Por Esmael Morais

Justiça autoriza Requião decepar cabeça de deputados infiéis do PMDB

Publicado em 29/07/2014

Senador Roberto Requião comemora nesta terça (29) decisão judicial que lhe dá poderes para "decepar" em praça pública cabeça de infiéis no PMDB; presidente estadual do partido, Osmar Serraglio, deverá ser intimado nas próximas horas sobre a decisão da 17!ª Vara Cível de Curitiba; Rocha Loures, da direção nacional do partido, disse ao Blog do Esmael que de agora em diante a briga é com Brasília; candidato a deputado que não andar miudinho e ler a Carta de Puebla em voz alta terá o registro cancelado, adianta Luiz Fernando Delazari, xerife de Requião; o deputado Luiz Cláudio Romanelli, por exemplo, será obrigado a pular do barco do tucano Beto Richa; também deputado Ademir Bier, da região Oeste, já havia aderido ao Volta Requião! antes mesmo da decisão do juiz Austregésilo Trevisan.

Senador Roberto Requião comemora nesta terça (29) decisão judicial que lhe dá poderes para “decepar” em praça pública cabeça de infiéis no PMDB; presidente estadual do partido, Osmar Serraglio, deverá ser intimado nas próximas horas sobre a decisão da 17!ª Vara Cível de Curitiba; Rocha Loures, da direção nacional do partido, disse ao Blog do Esmael que de agora em diante a briga é com Brasília; candidato a deputado que não andar miudinho e ler a Carta de Puebla em voz alta terá o registro cancelado, adianta Luiz Fernando Delazari, xerife de Requião; o deputado Luiz Cláudio Romanelli, por exemplo, será obrigado a pular do barco do tucano Beto Richa; também deputado Ademir Bier, da região Oeste, já havia aderido ao Volta Requião! antes mesmo da decisão do juiz Austregésilo Trevisan.

O juiz Austregésilo Trevisan, da 17!ª Vara Cível de Curitiba, concedeu nesta terça-feira (29) uma liminar ao senador Roberto Requião (PMDB), candidato ao governo do Paraná, que proíbe aos filiados do partido de pular a cerca. Pela decisão do magistrado, quem não andar “miudinho” e o candidato a deputado que não ler Carta de Puebla em voz alta poderá ser decapitado em praça pública. Ou seja, quem flertar com a reeleição do governador Beto Richa (PSDB) terá a candidatura defenestrada.

Semana passada, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) se declarou “incompetente” para decidir sobre casos de infidelidade partidária no Paraná.

Segundo Rodrigo Rocha Loures, único paranaense na direção nacional do PMDB, essa provocação inicial, independente da manutenção da liminar, de agora em diante, provocou cúpula partidária em Brasília. “Não serão tolerados casos de infidelidade partidária nem no Paraná nem em outro estado”, disse ao Blog do Esmael.

No mês passado, o advogado Luiz Fernando Delazari havia adiantado que a convenção do PMDB definiu pela candidatura própria do senador Roberto Requião ao governo do Paraná, logo, se houver movimento no sentido contrário, haverá degola!.

O xerife de Requião reafirmou hoje que toda infidelidade será castigada no PMDB!.