3 mil famílias sem terra ocupam área “grilada” pela fazenda Araupel no PR

Em entrevista à  rádio de Quedas do Iguaçu, Requião questionou na quarta (16) a titularidade da posse da fazenda Araupel; coincidentemente, ontem (17), trabalhadores do Movimento Sem Terra ocuparam a área de 35 mil hectares alegando "grilagem" de terras pertencentes à  União pela empresa; três mil famílias exigem a expropriação do local para fins de reforma agrária.

Em entrevista à  rádio de Quedas do Iguaçu, Requião questionou na quarta (16) a titularidade da posse da fazenda Araupel; coincidentemente, ontem (17), trabalhadores do Movimento Sem Terra ocuparam a área de 35 mil hectares alegando “grilagem” de terras pertencentes à  União pela empresa; três mil famílias exigem a expropriação do local para fins de reforma agrária.

O Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) ocupou na manhã de ontem (17) uma área de 35 mil hectares entre os municípios de Rio Bonito do Iguaçu e Quedas do Iguaçu, região Sudoeste, cujas terras são “griladas” pela fazenda Araupel.

Cerca de 3 mil famílias do Acampamento Herdeiros da Luta 1!° de Maio reivindicam a área “grilada” que pertenceria à  União para fins de reforma agrária.

Coincidentemente à  ocupação do MST, na quarta-feira (16) o senador Roberto Requião (PMDB) concedeu entrevista à  Rádio Municipal FM 92.5, de Quedas do Iguaçu, na qual questionou a legitimidade da posse da terra pela Araupel.

Essas são uma das melhores terras do Brasil, e a Araupel apenas produz madeira para exportação. Queremos produzir alimentos nessas terras, e por causa das ilegalidades, elas devem sim ser destinadas à  reforma agrária, para que possamos trabalhar e produzir alimento de qualidade ao povo brasileiro!, explica Antônio Miranda, da direção nacional do MST.

No começo do mês, o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) do Paraná formalizou o pedido de nulidade da área na 3!ª Vara Federal de Cascavel, por existirem sérias dúvidas jurídicas sobre a legitimidade do título de propriedade por parte da empresa.

Sobre a disputa pela terra na região

Desde o último dia 1!° de maio, milhares de famílias Sem Terra se organizam no lote de um agricultor do Assentamento Ireno Alves dos Santos, ao lado da área ocupada. A juventude Sem Terra, filhos e filhas de assentados da região, são os maiores protagonistas desse processo.

Desde 2004, tramita na justiça uma ação promovida pelo Incra contra a Araupel.

Desde a abertura do processo, os Sem Terra já conquistaram dois assentamentos sobre as terras em disputa: o Assentamento Celso Furtado, em Quedas do Iguaçu, e 10 de Maio, em Rio Bonito do Iguaçu.

A imissão de posse de ambas as áreas concedida pelo juiz responsável da Comarca de Cascavel foi dada sem que a empresa fosse indenizada, já que se apropriava ilegalmente da área.

O Incra já imitiu posse de parte dessa área, cerca de 23 mil hectares, quando fez o assentamento Celso Furtado. A questão é que o restante dessa área tem a mesma origem no título, que foi outorgada a Companhia de Ferro São Paulo/Rio Grande (em 1926). Então se comprovada área nula, temos aí cerca de 35 mil hectares que podem ser destinados à  reforma agrária!, disse Raul Bergold na época, ouvidor agrário do Incra do Paraná.

Com informações do site Terra de Direitos.

14 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. SAO ENGRAÇADOS ESTES RILHEIROS DISFARÇADOS, ELES NAO FAZEM NADA ,A NAO SER DISTRUIR O QUE ESTA FEITO, MATAR CRIAÇOES, E VENDEREM AS TERRAS DEPOIS DA POSSE. CONHEÇO VARIAS FAMILIAS QUE JA PARTICIPARAM DE VARIAS INVASOES E VENDEM AS TERRAS , O GOVERNO TEM QUE AUTORIZAR A RETIRADA DESSES CARAS NEM QUE FOR A PAULADAS.

  2. Se a terra pertence ao governo q facam reforma agraria com quem n tem, para q possam tira seu sustento.

  3. O Bobão Mamona foi governador duas vezes e não resolveu o “caso Araupel”, não acredito ….

  4. Cara eu acho que o nome correto da fazenda é ARAUPEL e não ARAPUEL……

  5. Esse velho que vive de dinheiro público e mete a CARTA DE PUEBLA no rabo do povo do Paraná tinha mais é que incentivar a invasão de terras de seus afiliados políticos. O que me conforta é que quem vem aqui defender o Requião o faz por que é pago para isso.

    “Um homem de sensibilidade diferente.” Assim o paranaense Marcelo Beltrão Almeida, 47, o candidato mais rico do Brasil, segundo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), se define. Concorrente ao Senado pelo PMDB, na chapa com Roberto Requião, que disputa o governo do Estado, Almeida possui um patrimônio de R$ 740,5 milhões, composto por 16 imóveis, oito veículos, aplicações e ações.

