Julgamento do prefeito de Cascavel no TSE será no início de agosto

via O Paraná

O prefeito de Cascavel Edgar Bueno (PDT) e seu vice Maurício Theodoro (PSDB), já foram cassados pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), deixaram os cargos por um dia, em que assumiu o segundo colocado Professor Lemos (PT), mas voltaram por força de liminar. Agora, parece que o caso terá um desfecho com o julgamento do caso pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) previsto para agosto.

O prefeito de Cascavel Edgar Bueno (PDT) e seu vice Maurício Theodoro (PSDB) já foram cassados pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), deixaram os cargos por um dia, em que assumiu o segundo colocado Professor Lemos (PT), mas voltaram por força de liminar. Agora, parece que o caso terá um desfecho com o julgamento do caso pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) previsto para agosto.

Depois de quase oito meses, o processo de cassação do prefeito Edgar Bueno (PDT) e do vice Maurício Theodoro (PSDB) está próximo de uma decisão definitiva. Ontem a relatora do recurso especial, ministra Luciana Lóssio, encaminhou um pedido para que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) defina a data do julgamento, que deve ocorrer nas primeiras semanas de agosto.

A advogada Danielle Magnabosco, que atua na defesa do Professor Lemos (PT) e do vice Walter Parcianelllo (PMDB), autores do pedido de cassação, disse ontem que o rito segue sua tramitação normal e que deve ganhar celeridade a partir de agora. O plenário é quem vai definir em que data será julgado o recurso especial, de acordo com a possibilidade de pauta do TSE!, afirmou Danielle. Depois de definida a data, as partes serão intimadas e o relatório da ministra relatora será colocado em plenário para julgamento num prazo de 48h.

A defesa de Lemos disse acreditar que o desfecho ocorra no próximo mês tendo em vista não haver nenhum motivo para atrasar a apreciação. O TSE inicia as atividades do segundo semestre no dia 1!º de agosto, quando também serão retomadas as sessões de julgamento.

O Ministério Público Eleitoral já se manifestou pela manutenção da decisão do TRE-PR (Tribunal Regional Eleitoral do Paraná), que cassou os mandatos de Edgar e Maurício. Os dois são acusados de fraude eleitoral por terem acusado Lemos de não residir em Cascavel durante a campanha eleitoral de 2012. Vale ressaltar que prefeito e vice se mantêm nos cargos amparados numa liminar.

1 Comentário

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Eleições se ganham e se perdem. O camarada tem que erguer a cabeça e seguir trabalhando e tentar fazer melhor na próxima. Ridícula essa situação do Lemos,lembro que o cara queria até fazer teleférico na cidade, vamos fazer propostas sérias e vencer com dignidade,Cascavel e o país agradecem.