Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

10 de julho de 2014
por esmael
52 Comentários

Nota fria! pode terminar em prisão de diretores da Copel, diz Requião

O senador Roberto Requião (PMDB), candidato ao governo do Paraná, na noite desta quinta (10), ao Blog do Esmael, adiantou que vai ao Ministério Público pedir a prisão dos diretores da Companhia Paranaense de Energia (Copel). Segundo ele, a nota oficial emitida hoje pela empresa “é fria” e se constitui em “falsidade ideológica” (clique aqui).

“Tenho segurança de que são 17 diretores e não dez como comunicou a Copel”, disse Requião, ao referir-se ao documento divulgado pela energética.

Mais cedo, aqui mesmo no Blog do Esmael, o senador prometeu se eleito revisar acordos com a Tradener e tarifaços praticados por Richa, bem como demitir diretores da empresa com salários que, segundo o parlamentar, passam de R$ 80 mil por mês (clique aqui).

O candidato do PMDB ao Palácio Iguaçu aproveitou a polêmica com o governo Beto Richa (PSDB) para adiantar seu plano de governo visando “viabilizar a Copel”, bem como mostrar um Raio-X da companhia. Leia a íntegra:

PROVIDENCIAS A SEREM TOMADAS PARA RECOMPOR A COPEL

REESTRUTURAà‡àƒO

Quando da mudança do governador, em 2003, foram elaborados estudos para redução de custos e eliminação de subsidiarias desnecessária. O resultado alcançado foi a retomada das Diretorias fins na holding, acumulando, quando fosse o caso, as mesmas diretorias das subsidiarias, que resultou na redução 23 para 7 Diretores sendo as seguintes, Diretorias: Presidente; de Finanças e de Relações com Investidores; de Gestão Corporativa; de Distribuição; de Geração e Transmissão de Energia e de Telecomunicações e Jurídica.

Em 2013, voltaram a criar 5 subsidiarias com justificativas apresentadas pela direção da empresa de redução de custos e, que não é compatível manter os diretores na Holding com funções estranhas, que eles mesmos criaram (Diretoria de Relações Institucionais e da Diretoria de Desenvolvimento de Negócios) e, as novas subsidiarias integrais, com as estruturas das diretorias que estão sendo extinta na Holding, como: Jurídica, de Distribuição, de Engenharia, de Geração e Transmissão de Energia e de Telecomunicações onde, contrariamente do que declararam, houve um crescimento absurdo dos custos.

Pela AGE de 10.10.2013, foram criadas as subsidiarias integrais Copel Participações S/A e Copel Renováveis S/A, portanto, incluindo a Copel Geração e Transmissão S/A, a Copel Distribuição S/A e a Copel Telecomunicação S/A a empresa passa a ter 5 subsidiarias integrais. Com estas subsidiarias e a Holding, a Copel volta a ter 17 diretores.

10 de julho de 2014
por esmael
21 Comentários

“Guerra dos Milionários”: Gleisi atira ao mesmo tempo em Richa e Requião

Senadora Gleisi Hoffmann, candidata do PT ao governo do Paraná, em nota, nesta quinta (10), disse que está sendo vítima de artilharia dos adversários acerca de sua declaração de bens na Justiça Eleitoral; petista acusou o colega de parlamento Requião, também na corrida pelo Palácio Iguaçu, de subestimar os valores de seus bens, e apontou Richa como sendo o mais rico! na disputa eleitoral; ao abrir duas frentes de batalhar, Gleisi pode ter deflagrado hoje a Guerra dos Milionários!.

Senadora Gleisi Hoffmann, candidata do PT ao governo do Paraná, em nota, nesta quinta (10), disse que está sendo vítima de artilharia dos adversários acerca de sua declaração de bens na Justiça Eleitoral; petista acusou o colega de parlamento Requião, também na corrida pelo Palácio Iguaçu, de subestimar os valores de seus bens, e apontou Richa como sendo o mais rico! na disputa eleitoral; ao abrir duas frentes de batalhar, Gleisi pode ter deflagrado hoje a Guerra dos Milionários!.

