Caso Petrobras: “Francischini é um valentão seletivo”, diz Gleisi

gleisi_francischini

O Blog do Esmael procurou a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) para saber o que ela achou da iniciativa do deputado Fernando Francischini (SDD-PR), que anunciou que irá convocá-la para explicar, na Câmara dos Deputados, a denúncia de que teria recebido R$ 1 milhão para sua campanha ao Senado, em 2010, dos delatores do esquema na Petrobras, o ex-diretor Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef.

Gleisi disse não ter problema nenhum em falar sobre o assunto, mas quer saber porque a valentia do delegado Francischini é seletiva. Segundo ela, o deputado mostrou-se “mais frouxo” quando divulgaram o nome de dezenas de deputados que estariam envolvidos, inclusive um do partido dele e o próprio presidente da Câmara dos Deputados.

“Onde estava o valente Francischini, que não convocou imediatamente a todos para se explicarem?”, questiona a petista, apontando “valentia seletiva” do parlamentar do SDD.

Ao Blog do Esmael, o deputado do Solidariedade ironizou a senadora do PT: “Ela queria que eu convocasse do Além o senador Sérgio Guerra [ex-presidente nacional do PSDB, morto este ano, também denunciado pelo ex-diretor da Petrobras], mas será surpreendida com vários “PB’s” na agenda do delator”, retrucou.

Gleisi também responde porque foi contra a CPI da Petrobras: “Tem gente que quer fazer CPI para investigar, buscar esclarecer as coisas. Tem gente que não quer investigar nada e pretende fazer uso eleitoral das informações. E tem os que querem aproveitar a confusão para se dar bem. Minha posição é que já existe a investigação policial, há procuradores da República trabalhando nisso e processos instaurados no Judiciário. A CPI sequer tem acesso a boa parte das informações, porque correm em sigilo. Então, o que vai prevalecer nessa CPI? A investigação é que não vai ser”.

Comentários encerrados.