Araupel defende nas redes sociais desocupação de fazenda com violência contra famílias sem terra no PR

O candidato do PSOL, Bernardo Pilotto, foi o único a lançar manifesto de solidariedade aos sem terra e a defender publicamente a desapropriação da fazenda Araupel; no Facebook, empresa defende ação policial contra trabalhadores, mulheres e crianças que ocupam a área grilada nos anos 70 que pertence à  União; governador Beto Richa disse que não vai usar a força policial, mas acusa o ex-governador e senador Roberto Requião de incitar a ocupação da Araupel; peemedebista adianta que vai à  Justiça contra o tucano por calúnia e difamação!.

O candidato do PSOL, Bernardo Pilotto, foi o único a lançar manifesto de solidariedade aos sem terra e a defender publicamente a desapropriação da fazenda Araupel; no Facebook, empresa defende ação policial contra trabalhadores, mulheres e crianças que ocupam a área grilada nos anos 70 que pertence à  União; governador Beto Richa disse que não vai usar a força policial, mas acusa o ex-governador e senador Roberto Requião de incitar a ocupação da Araupel; peemedebista adianta que vai à  Justiça contra o tucano por calúnia e difamação!.

“Sou a favor da Araupel – Reintegração já”. Este é nome da comunidade no Facebook patrocinada pela empresa defendendo ação policial para despejar 3 mil famílias de trabalhadores sem terra que ocupam área de 35 mil hectares entre os municípios de Rio Bonito do Iguaçu e Quedas do Iguaçu, na região Sudoeste.

Uma liminar foi expedida ontem (18) pela juíza Luciana Luchtenberg Torres Dagostim, da Comarca de Laranjeiras do Sul, determina que as polícias Civil e Militar procedam a desocupação da fazenda Araupel ocupada na manhã de quarta-feira (16).

A área é reivindicada pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) para fins de reforma agrária porque seriam terras griladas pertencentes à  União.

O governador Beto Richa (PSDB) em entrevista na Rádio Municipal FM, de Quedas do Iguaçu, acusou o ex-governador e senador Roberto Requião (PMDB) de incitar a ocupação da Araupel. O peemedebista disse que vai à  Justiça contra o tucano por “calúnia e difamação” (clique aqui).

Horas antes da ocupação da fazenda pelo MST, Requião concedeu entrevista na mesma rádio Requião questionando a legalidade de posse da empresa e sugeriu que a Araupel invadiu a área na década de 1970.

Richa disse que procura uma solução pacífica para resolver o conflito agrário. Portanto, a fazenda continua ocupada pelas famílias sem terra.

O candidato ao governo pelo PSOL, Bernardo Pilotto, ao Blog do Esmael, informou que visitará in loco a ocupação neste domingo (20). Ele vai se solidarizar aos sem-terra e defender a desapropriação da área para a reforma agrária. Pilotto é o único a lançar um manifesto em apoio ao MST (clique aqui).

Comentários encerrados.