20 de agosto de 2014
por esmael
3 Comentários

Ibope registra pesquisa no Paraná

A RPCTV/Globo contratou a primeira pesquisa do Ibope sobre a corrida pelo governo do Paraná. O instituto vai entrevistar 1.008 eleitores no estado entre os dias quinta (21) e segunda-feira (25) ao custo de R$ 60.480,00.

De acordo com o registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o Ibope vai investigar no estado a intenção de voto para Presidência, Governo e Senado.

Esta será a segunda sondagem de abrangência estadual encomendada pela RPCTV, já com o impacto do início do horário eleitoral no rádio e na televisão.

A primeira do Datafolha foi divulgada na última sexta-feira (15), onde o governador Beto Richa (PSDB) apareceu com 39% e o senador Roberto Requião (PMDB) tem 33%, o que configura empate técnico dentro da margem de erro de três pontos para mais ou para menos.

A senadora Gleisi Hoffmann (PT) ficou em terceiro lugar com 11%.

Para o Senado, àlvaro Dias (PSDB) tem 57%, Ricardo Gomyde (PCdoB) 4%, Professor Piva (PSol) e Marcelo Almeida (PMDB) com 3%.

Mauri Viana (PRP) soma 2% das intenções de voto. Adilson Senador da Família (PRTB) e Luiz Barbara (PTC) têm 1% cada.

20 de agosto de 2014
por esmael
6 Comentários

Richa sofre mais uma(!) condenação, agora por propaganda ilegal e antecipada, com dinheiro público

O candidato à  reeleição, governador Beto Richa (PSDB), foi condenado ao pagamento de multa de R$ 17 mil por propaganda eleitoral antecipada, paga pelos cofres do Governo do Estado do Paraná. A decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/PR) atende a pedido da coligação Paraná Olhando Pra Frente, que tem Gleisi Hoffmann como candidata à  governadora. ! O secretário de Estado da Comunicação Social, Marcelo Catani, também recebeu multa no mesmo valor.

Em 30 de junho de 2014, um dia após a convenção do PSDB apontar Richa como candidato à  reeleição, circulou em Curitiba um caderno publicitário de 50 páginas, encartado e distribuído gratuitamente junto com os 30 mil exemplares da edição do Jornal Metro.

Além de condenação, o TRE determina ainda que cópias do processo sejam encaminhadas ao Ministério Público para que o órgão avalie a possibilidade de mover uma ação por improbidade administrativa contra Beto Richa. A promoção pessoal com dinheiro público é proibida pela Constituição Federal (art. 37, !§1!º) e agravada pelo caráter de favorecimento eleitoral.

Em seu relatório, o juiz Lourival Pedro Chemin confirma que recursos públicos foram usados para promover Beto Richa. O desvirtuamento da propaganda institucional em promoção pessoal da figura do Governador do Estado e candidato à  reeleição está evidente na medida em que o encarte em questão não se limita, simplesmente, a informar a realização de obras ou a promoção de serviços, mas promove insistente !“ embora velada !“ comparação entre a gestão do atual Governador do Estado e as gestões de seus antecessores!.

Para o coordenador jurídico da campanha de Gleisi, Luiz Fernando Pereira, o conteúdo divulgado enquadra-se perfeitamente no conceito de propaganda eleitoral, com o firme propósito de persuasão do eleitor. Foram extrapolados os limites de divulgação de publicidade institucional utilizando-se da estratégia de mensagem subliminar!  e da propaganda dissimulada para promoção de sua pré-candidatura a custas de supostas obras e realizações supostamente ! executadas pelo então governador!, explica Pereira.

O advogado lembra que até investimentos da Prefeitura de Curitiba nas obras de mobilidade urbana para a Copa do Mundo foram citados como grandes! feitos da administração Beto Richa.

20 de agosto de 2014
por esmael
8 Comentários

Conselho de à‰tica aprova pedido de cassação de André Vargas

via Agência Brasil

Por unanimidade o Conselho de à‰tica e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados aprovou hoje (20) o pedido de cassação do mandato de André Vargas (sem partido-PR). O relatório do deputado Júlio Delgado (PSB-MG) foi apresentado no ultimo dia 5. recomendando a punição do parlamentar, investigado por manter relações com o doleiro Alberto Youssef e por intermediar, com o Ministério da Saúde, contratos em favor do laboratório Labogen, de Youssef.

