Por Esmael Morais

Candidato ao Senado, Marcelo Almeida faz peregrinação espiritual na Itália

Publicado em 07/07/2014

Peregrinação antes das eleições tem sido muito comum entre candidatos paranaenses; empresário Marcelo Almeida, candidato ao Senado, visita na Itália o papa Francisco, novo farol ideológico no PMDB; petistas à‚ngelo Vanhoni e Gleisi Hoffmann, ambos místicos, também fizeram retiros espirituais em passado recente.

Peregrinação antes das eleições tem sido muito comum entre candidatos paranaenses; empresário Marcelo Almeida, candidato ao Senado, visita na Itália o papa Francisco, novo farol ideológico no PMDB; petistas à‚ngelo Vanhoni e Gleisi Hoffmann, ambos místicos, também fizeram retiros espirituais em passado recente.

O empresário Marcelo Almeida, candidato do PMDB ao Senado, foi peça fundamental para o senador Roberto Requião ganhar a convenção do partido. Isto não é novidade. Fato novo é que o rapaz tomou chá de sumiço, escafedeu-se.

O moço do pedágio teria rumado para Itália, onde participa de um retiro espiritual antes da campanha. A peregrinação prevê até bênção do papa Francisco, o novo guia ideológico no PMDB do Paraná.

O diabo é que enquanto Almeida reza de joelhos, Ricardo Gomyde (PCdoB) vai “papando” a vaga ao Senado. Ontem (6), por exemplo, em Campo Mourão, “junto” com o governador Beto Richa (PSDB) degustava um saboroso carneiro no buraco (clique aqui).

Entretanto, a estratégia da meditação já fora adotada antes por outros candidatos. Em 2004, à‚ngelo Vanhoni (PT), antecedendo a peleja esteve Machu Picchu, no Peru, procurando o “centro”.

A senadora Gleisi Hoffmann (PT), seguidora do guru indo-australiano Kenneth O”Donnell, de orientação budista, dirigente da Brahma Kumaris, também costuma fazer retiros espirituais antes dos confrontos eleitorais.