Gleisi entra com ação para que Richa explique repasses a 13 jornais que enaltecem governo

A coligação da candidata ao governo Gleisi Hoffmann (PT) protocolou ação na Justiça Eleitoral contra o governador-candidato Beto Richa (PSDB) por abuso de poder econômico e político, além de uso indevido dos meios de comunicação. São relacionados na ação treze jornais que recebem recursos do governo e tratam Beto Richa de maneira privilegiada na sua linha editorial despertando suspeita.

A coligação da candidata ao governo Gleisi Hoffmann (PT) protocolou ação na Justiça Eleitoral contra o governador-candidato Beto Richa (PSDB) por abuso de poder econômico e político, além de uso indevido dos meios de comunicação. São relacionados na ação treze jornais que recebem recursos do governo e tratam Beto Richa de maneira privilegiada na sua linha editorial despertando suspeita.

A coligação Paraná Olhando pra Frente entrou na Justiça Eleitoral com uma ação contra o candidato à  reeleição, governador Beto Richa (PSDB), por abuso de poder político, econômico e uso indevido dos meios de comunicação.

São citados 13 jornais que vêm recebendo recursos do governo do estado e sistematicamente dispensam tratamento privilegiado a Beto Richa em seu conteúdo editorial.

Os jornais são: Diário do Noroeste (Paranavaí); Diário do Norte (Maringá); O Presente (Marechal Cândido Rondon); O Paraná, Hoje e Tribuna do Povo (Cascavel); Folha de Londrina (Londrina); Diário dos Campos (Ponta Grossa); Diário de Guarapuava e Diário do Sudoeste (Guarapuava e Pato Branco); Gazeta do Paraná (Cascavel); Jornal de Beltrão (Francisco Beltrão); Gazeta Regional (Goioerê).

O Governo Beto Richa, conforme afirma o próprio Tribunal de Contas, aumentou em 668% os gastos com publicidade.!  Não surpreende, portanto, o tratamento dispensado por alguns jornais ao candidato à  reeleição. Esse jornais que indicamos na ação receberam mais de R$ 5 milhões da atual administração!, explica o coordenador jurídico da coligação Paraná Olhando pra Frente, Luiz Fernando Pereira.

Caso seja condenado, o atual governador está sujeito inclusive a cassação do registro de candidatura. Na hipótese do julgamento ocorrer após a eleição e o governador for reeleito, estará sujeito a cassação do mandato.

Comentários encerrados.