10 de outubro de 2014
por Esmael Morais
52 Comentários

Requião aponta laços do advogado de Youssef com tucanos do Paraná

O advogado do Alberto Youssef, nessa cruzada contra o PT, é Antonio Augusto Lopes Figueiredo Basto. Ele foi membro do conselho da Sanepar!, tuitou no início da noite desta sexta-feira (10) o senador Roberto Requião, coordenador da campanha de Dilma no Paraná; daqui a pouco, a partir das 20 horas, na TV 15 (www.robertorequiao.com.br), o peemedebista promete conversar mais sobre essa trama diabólica surgida no estado nas vésperas do segundo turno presidencial; advogado é homem de confiança do governador reeleito Beto Richa (PSDB).

O advogado do Alberto Youssef, nessa cruzada contra o PT, é Antonio Augusto Lopes Figueiredo Basto. Ele foi membro do conselho da Sanepar!, tuitou no início da noite desta sexta-feira (10) o senador Roberto Requião, coordenador da campanha de Dilma no Paraná; daqui a pouco, a partir das 20 horas, na TV 15 (www.robertorequiao.com.br), o peemedebista promete conversar mais sobre essa trama diabólica surgida no estado nas vésperas do segundo turno presidencial; advogado é homem de confiança do governador reeleito Beto Richa (PSDB).

O senador Roberto Requião (PMDB), coordenador-geral da campanha de Dilma no Paraná, nesta sexta-feira (10), pelo Twitter, disse ver ligações umbilicais do advogado do doleiro Alberto Youssef, preso na Operação Lava Jato, com o tucanato paranaense. ... 

Leia mais

10 de outubro de 2014
por Esmael Morais
18 Comentários

Lula na CartaCapital: “Armínio e Aécio são o mundo que não deu certo”

do Brasil 247O ex-presidente Lula está reforçando as linhas de confronto direito entre a campanha do PT e o PSDB. “Armínio, Aécio, essa gente toda significa o retrocesso, a volta de um mundo que não deu certo”, disse Lula em entrevista à  revista Carta Capital, que circula a partir desta sexta-feira 10.

– O sistema financeiro está ouriçado para que Aécio ganhe as eleições. O FMI, que estava quietinho, voltou a dar palpite porque sabe onde o seu Armínio Fraga vai colocar os juros, criticou Lula, apostando numa forte alta da Selic.

Ele lembrou que assumiu a Presidência da República, em 2003, com os juros nas alturas e uma dívida externas de 30 bilhões de dólares. Acrescentou ter herdade uma política econômica que não criava empregos.

– Agora, a pretexto de atacar a inflação eles querem criar desemprego. Isso acontece porque eles não se importam em nada com quem trabalha, desferiu o ex-presidente.

Para Lula, “O Brasil o país que tem o futuro mais garantido”. Ele citou o volume de obras de infraestrutura em curso e os recordes que vão sendo batidos na extração do petróleo do pré-sal.

– Não é jogando nas costas do povo um ajuste fiscal, cortando salários, dispensando trabalhadores que vamos fazer o Brasil crescer.

Lula disse estar preocupado com a atenção que a população está dando ao pleito:

– As pessoas não perceberam que o que está em disputa nesta eleição são dois projetos de país. O nosso, que é o presente e do futuro, e o deles, que é de volta ao passado. E é isso o que me preocupa, assinalou o ex-presidente.

Ele não poupou, ao contrário, foi bastante direto na crítica a seu antecessor Fernando Henrique Cardoso:

– Eu me sinto muito ofendido com esse preconceito que chega à s raias do absurdo, atacou Lula. O Fernando Henrique é um cientista político estudioso que não percebeu a evolução política da classe mais pobre. Ele está falando do passado do tempo dele, quando ainda valia o voto de cabresto. O povo mudou e ele não percebeu, continua representando uma certa elite preconceituosa.

Leia mais

10 de outubro de 2014
por Esmael Morais
48 Comentários

Com 100% de acertos, bruxo Chik Jeitoso prevê vitória “esmagadora” de Dilma no 2!º turno; assista ao vídeo

Bruxo ecumênico e suprapartidário Chik Jeitoso prevê vitória esmagadora! de Dilma no segundo turno presidencial; macumbeiro mais famoso do Hemisfério nunca errou uma previsão e, de acordo com ele, seus trabalhos e despachos elegeram 35 clientes! nestas eleições; abaixo, assista ao vídeo.