A senadora Gleisi Hoffmann (PT) pode ter deflagrado nesta quinta (10) uma verdadeira “guerra de milionários” na corrida pelo governo do Paraná. A petista distribuiu uma nota na qual acusa o adversário e colega de parlamento Roberto Requião (PMDB) de maquiar a declaração de bens no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Leia mais

10 de julho de 2014
por esmael
17 Comentários

Em nota da Copel, governo Richa contesta senador Requião

O governo Beto Richa (PSDB) se defende como pode de ataques dos adversários. Nesta quinta (10), através da Copel, o tucano emitiu nota rebatendo as acusações do senador Roberto Requião (PMDB) acerca de contratos, dos supersalários e farra na criação de diretorias na estatal de energia (clique aqui).

O peemedebista prometeu se eleito revisar acordos e tarifaços praticados por Richa, bem como demitir diretores da empresa com salários que, segundo o parlamentar, passam de R$ 80 mil por mês.

“Os salários dos diretores são do mesmo patamar praticado no governo anterior, desconsiderando a correção da inflação, e são muito inferiores a R$ 80 mil”, diz um trecho da nota.

Leia na íntegra a resposta da energética:

Em relação à s informações divulgadas pelo candidato Roberto Requião, a Copel esclarece:

– O número de diretores da empresa atualmente é de 10, dois a mais que os oito diretores do governo anterior, pois foram criadas duas novas subsidiárias: Copel Renováveis e Copel Participações. Os salários dos diretores são do mesmo patamar praticado no governo anterior, desconsiderando a correção da inflação, e são muito inferiores a R$ 80 mil.

– A participação da Copel em empreendimentos fora do Paraná, não apenas em eólicas mas também em hidrelétricas e sistemas de transmissão, ocorre de forma totalmente legal e com viabilidade econômica, fruto de vitórias em leilões do Governo Federal ou aquisições aprovadas pela Aneel. São empreendimentos que visam a aumentar a receita da empresa e fortalecer a Copel, garantindo mais dividendos ao Estado do Paraná, acionista majoritário da Companhia.

– Em seus leilões de energia, feitos por meio de editais públicos, a Copel Geração vende a diversas geradoras e comercializadoras de energia de todo o Brasil. No últim

10 de julho de 2014
por esmael
10 Comentários

PSTU lança seus candidatos no Paraná

O Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) fará o lançamento de seus candidatos no Paraná nesta sexta-feira, dia 11 de julho, na cidade de Sarandi para as eleições estaduais de 2014.

O partido que traz como candidato a governador estadual Rodrigo Tomazini, trabalhador da educação, e à‰rica Andreassy como vice, tem, segundo eles, um programa voltado aos trabalhadores e à  juventude. O PSTU se propõe a debater abertamente suas propostas junto à  comunidade.

Nossa candidatura é feita por trabalhadores e para os trabalhadores. A melhor forma de encontrar melhorias dos setores públicos como Saúde, Educação, Transporte e Moradia é ouvindo quem os utiliza e mais sofre com sua precarização, que são os trabalhadores e a juventude.!, afirma Tomazini.

Os outros candidatos do PSTU são Evandro Castagna para senador, Mariane Siqueira para deputada federal e para deputados estaduais são Alexandre dos Santos, Bianca Zanetti, Ivan Ramos, José Carlos de Assis e Marcela de Souza.

O lançamento estadual será no dia 22 de julho, em Curitiba, com a presença de Zé Maria, candidato a presidente pelo PSTU.

Serviço:
Local: Esquina da Av. Londrina com a Rua Taí, Sobreloja da Top 100, sala 11 – Sarandi-PR
Horário: 19h30
Data: 11 de julho

10 de julho de 2014
por esmael
11 Comentários

Gleisi deverá adotar Apucarana como modelo de gestão e desenvolvimento

A campanha da senadora Gleisi Hoffmann (PT) ao governo do Paraná deve adotar o município de Apucarana, no Vale do Ivaí, Norte do estado, como modelo e vitrine de administração pública.

A cidade governada pelo médico Beto Preto (PT), que tem como vice Sebastião Ferreira Martins Júnior, o Júnior da Femac (PDT), vem surpreendendo nos índices de empreendedorismo, geração de empregos e desenvolvimento humano.

O Ministério do Trabalho e do Emprego divulgou semana passada o panorama da geração de postos de trabalho nos cinco primeiros meses de 2014. O desempenho de Apucarana surpreendeu ao obter o 8!º lugar no estado em números absolutos na geração de empregos formais. Para o prefeito de Apucarana o resultado não ocorre por acaso.

Esse é mais um número que comprova a retomada do crescimento econômico em Apucarana, a partir de importantes ações que estão sendo implementadas, funcionam como indutoras de empreendedorismo, e que encontram respaldo junto aos setores produtivos!, avalia Beto Preto.

