Coluna do Ricardo Mac Donald: Regalias no judiciário

Ricardo Mac Donald, em sua coluna desta sexta, aborda a questão da Superestrutura do Estado, cujo tema se desdobrará em vários capítulos; colunista constata que o Brasil é o país que paga os melhores salários para o Judiciário, Ministério Público e Tribunais de Conta; nessas superestruturas estão os melhores salários, as maiores aposentadorias, regalias como 60 dias de férias e mais 20 dias de recesso no final do ano, auxílios variados, imunidade e estabilidade de emprego!, afirma. Mac Donald ainda chama à  reflexão: O País é suficientemente rico para suportar esse gasto e ainda fazer frente à s questões de Saúde, Segurança, Educação e Mobilidade?!; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Mac Donald, em sua coluna desta sexta, aborda a questão da Superestrutura do Estado, cujo tema se desdobrará em vários capítulos; colunista constata que o Brasil é o país que paga os melhores salários para o Judiciário, Ministério Público e Tribunais de Conta; nessas superestruturas estão os melhores salários, as maiores aposentadorias, regalias como 60 dias de férias e mais 20 dias de recesso no final do ano, auxílios variados, imunidade e estabilidade de emprego!, afirma. Mac Donald ainda chama à  reflexão: O País é suficientemente rico para suportar esse gasto e ainda fazer frente à s questões de Saúde, Segurança, Educação e Mobilidade?!; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Mac Donald*

Quando se fala em organização do Estado, sempre se tem em mente o equilíbrio entre os Poderes e o seu funcionamento para o bem comum.

Fustel de Coulanges, em seu livro A Cidade Antiga!, demonstra que o governo nasceu quando se formaram as cidades, porque o ser humano sentiu que precisava de um órgão diretor para regular e coordenar os esforços de todos na vida em comum.

Mais de 5 mil anos se passaram, chegamos ao nosso Brasil, e surge uma grande pergunta: é certo o país suportar o custo de uma superestrutura que gasta quase 20% da receita da União e dos Estados?

Se observarmos os comparativos, regularmente apresentados pela imprensa, constatamos que o Brasil é o país que paga os melhores salários para o Judiciário, Ministério Público e Tribunais de Conta. E o nivelamento nesses órgãos é feito sempre pelo teto, nunca pela base, fazendo com que as diferenças entre níveis hierárquicos seja quase simbólica.

Nota-se também que nessas superestruturas estão os melhores salários, as maiores aposentadorias, regalias como 60 dias de férias e mais 20 dias de recesso no final do ano, auxílios variados, imunidade e estabilidade de emprego.

O País é suficientemente rico para suportar esse gasto e ainda fazer frente à s questões de Saúde, Segurança, Educação e Mobilidade?

Vejamos no próximo capítulo.

*Ricardo Mac Donald Ghisi é advogado, secretário Municipal de Governo de Curitiba. Escreve à s sextas no Blog do Esmael.

12 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. O SR. MAC DEVERIA MESMO É SE PREOCUPAR EM MODERNIZAR A SUA METODOLOGIA DE COMPRA NA PREFEITURA DE CURITIBA.

    Eles tem um portal de compras eletrônico, mas os fornecedores ainda precisam imprimir as certidões emitidas via internet, como a do FGTS, gastar sola de sapato e levar para eles, porque eles não aceitam de outra forma, aliás eles mesmos poderiam promover diligências e tirar eles mesmos.
    A PREFEITURA DE CURITIBA TEM UM SISTEMA DE GESTÃO EM COMPRAS DA IDADE DA PEDRA, UM DOS MAIS ATRASADOS DO BRASIL.

  2. Afinal de contas, do que entende o nobre colunista? Não está bem claro até agora, sobre o que ele escreve aqui no BLOG. Cada semana ele aborda um tema diferente. Já falou de celular, de ET(amigo do Picler), de copa do mundo mas o que ele mais falou foi Marcelo Araujo. Seria bom na verdade que ele fizesse o feijão com arroz que lhe exige o cargo de secretário de governo da prefeitura,pois ficar nomeando apadrinhados que não cumprem horário e nem aparecem para trabalhar não o capacita como gestor público. O colunista deveria ser mais objetivo em sua coluna de hoje. O que o motivou a escrever sobre o tema no dia de hoje? Com qual propósito? Apenas divagar? Filosofar? Por acaso ele como secretário de governo também gostaria de possuir as regalias dos nobres juristas? Ou algum processo do qual algum apadrinhado faça parte sofreu alguma movimentação que o dasagradou? Vamos aguardar novas colunas a respeito, se é que ele voltará ao tema né.

