Depois de Alckmin, agora é a vez de Beto Richa “pedir penico! para Dilma

richa_tony_eduardo.jpgO governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), anunciou ontem (29) que irá procurar a presidenta reeleita Dilma Rousseff (PT) com o objetivo de pedir-lhe ajuda financeira, a fundo perdido, para debelar a falta de água que tanto castiga os paulistas. Na campanha presidencial, a crise hídrica opôs ambos.

Se o tucano de São Paulo vai “pedir água! para a petista, por que raios o tucano do Paraná, Beto Richa, também não “pediria penico! para ela? E é exatamente isso que o governador das araucárias está fazendo nos bastidores.

Richa enviou o ex-deputado Tony Garcia como interlocutor junto ao líder do PMDB na Câmara, deputado Eduardo Cunha (RJ), para facilitar a abertura das portas junto a Dilma Rousseff. A ideia é pleitear financiamentos do governo federal ao Paraná. Em troca, o governador colocaria a bancada federal paranaense apoiando Cunha para presidir a Câmara. Tony é amigo do parlamentar carioca de outros carnavais.

Nas eleições, Richa não poupou Dilma. Além de sempre acusar a petista de discriminação, o que não é verdade, segundo dados do governo federal, o tucano dizia que seu principal objetivo era derrotar o governo do PT.

Para complicar mais a vida de Richa no pós-eleição, ontem (29) a Assembleia Legislativa o derrotou derrubando quórum da sessão (clique aqui). O governador do PSDB precisava desesperadamente aprovar projetos para fazer caixa neste final de ano. A luta é para garantir a inchada folha de pagamento e o 13!º salário do funcionalismo público.

Além de compromissos com pessoal, o governo do Paraná tem dificuldades para fazer a máquina andar. O corte de 30% do custeio agravou a crise. Falta combustível nas viaturas da polícia; professores levaram novo calote; e a Polícia Militar Rodoviária foi despejada no município de Araucária, região metropolitana de Curitiba, por falta de pagamento do aluguel, dentre outras barbaridades administrativas que fogem aos olhos dos mortais comuns.

Em tempo: o site oficial do PSDB do Paraná, presidido pelo próprio Richa, acusa a presidenta de ter cometido “estelionato eleitoral” (clique aqui).

Comentários encerrados.