Por Esmael Morais

Coluna do Rocha Loures: O jovem, a tecnologia e a participação política

Publicado em 21/09/2014

Rocha Loures, em sua coluna deste domingo, aponta contradição da juventude que foi protestar nas ruas em junho de 2013, extremamente conectada à s redes sociais, com sua desmotivação com a política em 2014; A maioria prefere mesmo os videogames!, constata o colunista com certa decepção; de acordo com Rocha Loures, recente estudo detectou que somente 21% dos jovens brasileiros buscam informações sobre política na internet; Ora, a desilusão é compreensível. O Brasil precisa de muito para melhorar, em Educação, Infraestrutura, Saúde e Transportes. Precisa promover reformas fundamentais, a começar pela Reforma Política e pela implantação do voto distrital!, defende o empresário, que ainda opina: A desmotivação não promoverá as mudanças e é sobre isso que o nosso eleitor, jovem ou velho, necessita refletir!; leia o texto e compartilhe.

Rocha Loures, em sua coluna deste domingo, aponta contradição da juventude que foi protestar nas ruas em junho de 2013, extremamente conectada à s redes sociais, com sua desmotivação com a política em 2014; A maioria prefere mesmo os videogames!, constata o colunista com certa decepção; de acordo com Rocha Loures, recente estudo detectou que somente 21% dos jovens brasileiros buscam informações sobre política na internet; Ora, a desilusão é compreensível. O Brasil precisa de muito para melhorar, em Educação, Infraestrutura, Saúde e Transportes. Precisa promover reformas fundamentais, a começar pela Reforma Política e pela implantação do voto distrital!, defende o empresário, que ainda opina: A desmotivação não promoverá as mudanças e é sobre isso que o nosso eleitor, jovem ou velho, necessita refletir!; leia o texto e compartilhe.

*Rodrigo da Rocha Loures

Os jovens estão mais conectados do que nunca. à‰ como se as novas gerações já nascessem com um chip que as orienta e instrui sobre tecnologias, interatividade, compartilhamento de conteúdo e acesso à  informação. A força dessa conexão, presenciamos intensamente com os movimentos de rua que explodiram no país, principalmente no ano passado. Pela internet manifestações foram organizadas, planejadas e encorpadas.

O jovem tem energia, vitalidade, capacidade e espírito empreendedor. Mas na mesma proporção em que concentra vontade, também demonstra desilusão com a classe política. Percebemos isso, de maneira direta ou indireta. Recente pesquisa do Instituto Akatu, que trabalha com mobilização para o consumo consciente, revelou que menos de 10% dos adolescentes aptos a votar têm algum interesse no debate político.

A maioria prefere mesmo os videogames. E olha que a pesquisa não fez distinção social, entrevistou moças e rapazes das mais diversas classes econômicas. Outros levantamentos mostram sinais semelhantes, e da mesma forma, pouco animadores. Pesquisa do Instituto Data Popular, com 3,5 mil eleitores entre 16 e 33 anos, acusou que mais da metade desse universo jovem ainda estava indeciso ou disposto a anular o voto, na ocasião das entrevistas.

O estudo mais recente, intitulado Juventude Conectada!, da Fundação Telefônica Vivo, detectou que somente 21% dos jovens brasileiros buscam informações sobre política na internet. O tema ficou em penúltimo lugar de interesse no mundo digital, à  frente apenas do assunto decoração.

Ora, a desilusão é compreensível. O Brasil precisa de muito para melhorar, em Educação, Infraestrutura, Saúde e Transportes. Precisa promover reformas fundamentais, a começar pela Reforma Política e pela implantação do voto distrital. A comunicação entre as agremiações partidárias e o público jovem tampouco é efetiva, as linguagens são diferentes.

Porém é preciso compreender que todo esse processo começa nas urnas. A desmotivação não promoverá as mudanças e é sobre isso que o nosso eleitor, jovem ou velho, necessita refletir. Entre as nações com certo grau de desenvolvimento, o Brasil é o mais burocrático para empreender. Isso tem que acabar e o início dessa transformação está na política. à‰ imperativo votar e escolher com critérios e coerência nossos candidatos.

*Rodrigo da Rocha Loures é empresário, ex-presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) e presidente do Conselho Deliberativo do Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade (IBQP).