Por Esmael Morais

Por falta de dinheiro, candidatos adiam início da campanha no Paraná

Publicado em 09/07/2014

Deputados estaduais e federais, que buscam reeleição, visando driblar falta de recursos, fazem acordos para adiar início da campanha no Paraná; iniciativa ajuda quem já está no exercício do mandato, haja vista que encurta o corpo a corpo dos candidatos com eleitores para apenas 60 dias; Justiça Eleitoral liberou o início das campanhas no último domingo, dia 6 de julho; encurtamento dá vantagem competitiva a nome mais conhecido; acordo de cavalheiros! foi selado em Ponta Grossa e desperta interesse na Assembleia Legislativa.

Deputados estaduais e federais, que buscam reeleição, visando driblar falta de recursos, fazem acordos para adiar início da campanha no Paraná; iniciativa ajuda quem já está no exercício do mandato, haja vista que encurta o corpo a corpo dos candidatos com eleitores para apenas 60 dias; Justiça Eleitoral liberou o início das campanhas no último domingo, dia 6 de julho; encurtamento dá vantagem competitiva a nome mais conhecido; acordo de cavalheiros! foi selado em Ponta Grossa e desperta interesse na Assembleia Legislativa.

Os candidatos a deputado estadual e federal do município de Ponta Grossa, região dos Campos Gerais, de todos os partidos, fizeram um “acordo de cavalheiros” para iniciar a campanha somente agosto. Esse adiamento que encurta a disputa para apenas 60 dias seria motivado pela falta de dinheiro.

Além dos pontagrossenses que têm três deputados que buscam a reeleição — Sandro Alex (PPS), Plauto Miró (DEM) e Péricles Mello –, na Assembleia Legislativa do Paraná os demais parlamentares também devem retardar a colocação das respectivas campanhas nas ruas.

O diabo é que esses acordos para adiamento das campanhas beneficiam os atuais deputados e atrapalha quem sonha com uma cadeira na Assembleia ou na Câmara. Os eleitores tendem a votar os nomes mais conhecidos. Sem campanha, diminui as chances de quem está fora de mandato eletivo. Ou seja, contribui para a continuação dos mesmos de sempre.

A Justiça Eleitoral liberou o início das campanhas no último domingo, dia 6 de julho.