O doleiro foi preso em março pela Polícia Federal, na Operação Lava Jato, por participação em esquema de lavagem de dinheiro.

Delgado esperava ter aprovado o parecer no início do mês, mas o pedido de vista por quatro parlamentares adiou a análise do caso por duas sessões do plenário. A expectativa era que o parecer fosse votado somente em setembro. Com a decisão de hoje, Vargas pode recorrer em cinco dias úteis à  Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), com efeitos suspensivos.

Em nota, Vargas confirmou que vai recorrer à  CCJ. O ex-deputado garantiu, no colegiado, que não houve quebra de decoro e disse que o processo foi conduzido com açodamento e politização excessiva. Ele havia antecipado, no início deste mês, que recorreria à  CCJ e ao Supremo Tribunal Federal (STF)!  por considerar que houve cerceamento de seu direito de defesa.

Para conseguir que o parecer fosse votado com quórum de 11 parlamentares, o deputado Rubens Bueno (PPS-SP) foi indicado pelo PSB como membro do conselho, em manobra que Vargas considerou antirregimental. “à‰ revoltante, Qual seria o prejuízo de marcar a votação no esforço concentrado? A pressa é inimiga da legalidade”, afirmou Vargas.

No início da tarde, para tentar ganhar tempo e formar o quórum mínimo de 11 parlamentares presentes, o colegiado inverteu a ordem da pauta e antecipou o depoimento do gerente da agência da Caixa Econômica Federal no Anexo 4 da Câmara dos Deputados, Douglas Alberto Bento.

Bento não pôde dar detalhes solicitados pelos parlamentares sobre as contas do do deputado Luiz Argôlo (SDD-BA), que está sendo investigado pelo conselho, e de seu chefe de gabinete, Vanilton Bezerra. O gerente, que foi indicado como testemunha pela defesa de Argôlo, alegou sigilo bancário e negou manter relações pessoais com o parlamentar.

A falta de esclarecimentos gerou críticas e acusações de que a defesa do parlamentar investigado estaria protelando o caso. O relator do processo contra Argôlo, deputado Marcos Rogério (PDT-RO), decidiu convidar, pela última vez as

20 de agosto de 2014
por esmael
3 Comentários

Justiça nega a Richa mais três pedidos de censura contra Gleisi

A coligação do governador Beto Richa alega que coligação adversária faz propaganda eleitoral negativa ao pleito majoritário em horário indevido e invasão! do horário proporcional em favor da candidata petista Gleisi Hoffmann. Na prática, o tucano que tenta a reeleição quer evitar críticas no horário reservado justamente para fazê-lo. Pleiteia na judicialização, portanto, a censura disfarçada de propaganda irregular!.

A coligação do governador Beto Richa alega que coligação adversária faz propaganda eleitoral negativa ao pleito majoritário em horário indevido e invasão! do horário proporcional em favor da candidata petista Gleisi Hoffmann. Na prática, o tucano que tenta a reeleição quer evitar críticas no horário reservado justamente para fazê-lo. Pleiteia na judicialização, portanto, a censura disfarçada de propaganda irregular!.

O governador Beto Richa (PSDB), candidato à  reeleição, está levando goleada atrás de goleada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Nesta quarta-feira (20), o tucano teve mais três pedidos de liminares indeferidas pelo juiz Leonardo Castanho Mendes. Todas elas versam sobre o horário eleitoral no rádio e na televisão, contra a senadora Gleisi Hoffmann (PT). Leia mais

20 de agosto de 2014
por esmael
21 Comentários

Mal-criado e feio!, Bonner ironiza críticos no Twitter

via Brasil 247

William Bonner assumiu. No últimos 18 anos, ele cultivou a imagem de equilíbrio e imparcialidade, de bom moço e de galã, no comando da bancada do Jornal Nacional !“ a instituição jornalística da Rede Globo que, mesmo perdendo audiência aos borbotões nos últimos, ainda é um dos veículos de mídia mais poderosos do País. Mas agora é diferente.