    • No topo da cadeia alimentar temos o Judiciário,esta casta abjeta e cheia de “mimos” inexplicáveis, julgando em causa própria, e/ou deferências especiais ao Poder Executivo e Legislativo.
      O Legislativo, logo abaixo, legisla em causa própria,
      na maioria das vezes cooptado pelo executivo, e
      oportunamente com deferências especiais ao Poder
      Judiciário.
      Ao Executivo cabe administrar e executar o achaque
      sobre os setores produtivos e classes trabalhadoras,
      que são os que sustentam as castas privilegiadas
      acima, e também os desvalidos abaixo.
      Na base da cadeia alimentar ficam os dependentes
      das bolsas, dos seguros desempregos, e das quotas.
      A estes dependentes o Executivo dispensa uma
      educação de 5ª categoria, uma saúde idem, e uma
      segurança… que segurança?
      É sem segurança mesmo!
      E assim eles são mantidos dentro dos currais
      eleitorais, reféns da própria ignorância e
      pobreza, e dessa forma viabilizam a perpetuação
      dessa cruel ” cadeia alimentar”.
      Chegam as eleições, a Copa, as Olimpíadas, o
      Ano Novo, e eles sempre tem a esperança de que os
      seus sonhos se realizarão e tudo vai melhorar.
      Políticos e demagogos em geral os incentivam
      dizendo: não percam a esperança, estamos
      trabalhando para melhorar a vida de todos.
      Claro, né! Não querem perder o seu “curral”.
      E se esse povo + o setor produtivo e a classe
      trabalhadora descobrem que não tem perspectiva
      de melhora, que as coisas piorarão, e que o
      achaque para bancar os privilégios ainda vai
      aumentar, o resultado que teremos disso será
      uma revolta explosiva, uma revolta de baixo para
      cima.
      Essa revolução será tão mais radical, quanto mais
      comprimirem a mola, e será o único caminho para
      as reais reformas tributária, tributária, e
      institucional que o país precisa.
      Adeus mimos, benesses, mordomias, e privilégios.
      Nossa “corruptocracia” está custando muito caro.

      • ERRATAS.
        Na 2ª linha: e/ou COM deferências especiais…
        Na 4ª linha de baixo para cima: reformas
        tributária, POLÍTICA, e institucional…
        Bom tema Ricardo, não aceite bitola, ser eclético
        incomoda algumas cabeças.
        O tema deveria ser objeto de exposição e polêmica
        em todas as mídias.

  3. Também felicito o colunista. Poucos tem coragem de falar sobre este assunto, mas é este assunto que vai quebrar o País. A máquina pública cada dia mais consome os recursos do setor produtivo. Não há imposto que chegue para pagar os gastos dos três poderes. Temos aí o Ministério Público querendo admitir mais 80 pessoas com os mais altos salários e benesses, ao invés de trabalharem mais. O Judiciário, com suas férias e recessos é um acinte à sociedade pagadora de impostos e que mal e mal tem férias de 20 dias. Enquanto os aposentados têm um teto máximo que vem sendo reduzido aos poucos, essas classes privilegiadas se aposentam com o que estão ganhando. Haja dinheiro prá tudo isso.

  4. Parabéns pela reportagem. Acredito em muito mais que 20% considerados desvios, incompetência, perdas diversas para todos, etc. Já passamos do limite faz tempo e continuam aumentando vereadores, comissionados, benesses e regalias. Agora querem criar mais cidades com mais vereadores, mais comissionados, mais tudo. Aí sobre para o trabalhador comum. Exemplo prático e a constante diminuição da aposentadoria do trabalhador inss que se vê subtraído e traído pois fatores previdenciários e suas variações. Também são traídos os empresários decentes que não veem investimentos necessários para fazer suas empresas crescer.

  5. O melhor secretario de governo deste lado do Atlântico, tão preocupado com as superestruturas do Estado, que abriu mão de seu salário e promete acabar com as super secretarias do Gustavo.

    Quando o Gustavo for governador, logo logo, o Ricardo irá revolucionar a administração do Estado…

  6. Deve ser por isto que o cidadão esta a pleitear sua aposentadoria como “juiz”classista?

  7. …,PARABÉNS,APARECEU UM MACHO PARA ABRIR Á GRANDE PANDORA DESTE PAÍS…,POVO NAS RUAS E REFORMA DESTE ANTRO DE MALÁCOS…,ACORDA BRASIL!!!

  8. …,QUEM TEM JUIZO SABE,O JUDICIÁRIO(?),DESTE PAÍS É,PRECONCEITUOSO,FACISTA E,GOLPISTA…,REFORMA DO JUDICIÁRIO,JÁ!!! ACORDA BRASIL!!!

  9. Além de receber os maiores salários o Judiciário ainda é corrupto, basta ver que em Minas a turma do Aécio pode tudo e a justiça só engaveta as acusações contra os Neves.

  10. Consta numa placa na Rua Marechal Hermes, em frente ao Museu Oscar Niemayer que a obra do Ministério Público será de R$ 50 milhões. Por que custa tão caro as obras do judiciário. Serve igual pergunta pra INFRAERO, onde construir 500 m de pista em qualquer aeroporto custa 20 vezes mais que 50 km de asfalto em qualquer estrada.