Aos 48 do segundo tempo, bate na trave coligação de Gleisi Hoffmann

Na undécima hora, PDT embaçou a coligação da senadora Gleisi Hoffmann; pedetistas querem "gongar" Ricardo Gomyde, do PCdoB, para indicar Jorge Bernardi ao Senado; imbróglio avançará nesta terça-feira; a partir das 16 horas haverá nova reunião visando pôr fim à  crise política.

Na undécima hora, PDT embaçou a coligação da senadora Gleisi Hoffmann; pedetistas querem “gongar” Ricardo Gomyde, do PCdoB, para indicar Jorge Bernardi ao Senado; imbróglio avançará nesta terça-feira; a partir das 16 horas haverá nova reunião visando pôr fim à  crise política.

A senadora Gleisi Hoffmann (PT) não conseguiu fechar a coligação para disputar o Palácio Iguaçu no tempo regulamentar. Aos 48 do segundo tempo, o PDT travou a jogada da petista e o entendimento que chegou a ser anunciado pelas lideranças do PT no início da noite de segunda (30) bateu na trave perto das doze badaladas noturnas.

Os pedetistas vetaram a indicação do ex-deputado Ricardo Gomyde (PSDB) para o Senado. Eles reivindicam a vaga para o vereador curitibano Jorge Bernardi, conforme combinado anteriormente com o PT.

A indicação do médico Haroldo Ferreira para a vice também não é consenso no PDT, pois deputados pedetistas — pró-Beto Richa (PSDB) — fazem guerra de guerrilha no partido pela rejeição ao cargo. Os parlamentares adotaram como “mantra” a tese do Senado, de acordo com a resolução da convenção.

O imbróglio seguirá pela terça-feira (1!º), segundo fontes do PT e do PDT. A partir das 16 horas os partidos voltam a se reunir visando buscar uma solução para o impasse.

A coligação de Gleisi, além de PT, PDT e PCdoB, terá PEN, PTN e PRB. O registro das candidaturas podem ser realizadas no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) até o próximo 5 de julho.

Comentários encerrados.