Pelo twitter, ironizando as críticas sobre a maneira como conduziu a entrevista de 15 minutos com a presidente Dilma Rousseff, anteontem, ele avisa que “sempre” foi durão, que nunca pegou leve com seus entrevistados e que está disposto a novas incursões do mesmo tipo. Cuidado com ele, é como se o próprio avisasse, numa espécie de lançamento de uma candidatura informal a jornalista valentão.

Na verdade, a crítica a Bonner se deu pelo fato de ele ter interrompido, por 21 vezes, a presidente em suas respostas. Pelo fato de sua primeira pergunta ter durado dez por cento do tempo total da entrevista. Por ter conduzido uma entrevista que derivou para dedo em riste na direção da presidente e vozes exaltadas entre os perguntadores.

Em seu trato de “tio” para “sobrinhos” com seus seguidores no twitter, Bonner vem sustentando, com ironia e sarcasmo, que quem não gostou de sua postura foram os “corruptos”, os “robôs partidários” e os “blogueiros sujos”. Dá, neste sentido, uma lista de perguntas que este gostariam que fosse feitas para o candidato “DELES”, tais como “Aceita um cafezinho?”.

Bonner não admite a surpresa dos quem enxergam, no Jornal Nacional, um veículo com múltiplos compromissos, com uma história de sustentação ao regime ditatorial. Os mesmo que veem no próprio Bonner um âncora notadamente acrítico no dia a dia. Seus comentários quase não existem, e quando são pronunciados para marcar alguma notícia, no mais das vezes soam como genéricos.

Com o apoio de seus seguidores, Bonner está dizendo que nunca deixou de ser durão. E que vai continuar. A depender do resultado das eleições presidenciais, é de se acompanhar se essa garantia vai se sustentar.

20 de agosto de 2014
por esmael
21 Comentários

Baixa no ninho tucano: TRE cassa candidatura de José Baka Filho

O presidente do PV de Paranaguá, Marcelo Roque, impugnou a candidatura do ex-prefeito do município, José Baka Filho, a deputado federal; pedetista trabalhava por debaixo dos panos! pela reeleição de Beto Richa, que vem estimulando puladas de cerca na política do Paraná; nesta semana, por exemplo, o tucano jura que reuniu 300 prefeitos e ex-prefeitos e todos os partidos !“ incluindo PV, PDT e PMDB; decisão do TRE causa baixa estratégica na campanha do governador do PSDB no Litoral.

O presidente do PV de Paranaguá, Marcelo Roque, impugnou a candidatura do ex-prefeito do município, José Baka Filho, a deputado federal; pedetista trabalhava por debaixo dos panos! pela reeleição de Beto Richa, que vem estimulando puladas de cerca na política do Paraná; nesta semana, por exemplo, o tucano jura que reuniu 300 prefeitos e ex-prefeitos e todos os partidos !“ incluindo PV, PDT e PMDB; decisão do TRE causa baixa estratégica na campanha do governador do PSDB no Litoral.

O governador Beto Richa (PSDB) teve importante baixa em sua campanha pela reeleição no Litoral, pois o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) cassou a candidatura do ex-prefeito de Paranaguá José Baka Filho (PDT). Leia mais

20 de agosto de 2014
por esmael
8 Comentários

Salário Mínimo Regional: Gleisi Hoffmann desmente Gazeta do Povo

Campanha da senadora Gleisi Hoffmann (PT) ao governo do Paraná, em nota, desmentiu matéria de capa do jornal Gazeta do Povo. Petista afirma que em momento algum assumiu compromisso de baixar o Salário Mínimo Regional. Nesta quarta-feira (20), ao Blog do Esmael, o senador Roberto Requião (PMDB) disse que não assinou o compromisso na Fiep. Gazeta do Povo, edição de hoje, também registra que o peemedebista foi o único a prometer aplicação da inflação e do índice de produtividade estadual no cálculo do Salário Mínimo Regional. A Fiep é contra a política de valorização do Salário Mínimo Regional em vigor no estado desde 2006.