Bruxo ecumênico e suprapartidário Chik Jeitoso prevê vitória esmagadora! de Dilma no segundo turno presidencial; macumbeiro mais famoso do Hemisfério nunca errou uma previsão e, de acordo com ele, seus trabalhos e despachos elegeram 35 clientes! nestas eleições; abaixo, assista ao vídeo.

O bruxo mais famoso do Hemisfério, Chik Jeitoso, se orgulha de nunca ter errado uma previsão em 34 anos de macumba certeira!. A última dele dizia que os senadores Roberto Requião (PMDB) e Gleisi Hoffmann (PT) estariam juntos no segundo turno. Não é que as Lâminas Sagradas! estavam certas de novo? ... 

Leia mais

10 de outubro de 2014
por Esmael Morais
59 Comentários

Vazou: Felipe Pessuti, filho do ex-governador Orlando Pessuti, é o novo Superintendente da Copel

A nomeação de Felipe Pessuti, filho do ex-governador Orlando Pessuti, como novo Superintendente de Finanças da Copel, ocorreu 72 horas depois de o governador Beto Richa (PSDB) ser reeleito para mais um mandato de 4 anos. A informação vazou esta tarde do Palácio Iguaçu, portanto, complementar à  primeira lista com o novo secretariado do tucano para 2015, registrada na semana pelo Blog do Esmael.

A nomeação de Felipe Pessuti, filho do ex-governador Orlando Pessuti, como novo Superintendente de Finanças da Copel, ocorreu 72 horas depois de o governador Beto Richa (PSDB) ser reeleito para mais um mandato de 4 anos. A informação vazou esta tarde do Palácio Iguaçu, portanto, complementar à  primeira lista com o novo secretariado do tucano para 2015, registrada na semana pelo Blog do Esmael.

O administrador Felipe Pessuti, filho do ex-governador Orlando Pessuti (PMDB), foi nomeado anteontem como novo Superintendente de Finanças e Relações com os Investidores da Companhia Paranaense de Energia (Copel). ... 

Leia mais

10 de outubro de 2014
por Esmael Morais
17 Comentários

Divulgação da delação põe em xeque a imparcialidade da Justiça!, afirma conselheiro do MP

via Brasil 247

Conselheiro Nacional do Ministério Público, professor Luiz Moreira considera que a publicação na mídia das denúncias feitas pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e do doleiro Alberto Youssef compromete a imparcialidade da Justiça; “Cria-se a sensação de que estamos num vale tudo e que o sistema de justiça além de imiscuir-se na disputa eleitoral também não tem compromisso com a ordem jurídica”, diz Moreira, em entrevista ao blog de Paulo Moreira Leite; ele explica que “a seletividade é óbvia”, uma vez que trechos dos depoimentos são “criteriosamente” escolhidos para serem divulgados, e ressalta que “os testemunhos só são verossímeis se acompanhados de provas. Sem provas, não têm qualquer valor jurídico”.

A divulgação na imprensa de denúncias sobre um esquema de corrupção envolvendo políticos e executivos de empreiteiras feitas pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e do doleiro Alberto Youssef, por meio de acordo de delação premiada, não só interferem na disputa eleitoral como colocam em xeque a imparcialidade da Justiça. A opinião é do membro do Conselho Nacional do Ministério Público, doutor em Direito e professor Luiz Moreira.

Em entrevista ao blog do jornalista Paulo Moreira Leite, no 247, Moreira afirma, sobre a divulgação parcial dos depoimentos: “Cria-se a sensação de que estamos num vale tudo e que o sistema de justiça além de imiscuir-se na disputa eleitoral também não tem compromisso com a ordem jurídica”. Ele afirma ser “lamentável que o sistema de justiça produza essa anomalia, ou seja, que um procedimento judicial cercado de técnicas sofisticadas de colhimento dos testemunhos simplesmente se volte contra a ordem judicial que determina seu sigilo”.

O jurista acredita que “a seletividade é óbvia” quanto à  publicação de trechos dos depoimentos. “Há uma engenharia responsável pelo vazamento que seleciona criteriosamente que partes devem ser divulgadas e o momento adequado para que o vazamento chame mais atenção e cause mais impacto nos eleitores”, detalha. Moreira ressalta, por fim, algo que não vem sendo considerado pela mídia familiar: “os testemunhos só são verossímeis se acompanhados de provas. Sem provas, não têm qualquer valor jurídico”.

