Por Esmael Morais

Conselho de Segurança da ONU pede cessar-fogo imediato em Gaza

O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) formalizou na madrugada de hoje (28), em Nova York, uma declaração apelando para um cessar-fogo humanitário imediato e incondicional! entre Israel e o Hamas na Faixa de Gaza. Aprovada por unanimidade pelos 15 membros do conselho, a declaração pede para as partes envolvidas no conflito aplicarem totalmente! o cessar-fogo durante a celebração do fim do Ramadã, esta semana, e estenderem para além desse período, buscando uma negociação da paz na região. As 15 nações apelaram ao respeito pleno do direito humanitário internacional, sobretudo no que diz respeito à  proteção dos civis! e enfatizaram que as instalações civis e humanitárias, incluindo as da ONU, devem ser respeitadas e protegidas!. Há três dias, um

Publicado em 28/07/2014

O Conselho de Segurança também ressaltou a necessidade de fornecimento imediato de assistência humanitária à  população da Faixa de Gaza, com o aumento das contribuições dos países ao Alto Comissário das Nações Unidas para Refugiados (Acnur). Além dos cinco membros permanentes (Estados Unidos, Rússia, China, Reino Unido e França), os dez membros eleitos que compõem o conselho atualmente são: Argentina, Austrália, Chade, Chile, Coreia do Sul, Jordânia, Lituânia, Luxemburgo, Nigéria e Ruanda.

O Conselho de Segurança é o único órgão do sistema internacional capaz de adotar decisões obrigatórias para todos os Estados-Membros da ONU, podendo, inclusive, autorizar intervenção militar para garantir a execução de suas resoluções. Dos 15 países do conselho, cinco são membros permanentes !“ Estados Unidos, Reino Unido, França, Rússia e China !“ e dez são rotativos, ficando dois anos no órgão e sendo substituídos. O voto negativo de apenas um membro permanente configura veto a uma eventual resolução do conselho.

A declaração foi divulgada logo depois da reunião de emergência, ocorrida à  meia-noite (1h no horário de Brasília), entre os 15 países-membros do Conselho de Segurança. Desde o início do mais recente conflito entre Israel e o Hamas, mais de mil palestinos e 43 soldados israelenses morreram.

Em Gaza, as hostilidades diminuíram nesta segunda, segundo informações de meios de comunicação e agências de notícias. O jornal israelense Yediot Aharonot informou que as tropas no terreno receberam a ordem de não efetuar operações ofensivas. Elas estão autorizadas apenas a defender-se caso ocorra algum ataque e a continuar com a destruição dos túneis que ligam Gaza a Israel. O Hamas, que governa a Faixa de Gaza desde 2007, afirmou no domingo que as milícias palestinas respeitarão a trégua de 24 horas a partir das 13h (horário local) de hoje.

Via Agência Brasil, com informações do Opera Mundi.