    Avesso ao mundo dos negócios, Marcelo herdou a riqueza do pai, o engenheiro e empresário Cecílio do Rego Almeida, morto em 2008, aos 78 anos. Mais de 90% do patrimônio do candidato ao Senado (R$ 676 milhões) corresponde às cotas da empresa Participare, que pertence ao grupo CR Almeida.

    “Quando fui vereador, com 23 anos, já tinha esse rótulo [de político mais rico do Brasil]. Não tem jeito. Fui diretor do Detran do Paraná, deputado federal. É um rótulo que me persegue. Não fui eu que fiz [o patrimônio]. Não participo das empresas. É uma coisa que herdei. Não tenho vergonha disso, não”, afirmou em entrevista ao UOL.

    O CR Almeida foi fundado por Cecílio em 1952 e se transformou em um dos maiores grupos privados do Brasil em meio à ditadura militar brasileira. Por ter boas relações com os militares, engenheiro conseguiu fazer contratos de grandes obras em todo o país.

    Hoje, o grupo CR Almeida reúne mais 30 empresas e um patrimônio de quase R$ 10 bilhões. Entre as áreas de atuação estão construção pesada, portos, logística, mineração, pedágios e concessão de estradas –como o sistema Anchieta-Imigrantes, em SP.

    Em 2010, quando tentou uma vaga na Câmara dos Deputados, o patrimônio de Marcelo era de R$ 156 milhões. Ou seja, em quatro anos, houve um crescimento de 372%, sem considerar a inflação do período. O aumento é explicado pelas ações herdadas do pai, que dividiu o patrimônio com a mulher e os seis filhos (Marcelo é o caçula).

    Além do CR Almeida, Cecílio ficou conhecido por ter obtido ilegalmente a fazenda Curuá, na região central do Pará, com 4,8 milhões de hectares, área maior do que a Holanda. A fazenda era composta por áreas públicas, como terras indígenas e reservas ambientais. O MPF (Ministério Público Federal) considerou a aquisição da fazenda a “maior grilagem do mundo”, e a Justiça Federal ordenou, em 2011, que a área fosse devolvida à União.

    Amizade com Requião
    No Paraná, Cecílio vivia às turras com Requião, quando este era governador do Estado. O preço dos pedágios era um dos temas que opunham ambos. O empreiteiro também acusava o pemedebista, tradicional aliado do MST, de incentivar invasões dos sem-terra às suas propriedades.

    Já a relação entre Requião e Marcelo sempre foi diferente. “A minha história com o Requião é de pura fidelidade e amizade”, afirma o candidato ao Senado. “Tô com Requião há 22 anos. Ele me fez vereador, me fez diretor do Detran e agora me convidou para concorrer ao Senado.”

    Questionado sobre se não há contradição em uma chapa formada pelo candidato mais rico do Brasil e um político de convicções esquerdistas, próximo dos movimentos sociais, como Requião, Marcelo afirma: “sou mais à esquerda que ele. Fui vereador mais à esquerda que o PT. Tenho voto no PSTU, no PSOL, todas as portas abertas no PT. Não é porque eu tenho um patrimônio grande que seja obrigado a ser de direita.”

    Marcelo estima que sua campanha custará R$ 6 milhões, bancada com recursos próprios. O candidato considera “uma campanha barata” para os moldes brasileiros.

    http://eleicoes.uol.com.br/2014/noticias/2014/07/17/de-esquerda-e-com-r-740-milhoes-conheca-o-candidato-mais-rico-do-brasil.htm

  6. É o estilo BobReq do “me chama q eu vou”.
    Vou fazer baderna….

  7. Terra ! Para quem é produtor de alimentos o MST esta devolvendo ao povo o que é do povo !!! Basta queremos terra para alavanca o Brasil os EUA distribuiu terra para o povo e o pais é prospero o discurso da elite é terra para poucos vamos fazer justiça Requião sempre esteve ao lado dos movimentos sociais .É o GOVERNANTE QUE PODE TIRAR O BRASIL DO ATRASO .

  8. Sandro: Já pensou se a PM resolve de fato descer o pau nos COME e DORME??? Vc é o primeiro a apanhar, comissionadinho!!!!

  9. Mas uma do mamona, desespero? estes caras querem terra pora vender os direitos, até o PT sabe disso;

  10. Conheço bem está fazenda e como foi “adquirida”. É isso aí mesmo tem que ocupar e produzir.

  11. É a turma do PPS por trás disso. Araupel vai se instalar no Centro-Oeste por concessao de benefícios de políticos. Investigar é sempre bom.

  12. Grande Raul Bergold esse sabe o que faz,não se intimide com o poder destes grileiros históricos que se escondem sobre sobrenomes poderosos, que a muitos anos dizimaram indígenas para construir seus latifúndios e dizerem que é propriedade, nos tempos passados .

  13. São os pupilos do Requião em ação….policia neles, se não desocuparem: pau neles…chega de bancar come e dorme do MST….