Olha o aviãozinho 2: Comitê de Dilma cogita ação contra Aécio

do Brasil 247

Possível ação judicial por improbidade administrativa contra o presidenciável tucano é baseada em reportagem da Folha de S. Paulo! do último domingo que atribui a Aécio Neves gasto de quase R$ 14 milhões, então como governador de Minas, em aeroporto construído em propriedade de um tio; o presidente do PT, Rui Falcão, diz que Aécio usou o governo como extensão de suas propriedades, já para o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, caso mostra hipocrisia do PSDB; Aécio nega irregularidade e diz que terreno foi desapropriado; denúncia virou alvo do Ministério Público de Minas Gerais e oposição no Estado já fala em CPI.

Possível ação judicial por improbidade administrativa contra o presidenciável tucano é baseada em reportagem da Folha de S. Paulo! do último domingo que atribui a Aécio Neves gasto de quase R$ 14 milhões, então como governador de Minas, em aeroporto construído em propriedade de um tio; o presidente do PT, Rui Falcão, diz que Aécio usou o governo como extensão de suas propriedades, já para o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, caso mostra hipocrisia do PSDB; Aécio nega irregularidade e diz que terreno foi desapropriado; denúncia virou alvo do Ministério Público de Minas Gerais e oposição no Estado já fala em CPI.

O PT não tardou a reagir à  reportagem da “Folha de S. Paulo” que atribui a Aécio Neves o gasto de quase R$ 14 milhões, então como governador de Minas, em aeroporto construído em propriedade de um tio, o fazendeiro Múcio Tolentino. O comitê da campanha da presidente Dilma Rousseff (PT) à  reeleição estuda mover uma ação judicial por improbidade administrativa contra o presidenciável tucano.

O presidenciável tucano negou irregularidades: Já foi tudo explicado. Tudo foi feito com a mais absoluta transparência e correção; aliás como sempre faço!, disse em visita à  região do Cariri cearense na tarde de ontem. Pelo Facebook, ele também apresentou carta resposta: “O aeroporto foi construído em área pertencente ao Estado, não havendo investimento público em área privada. Não houve nenhum tipo de favorecimento. Tanto que o antigo proprietário da área não concordou com a desapropriação e contesta suas bases na Justiça.”

A questão virou alvo do Ministério Público de Minas Gerais. O promotor Eduardo Nepomuceno anunciou que irá analisar os fundamentos da desapropriação citada e por que parentes de Aécio controlam na prática o aeroporto, que deveria ser público. Ele teria as chaves do espaço.

Do lado do PT, o presidente nacional do partido, Rui Falcão, diz que o senador tucano não distingue o ”público do privado”. “Ele usou o governo de Minas Gerais como extensão de suas propriedades”, afirmou.

Já o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, classificou a construção do aeroporto como um “escândalo” e um “absurdo”. “Mostra a hipocrisia do PSDB e do Aécio que a qualquer evento gritam CPI e apontam dedo. Agora, fazem um negócio desses.”

O deputado estadual Rogério Corrêa (PT) também disse que começará a colher assinaturas nesta semana para abertura de uma CPI no Estado sobre o governo Aécio.

Na Folha, o colunista Ricardo Melo argumenta ainda que a obra representa um “choque de indigestão”.

Veja abaixo documento do governo de Minas, apresentado por Aécio no Facebook, que comprovaria que aeroporto foi feito em terreno do Estado:

auto_imissao_mg

Comentários encerrados.