agora que a eleição foi ganha (na mão grande) achei que iriam assumir mesmo que timiamente a corrupção. Mas não. Tamanha a evidência, e cntinuam a fzer de conta que não houve. Só não combinaram com o mais baixo ministro da justiça que o Brasil já teve, pois ontem o Eduardo Cardoso assumiu que houve corrupção e pediu punição. Mas se a imprensa pede punição, é GOLPE, é “tereiro turno”. Então tem que deiar tudo no “escondidinho”.
    VErgonhoso, carissimo editor

  2. Isso não tem NADA a ver com financiamento de campanhas. Isso é quadrilha para desviar recursos públicos. O dinheiro dado a partidos é para comprar facilidades. É roubo, gente enriquecendo é ponto.Simples assim.

  3. Parece que quem vai inviabilizar o 2º mandato de Dilma será o PT e Lula e essa briga só tá começando !!

  4. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.
    Não poderia começar um comentário de melhor forma sobre essa notícia se não fosse tirando sarro da presidanta Dilmarionete kkkk (Mercadora do Foro de São Paulo, para não falar da morte).
    Nosso país em vias de entrar em colapso econômico/político e essa senhora torrando muita grana com os nossos tributos lá no Qatar. E depois chamam os contrários de coxinhas kkkkk Eita esquerda caviar!
    Vou ter que concordar com a manchete desta reportagem, pois a agenda da presidente será: PF – Planalto, CPI – STF, Senado – PF kkkkkkk

  5. Esmael, não tem como minimizar os escândalos de desvios de dinheiro no (des)Governo do PT, ainda que se tente isso. Se essa Dilma tiver pelo menos 01 neurônio ela sequer volta para o Brasil, se tiver um pingo de vergonha na cara ela deve é renunciar…. como pode uma nação caçar o mandato de um presidente por causa de um Fiat Elba e reeleger uma que tem conhecimento sobre o roubo de BILHÕES de dólares????
    Agora só nos resta saber se a fase 8 da Operação Lava Jato se dará antes do Natal ou antes do Ano Novo.