Datafolha: Copa de 2014 não influenciou eleições

Publicado em 18 julho, 2014
Compartilhe agora!

do Brasil 247

Segundo análise de Mauro Paulinho, diretor-geral do Datafolha, e de Alessandro Janoni, diretor de pesquisas, após a vitória da seleção contra o Chile, presidente Dilma Rousseff esboçou uma reação; no entanto, a humilhação! contra a Alemanha, a derrota para a Holanda e o fim do torneio reverteram parte desse ânimo; porém, a oposição não foi beneficiada pelo quadro; O saldo do evento na corrida presidencial pode ser considerado um empate sem gols entre o governo e a oposição!, diz a cúpula do Datafolha.
Segundo análise de Mauro Paulinho, diretor-geral do Datafolha, e de Alessandro Janoni, diretor de pesquisas, após a vitória da seleção contra o Chile, presidente Dilma Rousseff esboçou uma reação; no entanto, a humilhação! contra a Alemanha, a derrota para a Holanda e o fim do torneio reverteram parte desse ânimo; porém, a oposição não foi beneficiada pelo quadro; O saldo do evento na corrida presidencial pode ser considerado um empate sem gols entre o governo e a oposição!, diz a cúpula do Datafolha.
A pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira aponta que a Copa do Mundo não influenciou a disputa pela Presidência da República em 2014.

Segundo análise de Mauro Paulinho, diretor-geral do Datafolha, com Alessandro Janoni, diretor de pesquisas, após a vitória da seleção contra o Chile, Dilma esboçou uma reação. No entanto, a humilhação! contra a Alemanha, a derrota para a Holanda e o fim do torneio reverteram parte desse ânimo.

Segundo a direção do Datafolha, o orgulho com a seleção brasileira desabou e a avaliação positiva sobre a organização da Copa também sofreu queda, suficiente para voltar a dividir a opinião pública sobre o sucesso do evento; porém, a oposição não foi beneficiada pelo quadro.

O cenário da sondagem foi de estabilização: números mostram a presidente Dilma Rousseff (PT) com 36% dos votos (dois pontos a menos do que na pesquisa anterior); o tucano Aécio Neves tem 20% (mesmo índice de duas semanas atrás); Eduardo Campos (PSB) soma 8% (um ponto a mais); variações se deram dentro da margem de erro.

O saldo do evento na corrida presidencial pode ser considerado um empate sem gols entre o governo e a oposição!, diz a cúpula do Datafolha (leia mais).

Compartilhe agora!

Comments are closed.