Coluna do Ricardo Gomyde: Vamos resgatar o nosso futebol!

Ricardo Gomyde, em sua coluna deste sábado, enaltece a origem do futebol no país e as peladas disputadas em campinhos espalhados nas ruas, com gols feitos por chinelos, nossos meninos fizeram do futebol quase um sinônimo de alegria, de arte; colunista afirma que Copa do Mundo teve sucesso dentro e fora de campo, mas a derrota para a Alemanha acendeu a luz amarela para a seleção. à‰ preciso resgatar nossa magia, nossa vocação. Não podemos deixar de lado nossas origens!, afirma; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Gomyde, em sua coluna deste sábado, enaltece a origem do futebol no país e as peladas disputadas em campinhos espalhados nas ruas, com gols feitos por chinelos, nossos meninos fizeram do futebol quase um sinônimo de alegria, de arte; colunista afirma que Copa do Mundo teve sucesso dentro e fora de campo, mas a derrota para a Alemanha acendeu a luz amarela para a seleção. à‰ preciso resgatar nossa magia, nossa vocação. Não podemos deixar de lado nossas origens!, afirma; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Gomyde*

O futebol no Brasil, mais do que uma modalidade esportiva, é uma ferramenta de promoção social e faz parte de nossa cultura. Quando a primeira bola chegou por aqui, os brasileiros se identificaram automaticamente com o novo esporte e, desde então, evoluímos. Seja nas peladas disputadas em campinhos espalhados pelo país ou nas ruas, com gols feitos por chinelos, nossos meninos fizeram do futebol quase um sinônimo de alegria, de arte. Contudo, alguns fatores mudaram um pouco esse cenário. O principal deles, talvez, seja a falta de proteção aos nossos craques que, muitas vezes, vão para clubes do exterior antes mesmo de chegarem à  adolescência. à‰ difícil ver um guri, ao ser perguntado sobre o sonho da vida, responder jogar na Europa e não na seleção brasileira.

O Brasil tem plenas condições de continuar produzindo craques e mantê-los em nosso território. O legado da Copa do Mundo vai ao encontro dessa ideia. Dezenas de Centros de Treinamentos de Seleção (CTS) públicos, que integraram o catálogo da FIFA, foram estruturados e serão utilizados após o Mundial pela população dessas cidades. No Paraná, em Maringá e Cascavel, o Estádio Willye Davis e Estádio Olímpico Regional Arnaldo Busatto, respectivamente, receberam recursos para reformas e serão equipamentos importantes para descobrirmos cada vez mais talentos. Além disso, o Brasil tem 12 novas arenas multiuso, que também fortalecerão o nosso futebol.

Por outro lado, nossa legislação precisa apontar para o aprimoramento da gestão dos clubes de futebol e federações trazendo mais transparência, responsabilidade financeira e respeitos aos atletas. Urge implantar o fair play financeiro e boas práticas de governança na gestão do futebol. Além de formar mais craques, podemos gerar mais empregos e riquezas a partir da “indústria” do futebol.

A Copa do Mundo teve sucesso dentro e fora de campo, mas a derrota para a Alemanha acendeu a luz amarela para a seleção. à‰ preciso resgatar nossa magia, nossa vocação. Não podemos deixar de lado nossas origens. O Brasil sempre foi conhecido como o mais espetacular futebol do mundo. E, com estádios novos, Centros de Treinamentos reformados, e uma legislação protegendo nossos clubes e craques e punindo a má gestão, temos tudo para retomar o caminho do futebol-arte.

*Ricardo Gomyde, especialista em políticas de inclusão social, é membro da Comissão Organizadora da Copa do Mundo no Brasil em 2014. Escreve nos sábados no Blog do Esmael.

5 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. mas o senhor não falava que esta era a copa das copas, e
    agora temos que rever o futebol, não entendi sua posição, me desculpe.

    • Depois que a CBF escolheu o Dunga como técnico, só tenho a dizer uma coisa: O nosso futebol foi apunhalado pelas costas. Por quê tanta rapidez em escolher a pessoa errada? Onde se encontra o bom senso? 7×1 já não foi suficiente? Há um descompasso total. Um anarquismo sem preodos os precedentes. Perdeu-se todos os parafusos da razão.

  2. Caro Gomyde, acredito que o seu artigo poderia ser mais amplo.

    O fomento ao esporte, inclusive recreativo, e, não somente ao futebol, é uma ferramenta que vai muito além do assunto abordado em seu artigo, pois promove melhor qualidade de vida e ocupa nossas crianças, evitando que sejam vítimas ou recrutadas pela marginalidade.

    Particularmente eu teria aplicado os bilhões em outras coisas mais úteis, que favorecessem diretamente o cidadão, mas já que gastaram, espero, sinceramente, que essas arenas tenham pelo menos o alcance que você menciona.

  3. …é ta longe a Alemanha levou rsrsrs …. humilhante

  4. Concordo. Parabéns Gomyde. Artigo de quem conhece do assunto e é sincero. Gostei muito.