Leia mais

10 de outubro de 2014
por Esmael Morais
27 Comentários

Globo: Denúncias sobre Petrobrás justificariam privatização da empresa

via Brasil 247

Por trás das denúncias de corrupção contra a Petrobrás, não há apenas uma agenda política imediata, que é retirar o PT do poder e impedir a reeleição da presidente Dilma Rousseff. Um objetivo secundário, mas não menos importante, é a privatização da Petrobras. Ao menos, para as Organizações Globo.

A defesa da venda da companhia ao setor privado foi feita de forma explícita, no editorial “O ‘Petrolão’ e a privatização”, da revista à‰poca deste fim de semana. Assinado pelo jornalista Helio Gurovitz, o texto reflete a opinião dos irmãos Marinho sobre o tema. Eis um trecho:

“Nada mais oportuno, portanto, que aproveitar o período eleitoral para discutir este tema considerado tabu: a privatização da própria Petrobrás. Embora seja uma questão complexa e cheia de nuances, é absolutamente clara a força dos argumentos daqueles que a defendem. Eles se tornam ainda mais pertinentes num momento como este, em que fica a cada dia mais claro como o aparelhamento político resultou numa gestão corrupta, cujos efeitos sobre os cofres públicos poderão se revelar até maiores do que os do mensalão.”

Em sua campanha, justiça seja feita, o senador Aécio Neves nega a intenção de privatizar a Petrobrás. Ele fala, na verdade, em “desprivatizá-la”, tirando-a “das garras do PT”. Num eventual governo Aécio, a mudança esperada é a substituição do modelo de partilha, no pré-sal, pelo regime de concessões, semelhante ao adotado, por exemplo, no México.

A agenda da Globo, no entanto, é bem mais radical do que a do PSDB. Os Marinho, que sempre foram anti-Vargas e anti-nacionalistas, querem a privatização da Petrobrás. E usarão o chamado “petrolão” como argumento para a venda da maior empresa brasileira.

Leia mais

10 de outubro de 2014
por Esmael Morais
31 Comentários

Dilma defende valorização do salário mínimo e critica propostas do PSDB

via Agência Brasil

A candidata do PT à  reeleição, presidenta Dilma Rousseff, defendeu na quinta-feira (9) os atuais programas sociais e a política de valorização do salário mínimo. Sobre o último tema, ela citou o coordenador da área econômica da campanha do candidato Aécio Neves (PSDB), Armínio Fraga, a quem atribuiu conceito de que para resolver outros problemas da economia é preciso reduzir o salário mínimo.

Eles implicam com salário mínimo. Implicar com o salário mínimo é a maior característica desse senhor [Armínio Fraga] que foi presidente do Banco Central durante o [governo de] Fernando Henrique e que agora é aquele que aparece como sendo o eventual futuro ministro da Fazenda, que não vai ser. Ele acha que para resolver os problemas, eles têm que diminuir o salário mínimo. Isso é um escândalo. à‰ a típica proposta que fez com que esse país quebrasse três vezes!, disse em discurso durante ato político em Salvador.

Ao lado do governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), do governador eleito, Rui Costa (PT), e de outras lideranças do estado, Dilma disse que os governos do partido adversário nunca tiveram políticas para o desenvolvimento da Região Nordeste. Eles nunca tiveram um projeto para essa região. Nunca olharam para ela, deixaram anos e anos a fio sem investimento em infraestrutura, sempre usaram e abusaram da indústria da seca e não tentaram resolver o problema de fundo, que era garantir água, não de emergência, mas fazer com que o Nordeste convivesse com a seca, como nós estamos fazendo!.

A candidata também criticou declarações de lideranças do PSDB que associaram os votos no primeiro turno a candidatos do PT, principalmente nas regiões Norte e Nordeste, a eleitores pobres e menos informados!. Quando querem atribuir a minha votação e o primeiro lugar que obtive, falam: ‘Ah, votaram nesse projeto porque as pessoas que votaram não são qualificadas, são desinformadas, não sabem o que estão fazendo’. Não só agradeço, mas respeito extremamente essas pessoas, esses cidadãos que votaram em mim!.

