Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

9 de agosto de 2014
por esmael
45 Comentários

“Richa ordenou despesa de R$ 100 milhões sem empenhar orçamento”, denuncia Requião

O senador Roberto Requião adiantou neste sábado (9) que vai denunciar o governador Beto Richa à  Justiça por autorizar obra de duplicação da PR-445, entre Cambé e Londrina, sem prévio empenho no orçamento; segundo o peemedebista, o concorrente tucano cometeu "crime" ao assinar ordem de serviço de R$ 100 milhões sem a rubrica necessária. "Isso é crime, dá cadeia", disse em tom de gravidade. As empreiteiras Triunfo e Sanches Tripolini executam o trecho de 17 km desde outubro de 2012.

O senador Roberto Requião adiantou neste sábado (9) que vai denunciar o governador Beto Richa à  Justiça por autorizar obra de duplicação da PR-445, entre Cambé e Londrina, sem prévio empenho no orçamento; segundo o peemedebista, o concorrente tucano cometeu “crime” ao assinar ordem de serviço de R$ 100 milhões sem a rubrica necessária. “Isso é crime, dá cadeia”, disse em tom de gravidade. As empreiteiras Triunfo e Sanches Tripolini executam o trecho de 17 km desde outubro de 2012.

O senador Roberto Requião (PMDB), candidato ao Palácio Iguaçu, neste sábado (9), ao Blog do Esmael, denunciou que o governador Beto Richa (PSDB) ordenou as obras de duplicação da PR-445, no trecho de 17 km entre Cambé e Londrina, sem prévio empenho e reserva no orçamento como prevê a lei. Leia mais

9 de agosto de 2014
por esmael
35 Comentários

Quem reuniu mais, Richa ou Gleisi?

Caminhada tucana em Maringá. Caminhada petista em Curitiba. Afinal, quem reuniu mais torcida neste sábado? Gleisi ou Beto? Faça o contraste visual e opine. Sua opinião é importante.

Caminhada tucana em Maringá. Caminhada petista em Curitiba. Afinal, quem reuniu mais torcida neste sábado? Gleisi ou Beto? Faça o contraste visual e opine. Sua opinião é importante.

O governador Beto Richa (PSDB), que luta pela reeleição, caminhou hoje pela manhã em Maringá, no Noroeste do estado, ao lado da sua vice, Cida Borghetti (PROS), e do senador àlvaro Dias (PSDB), que também briga para continuar no cargo. Leia mais

9 de agosto de 2014
por esmael
17 Comentários

Coligação de Requião informa que abateu “pesquisa tucana” na Justiça. Será que Ibope e Datafolha saem?

O Partido da Pátria Livre (PPL), da coligação Paraná com Governo, de Roberto Requião (PMDB), abateu a primeira pesquisa eleitoral nestas eleições. O instituto “Real Pesquisa”, que pretendia divulgar números da corrida ao governo do estado, não poderá fazê-lo sob pena de multa de R$ 53 mil.

Alzimara Bacellar, dirigente do PPL — ex-Movimento Revolucionário 8 de Outubro (MR-8) –, alegou falhas insanáveis na sondagem registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O partido coligado a Requião apontou duas falhas graves na pesquisa: 1- consta apenas os nomes de três candidatos ao Palácio Iguaçu, quando a legislação exige todos; e 2- não informa claramente a margem de erro no levantamento.

O juiz auxiliar Lourival Pedro Chemim, do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE), também determinou que um jornal da região Oeste se abstivesse de divulgar a pesquisa.

Requianistas comemoraram a decisão porque, afirmam, “os tucanos iriam fingir que essa pesquisa ‘realizada’ em Toledo seria estadual, tal qual a de Cascavel no começo do mês passado”.

Semana que vem tem Datafolha e Ibope. Será que alguém vai impugnar essas também?

Leia a íntegra da decisão judicial:

http://s3.amazonaws.com/static.esmaelmorais.com.br/wp-content/uploads/2014/08/20124324/liminar_real.pdf

9 de agosto de 2014
por esmael
26 Comentários

Decisão inédita: Justiça dá 48 horas para Richa prestar contas; e agora?

Em decisão inédita no país, a Justiça Eleitoral determinou que, no prazo máximo de 48 horas, o candidato à  reeleição, governador Beto Richa (PSDB), apresente os valores arrecadados e gastos por sua campanha no primeiro mês.

Contrariando a legislação eleitoral, Richa entregou zerada a primeira prestação de contas, alegando que não arrecadou e nem gastou nada nos primeiros 30 dias de campanha.

Esta é a primeira vez que a Justiça Eleitoral brasileira entra em ação para obrigar um candidato a apresentar seus gastos parciais de campanha.

A decisão da juíza Renata Estorilho Baganha atende a representação da coligação Paraná Olhando pra Frente, que tem Gleisi Hoffmann (PT) como candidata à  governadora.

