pontagrossa.jpg

| Comente agora

Ponta Grossa sofreu a mais longa greve de ônibus do país com 18 dias, terminando no início do mês de junho com um acordo firmado no Tribunal Regional do Trabalho em Curitiba. O problema é que o acordo não agradou a todos, e foi contestado pelo prefeito Marcelo Rangel (PPS) e acabou isolando o presidente da Câmara de Vereadores, Aliel Machado (PCdoB). O reajuste para os trabalhadores viria de subsídio oriundo da sobra do orçamento da própria Câmara, no valor de R$ 2,4 milhões, mas a proposta foi rejeitada.

Deixe uma resposta

Preenchimento obrigatório *.