Richa e Requião travam a ‘Batalha do Asfalto’, que vai parar no Ministério Público do Paraná

Enquanto o governador Beto Richa atribuiu ao antecessor a paralisação de obras no Paraná, Requião pede providências ao Ministério Público acerca da ausência do prévio empenho e a reserva no orçamento, como prevê a lei, na ordem de serviço de R$ 100 milhões  autorizada pelo tucano sem possuir rubrica; Não tem empenho, portanto, não tem como pagar. A obra começou sem rubrica. Isso é crime e dá cadeia!, disse; abaixo, leia a íntegra da representação do senador do PMDB.

Enquanto o governador Beto Richa atribuiu ao antecessor a paralisação de obras no Paraná, Requião pede providências ao Ministério Público acerca da ausência do prévio empenho e a reserva no orçamento, como prevê a lei, na ordem de serviço de R$ 100 milhões autorizada pelo tucano sem possuir rubrica; Não tem empenho, portanto, não tem como pagar. A obra começou sem rubrica. Isso é crime e dá cadeia!, disse; abaixo, leia a íntegra da representação do senador do PMDB.

O governador Beto Richa (PSDB), candidato à  reeleição, e o senador Roberto Requião (PMDB), que tenta ocupar o Palácio Iguaçu pela quarta vez, travam no Paraná a “Batalha do Asfalto”. Não há dia que eles ficam sem trocar farpas! em público.

Nesta terça-feira (12), em Prudentópolis, por exemplo, em entrevista ao repórter à‰lio Kohut, da Rádio Najuá, o tucano não soube responder sobre a retomada da obra na PR-160. Ele afirmou que foi pego de surpresa e de cabeça!, não saberia responder, pois são várias obras em andamento.

Temos cerca de 350 km de duplicação de estradas em todo o Paraná. Enquanto não foi feito em oito anos anteriores nem 10% disso”, bateu, referindo-se à  gestão de Requião (2003-2010).

Denúncia no Ministério Público

Por sua vez, Requião contra-atacou hoje ao formalizar no Ministério Público do Paraná (MP) denúncia de irregularidades nas obras de duplicação da PR-445, no trecho de 17 km entre Cambé e Londrina.

Segundo documento levado pelo senador ao Procurador-Geral da Justiça, Gilberto Giacoia, empreiteiras responsáveis, Sanches Tripoloni, de Maringá, e a Triunfo, de Curitiba, já teriam iniciado as obras, entretanto, o governo do estado não fez o prévio empenho e a reserva no orçamento como prevê a lei.

“As despesas já efetuadas sem o correspondente empenho representariam o importe de aproximadamente 100 milhões”, diz um trecho da representação ao MP.

Além disso, Requião fez um pedido de informações — via Senado — direto a Richa sobre essa a PR-445.

No sábado (9), ao Blog do Esmael, o senador do PMDB havia adiantado que faria a denúncia porque Richa autorizou ordem de serviço de R$ 100 milhões sem possuir rubrica no orçamento do estado. Não tem empenho, portanto, não tem como pagar. A obra começou sem rubrica. Isso é crime e dá cadeia!, disse.

Leia a íntegra da representação no Ministério Público do Paraná:

http://www.esmaelmorais.com.br/wp-content/uploads/2014/08/Repres_MPPR.pdf

Comentários encerrados.