A candidata disse que, no próximo dia 26 de outubro, estarão em confronto dois projetos distintos para o país e que o do PT diz que o Brasil tem que ser governado para todos os brasileiros, olhando com prioridade, com cuidado, para aqueles que mais precisam!. Dilma criticou o adversário por apontar ter sido o criador das ideias em que se baseiam atuais programas sociais, como o Bolsa Família. A pergunta que não quer calar e que todos fazemos: por que eles não fizeram isso antes quando puderam? O que explica que nunca fizeram um programa como o Minha Casa, Minha Vida? Ou Leia mais

10 de outubro de 2014
por Esmael Morais
53 Comentários

PT sofre bombardeio da velha mídia pró-Aécio a 15 dias das eleições

do Brasil 247
Atribui-se ao general alemão Erich van Mastein a criação da “blitzkrieg”, uma tática militar de guerra-relâmpago que consistia em agredir o inimigo em várias frentes, e de surpresa, até que ele fosse completamente desmoralizado e perdesse a capacidade de reação.

Algo semelhante está ocorrendo contra o Partido dos Trabalhadores, a 15 dias do segundo turno das eleições presidenciais. A partir do Jornal Hoje, da Rede Globo, exibido ontem, imagens e áudios do depoimento de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, começaram a ser vazados para a imprensa. Dali, espalharam-se para blogs, sites de notícias, portais e outros noticiários televisivos. Hoje chegaram à s manchetes dos principais jornais do País e, em breve, deverão estar nos programas eleitorais da oposição.

Nos processos de delação premiada, como o que envolve Paulo Roberto Costa e também o doleiro Alberto Youssef, os réus devem apresentar provas cabais do que dizem. Na realidade, deveriam dizer, apenas, o que são capazes de provar !“ caso contrário, a Justiça estaria estimulando eventuais ataques levianos e injustos à  reputações de terceiros.

Entretanto, o que se viu ontem foi um espetáculo midiático !“ quase um Big Brother. Outros diretores da Petrobras foram citados, além de 13 empresas, assim como o tesoureiro do PT, João Vaccari. A acusação principal é a de que o PT recolhia 3% do valor dos contratos da Petrobras em propinas !“ numa esquema já apelidado pela oposição de “petrolão”, para fazer um paralelo imediato com o chamado “mensalão”.

As provas… bom, elas ainda não foram apresentadas. Se isso acontecerá ou não, e quando, ninguém sabe. Mas o fato é que as consequências políticas das delações premiadas já foram alcançadas. O PT se vê novamente atingido por um escândalo de corrupção e, pela primeira vez, atrás do opositor Aécio Neves (PSDB-MG) nas pesquisas eleitorais, ainda que na margem de erro, dificilmente terá tempo para reagir.

De um lado, o presidente da legenda, Rui Falcão, fala em “acusações caluniosas”. O tesoureiro João Vaccari, assim como outros ex-diretores da Petrobras, anunciam processos judiciais contra seus delatores. O PT também alega que todas as doações eleitorais recebidas ocorreram dentro da lei.

A discussão jurídica, no entanto, pouco interessa. O que importa é o que acontecerá no dia 26 de outubro. E é possível que Paulo Roberto Costa e Alberto Yossef tenham decidido a disputa.

Leia mais

10 de outubro de 2014
por Esmael Morais
9 Comentários

Coluna do Ricardo Mac Donald: “Aécio x Dilma: quem errar menos, leva”

Ricardo Mac Donald, em sua coluna desta sexta-feira, analisa a polarização entre PT e PSDB, Dilma e Aécio, neste segundo turno presidencial; "quem errar menos, leva", observa colunista, que vê similaridade do sistema eleitoral brasileiro com o inglês e norte-americano; em ambos, há espaço para uma terceira via; Nos Estados Unidos, na década de 90, o multimilionário texano Ross Perot deu um suador no establishment ao alcançar 19% da votação, semelhante ao que aconteceu com a senadora Marina Silva!, relata o capitão do prefeito curitibano Gustavo Fruet; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Mac Donald, em sua coluna desta sexta-feira, analisa a polarização entre PT e PSDB, Dilma e Aécio, neste segundo turno presidencial; “quem errar menos, leva”, observa colunista, que vê similaridade do sistema eleitoral brasileiro com o inglês e norte-americano; em ambos, há espaço para uma terceira via; Nos Estados Unidos, na década de 90, o multimilionário texano Ross Perot deu um suador no establishment ao alcançar 19% da votação, semelhante ao que aconteceu com a senadora Marina Silva!, relata o capitão do prefeito curitibano Gustavo Fruet; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Mac Donald*  ... 

Leia mais