Campanha da senadora Gleisi Hoffmann (PT) ao governo do Paraná, em nota, desmentiu matéria de capa do jornal Gazeta do Povo. Petista afirma que em momento algum assumiu compromisso de baixar o Salário Mínimo Regional. Nesta quarta-feira (20), ao Blog do Esmael, o senador Roberto Requião (PMDB) disse que não assinou o compromisso na Fiep. Gazeta do Povo, edição de hoje, também registra que o peemedebista foi o único a prometer aplicação da inflação e do índice de produtividade estadual no cálculo do Salário Mínimo Regional. A Fiep é contra a política de valorização do Salário Mínimo Regional em vigor no estado desde 2006.

Em nota oficial, o jornalista Abraão Benício, coordenador de imprensa na campanha da senadora Gleisi Hoffmann (PT) ao governo do Paraná, afirma que em momento algum a candidata assumiu compromisso de baixar o Salário Mínimo Regional. Leia mais

20 de agosto de 2014
por esmael
43 Comentários

Marina derruba “palanque duplo” de Richa e Alckmin, confirma Estadão

Com o afastamento da presidenciável do PSB do governador Beto Richa, agora é o senador Roberto Requião (PMDB) que passa a ter "palanque duplo" no Paraná. O peemedebista se diz "eleitor" da presidenta Dilma Rousseff (PT) e sua vice, a deputada Rosane Ferreira (PV), afirma que votará em Marina. Elas militaram juntas nas fileiras verdes. Reportagem no Estado, edição desta quarta (20), apenas confirmou o que o Blog do Esmael registrou no último sábado (16).

Com o afastamento da presidenciável do PSB do governador Beto Richa, agora é o senador Roberto Requião (PMDB) que passa a ter “palanque duplo” no Paraná. O peemedebista se diz “eleitor” da presidenta Dilma Rousseff (PT) e sua vice, a deputada Rosane Ferreira (PV), afirma que votará em Marina. Elas militaram juntas nas fileiras verdes. Reportagem no Estado, edição desta quarta (20), apenas confirmou o que o Blog do Esmael registrou no último sábado (16).

A edição desta quarta-feira (20) do jornal O Estado de S. Paulo, o Estadão, confirma o que os leitores do Blog do Esmael já sabiam desde o último sábado (16): a candidatura de Marina Silva à  Presidência da República pelo PSB implodiu o “palanque duplo” de Beto Richa (PSDB) no Paraná (clique aqui) e Geraldo Alckmin em São Paulo. Leia mais

20 de agosto de 2014
por esmael
36 Comentários

Richa e Gleisi assumem compromisso para baixar salário mínimo regional

Senador Roberto Requião se recusou ontem a assinar compromisso que pode reduzir valor do salário mínimo regional; Não posso trair os trabalhadores. O salário mínimo é uma conquista de um milhão de paranaenses que não têm força para negociar sozinhos!, explicou o candidato do PMDB ao Blog do Esmael; Gleisi e Richa concordaram com a proposta da Fiep, segunda qual ao governo cabe apenas o papel de intermediar as negociações entre patrões e empregados; salário mínimo regional prevê quatro faixas salariais que variam de R$ 948,20 a R$ 1.095,60; Requião promete aplicar a inflação e o índice de produtividade estadual no cálculo do novo valor.

Senador Roberto Requião se recusou ontem a assinar compromisso que pode reduzir valor do salário mínimo regional; Não posso trair os trabalhadores. O salário mínimo é uma conquista de um milhão de paranaenses que não têm força para negociar sozinhos!, explicou o candidato do PMDB ao Blog do Esmael; Gleisi e Richa concordaram com a proposta da Fiep, segunda qual ao governo cabe apenas o papel de intermediar as negociações entre patrões e empregados; salário mínimo regional prevê quatro faixas salariais que variam de R$ 948,20 a R$ 1.095,60; Requião promete aplicar a inflação e o índice de produtividade estadual no cálculo do novo valor.

Os três principais candidatos ao governo do estado se reuniram ontem (19) com o sistema Federação das Indústrias do Paraná (Fiep). A senadora Gleisi Hoffmann (PT) e o governador Beto Richa (PSDB), que luta pela reeleição, assinaram compromisso com os empresários para baixar o salário mínimo regional, o maior do país, que vigora desde 2006. Leia mais