OIT e UGT lançam Fórum Tripartite contra o Trabalho Escravo

Publicado em 21 agosto, 2014
A Organização Internacional do Trabalho (OIT) em conjunto com a União Geral dos Trabalhadores (UGT) lançam nesta sexta-feira (22) em Foz do Iguaçu o Fórum Tripartite contra o Trabalho Escravo. Evento vai reunir autoridades, representantes do terceiro setor e lideranças sindicais do Brasil, Argentina e Paraguai em defesa do Trabalho Decente.
A Organização Internacional do Trabalho (OIT) em conjunto com a União Geral dos Trabalhadores (UGT) lançam nesta sexta-feira (22) em Foz do Iguaçu o Fórum Tripartite contra o Trabalho Escravo. Evento vai reunir autoridades, representantes do terceiro setor e lideranças sindicais do Brasil, Argentina e Paraguai em defesa do Trabalho Decente.

Representantes sindicais do Brasil, Argentina e Paraguai estarão reunidos em Foz do Iguaçu nesta sexta-feira(22), à s 15 horas, no plenário da Câmara de Vereadores a fim de oficializarem a instalação do Fórum Tripartite contra o Trabalho Escravo. O evento concretiza uma série de reuniões realizadas ao longo do ano na sede do Sinecofi (Sindicato dos Comerciários de Foz do Iguaçu), representado pelo seu presidente, vereador Zé Carlos Neves, quando estiveram reunidos líderes sindicais nacionais e internacionais.

O encontro tem como pauta a oficialização do ingresso do Brasil como membro do Fórum Tripartite (Brasil, Argentina e Paraguai) no enfrentamento de problemas comuns aos membros fronteiriços: trabalho escravo, exploração de menores, crescimento do trabalho informal, falta de representatividade legal ao trabalhador, entre outros. O ato representa o fortalecimento da representatividade dos trabalhadores, em busca de políticas e ações multilaterais para fazer valer a produção e o trabalho e garantir o funcionamento da proteção social!, destaca o sindicalista Zé Carlos.

O presidente nacional da UGT !“ União Geral dos Trabalhadores, Ricardo Patah, em seu discurso na Conferência da Organização Internacional do Trabalho (OIT), em Genebra, alertou: Nós não aceitamos nenhum retrocesso quanto à s conquistas obtidas. Não aceitamos também que a crise econômica atual sirva de desculpas para solapar direitos trabalhistas e sociais. O momento exige uma alternativa que valorize a produção, o trabalho decente, a rede de proteção social, a qualidade de vida e a transição para uma economia sustentável. Para tanto, os governos e as instituições multilaterais devem abandonar o receituário único com o qual vem sendo gerenciada a crise, repleto de medidas centradas na austeridade fiscal para os povos e para a economia real. O resultado é mais recessão, mais desemprego, menos renda, menos consumo, menos produção, menos investimento e o aumento do desespero social!.

O presidente da FECEP – Federação dos Empregados no Comércio do Paraná !“, Vicente da Silva, reforça: O trabalho forçado, ao lado do trabalho infantil, é a antítese maior do trabalho decente. Ele não ocorre apenas nos países pobres ou em desenvolvimento, ou na economia formal: essa atividade faz parte das cadeias produtivas nacionais e multinacionais, sendo extremamente lucrativa. O combate exige compromisso e ações pontuais!.

Por sua vez, o presidente da UGT-PARANà, Paulo Rossi, destaca a importância e o trabalho que a UGT e demais centrais sindicais vem realizando em prol do Trabalho Decente. Segundo o sindicalista, foi em 1999, durante a 87!ª Conferência Internacional da OIT – Organização Internacional do Trabalho, realizada em Genebra-Suiça, que ficou definido o conceito de Trabalho Decente: à‰ o trabalho remunerado, exercido em condições de equidade, liberdade e segurança e capaz de garantir uma vida digna. “à‰ justamente seguindo esse conceito que a UGT e seus sindicatos filiados vem pautando suas bandeiras de luta, defendendo um sindicalismo cidadão, ético e inovador”, concluiu Rossi.

Presenças

Estarão presentes ao evento: Ricardo Patah – presidente nacional da União Geral dos Trabalhadores (UGT); Vicente da Silva !“ presidente da Federação dos Empregados no Comércio do Paraná (FECEP), Paulo Rossi !“ presidente UGT/Paraná; Rubens Cortina – representante da UNI América – braço da Uni Sindicato Global*!  e presidente da Faecys ( Federação Argentina dos empregados no comércio e serviços); sindicalistas da região de Missiones, na Argentina; sindicalistas da região do Alto paraná (Paraguai), além de representantes sindicais brasileiros.

O Fórum Tripartite se organiza em torno de quatro prioridades: Mais e Melhor Educação; Conciliação entre estudos, trabalho e vida familiar; Inserção digna e ativa no mundo do trabalho; Diálogo social. Por isso, o lançamento contará com a participação de autoridades do Executivo, Legislativo e Judiciário da região trinacional, assim como lideranças religiosas e entidades do terceiro setor (Ongs) que lutam contra a exploração do trabalhador.

Serviço: ! Fórum Tripartite contra o Trabalho Escravo
Local: ! Câmara Municipal de Foz do Iguaçu
Travessa Oscar Muxfeldt, 81, Centro
Data: 22/08, sexta – Horário: 15h

Comments are closed.