Gustavo Fruet enfrentará nova greve de professores a partir de 11 de agosto

Nova greve de professores poderá atrapalhar os planos de Fruet com a campanha da petista Gleisi Hoffmann; categoria decretou paralisação a partir de 11 de agosto por tempo indeterminado pela implantação imediata do novo Plano de Carreira das professoras e professores da rede municipal de Curitiba.Plano de Carreira das professoras e professores da rede

Nova greve de professores poderá atrapalhar os planos de Fruet com a campanha da petista Gleisi Hoffmann; categoria decretou paralisação a partir de 11 de agosto por tempo indeterminado pela implantação imediata do novo Plano de Carreira das professoras e professores da rede municipal de Curitiba.Plano de Carreira das professoras e professores da rede

O prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), vai enfrentar nova greve do magistério municipal de Curitiba a partir do dia 11 de agosto. A decisão foi tomada em assembleia no dia 31 de julho, com o Centro de Convenções de Curitiba lotado. A principal reivindicação que motiva a greve da categoria é a redução do prazo de implantação do novo Plano de Carreira das professoras e professores da rede.

A paralisação dos mestres curitibanos poderá atrapalhar o plano de Fruet, que é alavancar o nome da senadora Gleisi Hoffmann (PT) na disputa pelo governo do Paraná.

O Plano de Carreira da categoria está sendo discutido desde maio de 2013, após o encerramento da Campanha de Lutas do ano passado. O projeto de lei foi enviado pela Prefeitura à  Câmara Municipal no dia 1!° de julho, entretanto, não há consenso em relação ao prazo de, no mínimo, dois anos estabelecido pela administração municipal para implantação integral do novo Plano.

O incentivo a formação continuada e um plano de carreira que valorize o profissional do magistério é também uma forma de contribuir com a melhoria da educação pública do município.

As professoras e professores da rede estão sem aumento real há dois anos. A argumentação da Prefeitura para conceder apenas o reajuste da inflação de 5,38% esse ano foi de que como o Plano de Carreira seria implantado, não seria possível discutir aumento real para a categoria.

Greve do início do ano

A greve do dia 17 de março desse ano conquistou o enquadramento por tempo de serviço, reivindicação histórica da categoria, que sofreu duras perdas em 2001, quando o atual Plano de Carreira foi implantado. Em 2001, a administração municipal da época fez o enquadramento dos profissionais do magistério por salário similar, o que achatou a remuneração de toda a categoria e fez com professores com dez anos de diferença recebessem salários quase equivalentes.

Comentários encerrados.