Até agora, nenhuma pesquisa registrada sobre a disputa pelo governo do Paraná

Publicado em 9 julho, 2014
Compartilhe agora!

Segundo Murilo Hidalgo, presidente da Paraná Pesquisas, a velha mídia sofre com o alto custo das pesquisas e tem dificuldade para contratar sondagens como antigamente; Além disso, os institutos locais não estão capitalizados como os nacionais que bancaram praticamente todos os levantamentos até agora!, diz o pesquisador; enquanto isso, diante a ausência de sondagens registradas no TSE, proliferam números nos bastidores.
Segundo Murilo Hidalgo, presidente da Paraná Pesquisas, a velha mídia sofre com o alto custo das pesquisas e tem dificuldade para contratar sondagens como antigamente; Além disso, os institutos locais não estão capitalizados como os nacionais que bancaram praticamente todos os levantamentos até agora!, diz o pesquisador; enquanto isso, diante a ausência de sondagens registradas no TSE, proliferam números nos bastidores.
Se os candidatos e coligações adiaram o início da campanha para agosto, conforme registrou o Blog do Esmael nesta quarta (9), os institutos de pesquisa também puxaram o freio de mão na arrancada eleitoral. De acordo com o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), até agora, nenhuma empresa registrou sondagem sobre a intenção de votos para o governo do Paraná.

Entretanto, prolifera-se nos bastidores pesquisas não registradas cujos resultados não podem ser divulgados sob pena de pesadas multas aplicadas pela Justiça Eleitoral.

No último final de semana, em Maringá, o senador Roberto Requião (PMDB) disse que estava em primeiro lugar no estado inteiro e que venceria a disputa já no primeiro turno (clique aqui).

As últimas pesquisas dizem que eles [tucanos] tinham razão, pois estamos em primeiro lugar no estado inteiro. Nós temos condições de ganhar essas eleições no primeiro turno!, discursou o candidato peemedebista para o delírio da plateia de correligionários.

Não há registros de comentários das outras duas principais campanhas — Beto Richa (PSDB) e Gleisi Hoffmann (PT) — sobre números da corrida pelo Palácio Iguaçu, nem mesmo de forma camuflada para driblar a legislação eleitoral.

Um dos motivos para a ausência de pesquisas nos órgãos de imprensa seria o alto custo das mesmas e a dificuldade dos mesmos contratarem. Essa é a opinião do diretor-presidente da Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo, ao afirmar que em eleições passadas “choviam” sondagens. Além disso, os institutos locais não estão capitalizados como os nacionais que bancaram praticamente todos os levantamentos até agora.

Compartilhe agora!

Comments are closed.