Veja essa: Professores aprovados em concurso do Estado terão de provar que não são “doidões”

O concurso público do magistério estadual entrou na fase em que os aprovados estão sendo chamados a realizar uma série de avaliações médicas para finalmente assumirem os cargos e começarem a trabalhar. Mas um dos testes é motivo de polêmica, a avaliação psiquiátrica. Para assumirem os cargos como professores, os concursados terão que provar que não são doidos.

O concurso público do magistério estadual entrou na fase em que os aprovados estão sendo chamados a realizar uma série de avaliações médicas para finalmente assumirem os cargos e começarem a trabalhar. Mas um dos testes é motivo de polêmica, a avaliação psiquiátrica. Para assumirem os cargos como professores, os concursados terão que provar que não são doidos.

Os professores aprovados no concurso público do magistério estadual estão sendo chamados a realizar uma série de exames médicos com a finalidade de avaliar se estão aptos a assumirem as vagas pleiteadas. A avaliação psiquiátrica, um dos exames exigidos, está causando grande polêmica entre os aprovados. O que parece estar por trás dessa avaliação é o fato de o exercício do magistério no Estado causar uma série de doenças de carácter psicólogo e psiquiátrico. Essa avaliação psiquiátrica! já foi notícia no Blog do Esmael quando o governo encomendou o concurso.

Muitos dos aprovados já trabalham como professores no Estado e disso surge um questionamento: a avaliação psiquiátrica não seria uma forma de excluir do processo um contingente de educadores que está doente justamente por causa do exercício do magistério? Ou seja, na verdade, os problemas de saúde mental que afetam frequentemente os profissionais da educação são de caráter ocupacional, aqueles causados pelo próprio exercício da profissão devido à s péssimas condições de trabalho oferecidas aos profissionais dessa área.

A APP !“ Sindicato, entidade que representa os profissionais da educação do Estado, já identificou que é muito alto o índice de profissionais afastados de suas funções por doenças ocupacionais de origem psiquiátrica.!  O Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Paraná (Nesc/UFPR), em parceria com a APP, iniciou em 2012 um estudo! envolvendo equipe multidisciplinar para entender os fatores motivadores dos processos de adoecimento de professores da rede pública estadual de ensino com sofrimento mental, assim como verificar a sua relação com o trabalho.

Para obter dados que ajudem a entender essa questão, a APP !“ Sindicato está realizando uma pesquisa sobre a saúde mental dos professores. Mas, mesmo antes de se obter dados precisos, é evidente que as condições de trabalho precárias, jornadas excessivas, baixos salários, forte pressão por parte dos superiores, violência nas escolas, entre outros fatores, causam uma série de problemas psicológicos/psiquiátricos. O Governo não divulga os dados sobre afastamentos de profissionais para tratamento e aposentadoria por invalidez, mas fontes internas da SEED afirmam que os números são assustadores.

Agora, os novos professores e pedagogos vão ter que prestar exame pra provar que não são doidos. Tudo bem que é preciso zelar pela integridade dos estudantes e demais profissionais, mas o que parece mesmo é que o Governo quer garantias de que os novos educadores aguentem o rojão e demorem mais para enlouquecer.

23 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Como distorcem as coisas… Site rotulado

  2. Não há mal nenhum nisso, ainda mais em se tratando de profissionais que irão lidar com crianças. Há muitos anos os professores das Universidades Federais fazem exame psicológico (chamam de “entrevista”) durante o processo de admissão e ninguém questiona.

    Estão procurando pelo em ovo…

  3. E qual o problema? Há muitos professores inaptos para a função devido a patologias desse tipo… A educação ganha com isso.

  4. Esse ato é abusivo, atenta contra o direitos humanos; contra a dignidade da pessoa; e, contra os direitos fundamentais no que diz respeito ao direito ao trabalho. MP vamos levantar questão?

  5. Essa ‘matéria’ foi a maior piada que eu li. O cara que escreveu não pode ter falado sério. Me recuso a acreditar que um cara que defende a educação fale um absurdo desses.

  6. Impossível provar que não é doidão…
    só pelo fato de ser professor já é prova da insanidade

  7. Se o problema é o exame!!! e se a maioria dos candidatos ja é professor da rede e adquiriram problemas na rede pública!!!! Então porque estão fazendo concurso para novo padrão??? O negócio não esta tão ruim assim pelo jeito, está certo o estado dar um novo padrão pro sujeito de aposentar rapidinho????

  8. O difícil no final mesmo e pagar por 4 consultas com médicos, pois o comprovante de saúde tem que ser de especialista na área, foras os de sangue e audição.

  9. Valter Barelli deixa disso, porque mais louco é que está a fim de reeleger este governo INCOMPETENTE. Que deixa policia sem gasolina, tenta leiloar uma reserva ecológica e ainda mete as mãos pelos pés no orçamento. A você eu te aconselho, VÁ SE INTERNAR EM UM MANICÔMIO. pois você já está fora da casinha.

  10. Tem sim que exigir, pois já pensou se passa um pedófilo? A Gleisi deveria ter feito isto para sua assessoria. Quanto maior o cuidado na contratação, aliás, de qualquer servidor público, está corretíssimo. Professor, como policial, por exemplo, lida com bens muito preciosos, e por isso precisa ser pessoa do bem.

  11. Devia ser exigido pra candidato a governador. Tem um que estaria fora, automaticamente.

  12. O professor não é doido no início da carreira. Ele fica doido depois, devido às más condições de trabalho.
    Caro Esmael, o que os candidatos vão ter que pagar por estes exames vai dar uns dois meses de salário.

  13. Essa exigência deveria ser obrigatória para o eleitor, tambem, o que tem de doido votando em malandros e corruptos não tá no gibi.

  14. Não vejo problema na solicitação dos exames, pois já constava no Edital e é solicitado para as demais funções no serviço público. Se for detectado algum problema, e já for professor, então o Estado terá que aposentá-lo, pois adquiriu a doença no exercício da função.O que eu questiono é o tempo para a entrega dos exames; SENDO que o SUS/SAS, não funciona. Então promotoria neles…

  15. Desde a década de 1980 esse exame sempre foi exigido em todos os concursos públicos. E para qualquer cargo. Na iniciativa privada é assim também.

  16. Tem uma forma bem mais fácil. Só perguntar se vota na Dilma, se sim já automaticamente indica que é doidão. hahahahahah