Verifico pela documentação acostada aos autos, que houve despesas contratadas pelos representados. Houve um descumprimento do dever legal de prestar contas parciais pelos representados, do que, por si só, decorre a quebra dos princípios de isonomia e transparência necessária à  Democracia e à  condução do pleito eleitoral, o que ocasiona a ausência de igualdade de oportunidade entre os candidatos!, confirma a magistrada.

Para comprovar que Richa havia realizado gastos no primeiro mês de campanha, a coligação de Gleisi Hoffmann apresentou ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PR) adesivos, panfletos, fotos e notícias veiculadas na internet que mostram o governador inaugurando comitês e participando de eventos de campanha em diversas regiões do Paraná.

à‰ muito evidente que o candidato à  reeleição teve gastos de campanha neste primeiro mês. Notícias de jornais e do próprio site de campanha mostram o candidato em eventos no interior e inaugurando comitês. Nas ruas, carros circulam com adesivos do candidato. Além disso, ele já lançou o site e um espaço chamado de Tenda Digital!, que inclusive oferecia internet gratuita para visitantes. Tem equipe de imprensa que o acompanha e viaja pelo estado. Se não é a campanha, quem está pagando por estes gastos?!, questiona o coordenador jurídico da coligação Paraná Olhando pra Frente, Luiz Fernando Pereira.

A Lei n!º 9.504/97 dispõe, expressamente em seu artigo 28, a obrigatoriedade dos candidatos e comitês financeiros apresentarem sua prestação de contas parcial.

Assim, havendo elementos fortes a indicar a existência de despes

9 de agosto de 2014
por esmael
33 Comentários

Requião deverá declarar apoio a Dilma só na reta final da campanha

Requião afirma que recebeu telefonema esta semana da presidenta Dilma. Renovou apreço, comentaram sobre uma pesquisa interna do PT que lhe favorece na corrida pelo Palácio Iguaçu, mas sentenciou: apoio formal só na reta final da campanha. Um dos motivos que levam o peemedebista a adiar sua subida no palanque de Dilma tem a ver com o fato de o PT ter Gleisi como candidata ao governo do estado. Portanto, segue o namoro entre PT e PMDB no Paraná. Que seja eterno enquanto dure...

Requião afirma que recebeu telefonema esta semana da presidenta Dilma. Renovou apreço, comentaram sobre uma pesquisa interna do PT que lhe favorece na corrida pelo Palácio Iguaçu, mas sentenciou: apoio formal só na reta final da campanha. Um dos motivos que levam o peemedebista a adiar sua subida no palanque de Dilma tem a ver com o fato de o PT ter Gleisi como candidata ao governo do estado. Portanto, segue o namoro entre PT e PMDB no Paraná. Que seja eterno enquanto dure…

Daqui a pouco, em Curitiba, a senadora Gleisi Hoffmann (PT) lidera uma caminhada “suprapartidária” em apoio à  reeleição da presidenta Dilma Rousseff (PT). Os petistas dizem que vão reunir hoje, na Praça Santos Andrade, em frente a UFPR, os partidos que compõem a base governista no Congresso. A saber: PT, PMDB, PR, PRB, PROS, PDT, PCdoB, PP e PSD. Leia mais

9 de agosto de 2014
por esmael
18 Comentários

Coluna do Ricardo Gomyde: Pedágio, um peso abusivo nas costas dos paranaenses; até quando?

Quem vai para Santa Catarina por uma rodovia federal, por exemplo, paga um preço justo; já quem vai à s praias paranaenses, ou ao Porto de Paranaguá, deixa no pedágio um valor exorbitante. Portanto, o problema não é o pedágio, mas o pedágio praticado no Paraná!. A afirmação é de Ricardo Gomyde em sua coluna deste sábado, que denuncia a tarifa de R$ 15,40 cobrada no trecho da BR 277, administrado pela Ecovia, por sagrar o bolso do paranaense e encarecendo o custo da produção. O Paraná não aguenta mais esse peso em suas costas. à‰ preciso agir!!, cobra o colunista. Leia o texto e compartilhe.

Quem vai para Santa Catarina por uma rodovia federal, por exemplo, paga um preço justo; já quem vai à s praias paranaenses, ou ao Porto de Paranaguá, deixa no pedágio um valor exorbitante. Portanto, o problema não é o pedágio, mas o pedágio praticado no Paraná!. A afirmação é de Ricardo Gomyde em sua coluna deste sábado, que denuncia a tarifa de R$ 15,40 cobrada no trecho da BR 277, administrado pela Ecovia, por sagrar o bolso do paranaense e encarecendo o custo da produção. O Paraná não aguenta mais esse peso em suas costas. à‰ preciso agir!!, cobra o colunista. Leia o texto e compartilhe.

Ricardo Gomyde*

Um sonoro não!. Essa foi a resposta da presidenta Dilma Rousseff ao pedido do governo do Paraná para que a União prorrogasse os contratos de pedágios rodoviários no Estado. Leia mais