“Richa ordenou despesa de R$ 100 milhões sem empenhar orçamento”, denuncia Requião

Compartilhe agora

O senador Roberto Requião adiantou neste sábado (9) que vai denunciar o governador Beto Richa à  Justiça por autorizar obra de duplicação da PR-445, entre Cambé e Londrina, sem prévio empenho no orçamento; segundo o peemedebista, o concorrente tucano cometeu "crime" ao assinar ordem de serviço de R$ 100 milhões sem a rubrica necessária. "Isso é crime, dá cadeia", disse em tom de gravidade. As empreiteiras Triunfo e Sanches Tripolini executam o trecho de 17 km desde outubro de 2012.
O senador Roberto Requião adiantou neste sábado (9) que vai denunciar o governador Beto Richa à  Justiça por autorizar obra de duplicação da PR-445, entre Cambé e Londrina, sem prévio empenho no orçamento; segundo o peemedebista, o concorrente tucano cometeu “crime” ao assinar ordem de serviço de R$ 100 milhões sem a rubrica necessária. “Isso é crime, dá cadeia”, disse em tom de gravidade. As empreiteiras Triunfo e Sanches Tripolini executam o trecho de 17 km desde outubro de 2012.
O senador Roberto Requião (PMDB), candidato ao Palácio Iguaçu, neste sábado (9), ao Blog do Esmael, denunciou que o governador Beto Richa (PSDB) ordenou as obras de duplicação da PR-445, no trecho de 17 km entre Cambé e Londrina, sem prévio empenho e reserva no orçamento como prevê a lei.

Segundo o peemedebista, Richa autorizou ordem de serviço de R$ 100 milhões sem possuir rubrica no orçamento do estado. “Não tem empenho, portanto, não tem como pagar. A obra começou sem rubrica. Isso é crime e dá cadeia”, disse.

Requião adiantou que denunciará o governador do PSDB à  Justiça, nesta semana, por improbidade administrativa. “Ele condicionou a obra nos empréstimos, mas não fez o empenho dos recursos como determina a lei”.

De acordo com a jurisprudência, a deflagração de obra pública sem prévio empenho ou disponibilidade financeira caracteriza improbidade administrativa.

Duas empreiteiras executam a duplicação da PR-445 desde outubro de 2012. A Sanches Tripoloni, de Maringá, e a Triunfo, de Curitiba.

Comments are closed.