De acordo com ele, nesse contexto se incluem a aposta firme na qualificação profissional, por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego, o Pronatec. Em parcerias firmadas ao longo de 2013, Apucarana obteve o melhor resultado per capta no Paraná, formando 700 trabalhadores pelo Pronatec!, lembra o prefeito.

Para o vice-prefeito Junior da Femac, que também é engenheiro civil, outro fator que comprova a boa fase econômica de Apucarana são os investimentos na construção civil. Ele lembra que, em 2012 a Caixa Econômica Federal liberou R$ 52 milhões em crédito para construção civil em Apucarana. Em 2013 esse montante saltou para R$ 125 milhões!, assinala.

Ele acrescenta que o diálogo franco e aberto com todo o setor produtivo, notadamente com interlocutores do polo de vestuário e confecções tem sido constante, sempre buscando apoiar e facilitar os empreendedores com as políticas públicas disponíveis.

Apucarana foi classificada em 3!º lugar no àndice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), conforme

10 de julho de 2014
por esmael
33 Comentários

Requião promete “devassa nos contratos e tarifaços da Copel” se eleito

Senador Roberto Requião, ao Blog do Esmael, nesta quinta (10), afirmou que, se eleito para o quarto mandato em outubro, realizará verdadeira devassa nos contratos revisando-os se considerá-los lesivos interesses do Estado e dos consumidores de energia; peemedebista disse ainda que descobriu os motivos da quebradeira e do tarifaço promovidos pelo governador Beto Richa; leia abaixo.

Senador Roberto Requião, ao Blog do Esmael, nesta quinta (10), afirmou que, se eleito para o quarto mandato em outubro, realizará verdadeira devassa nos contratos revisando-os se considerá-los lesivos interesses do Estado e dos consumidores de energia; peemedebista disse ainda que descobriu os motivos da quebradeira e do tarifaço promovidos pelo governador Beto Richa; leia abaixo.

O senador Roberto Requião (PMDB), candidato ao governo do Paraná, ao Blog do Esmael, nesta quinta-feira (10), se eleito em outubro, adiantou que realizará uma verdadeira devassa na Companhia Paranaense de Energia (Copel). Leia mais

10 de julho de 2014
por esmael
21 Comentários

Gleisi acerta “pelotaço” no deputado tucano Ademar Traiano, que fecha o bico em protesto contra censura

Líder e guru ideológico do governo Beto Richa na Assembleia, deputado Ademar Traiano, desistiu de escrever a coluna semanal no Blog do Esmael depois de levar um "pelotaço" desferido pela senadora Gleisi Hoffmann; petista conseguiu calar o bico do tucano aplicando-lhe uma multa de R$ 5 mil na Justiça; deputado do PSDB se diz vítima de censura e perseguição da ex-ministra e senadora do PT; sem entrar no mérito dos textos do parlamentar colunista, o Blog do Esmael é contra a judicialização da opinião e condena quaisquer ações que visem à  censura.

Líder e guru ideológico do governo Beto Richa na Assembleia, deputado Ademar Traiano, desistiu de escrever a coluna semanal no Blog do Esmael depois de levar um “pelotaço” desferido pela senadora Gleisi Hoffmann; petista conseguiu calar o bico do tucano aplicando-lhe uma multa de R$ 5 mil na Justiça; deputado do PSDB se diz vítima de censura e perseguição da ex-ministra e senadora do PT; sem entrar no mérito dos textos do parlamentar colunista, o Blog do Esmael é contra a judicialização da opinião e condena quaisquer ações que visem à  censura.

O deputado estadual Ademar Traiano (PSDB), líder e guru do Palácio Iguaçu na Assembleia Legislativa do Paraná, sentiu o “pelotaço” desferido ontem pela senadora Gleisi Hoffmann (PT), candidata ao governo do estado. Leia mais

10 de julho de 2014
por esmael
12 Comentários

Governo Richa se explica à  coluna de Enio Verri mais uma vez

Em sua coluna de segunda-feira (8) aqui no Blog do Esmael, o deputado estadual Enio Verri (PT), criticou a nova solicitação de reajuste de energia enviada pela Copel à  Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), solicitando 25% de aumento na tarifa. A Copel enviou uma nota contestando a coluna de Verri.

Fato semelhante já ocorreu quando o governo pleiteou o primeiro reajuste de 35%, mas recuou diante da repercussão negativa. Naquela oportunidade, Verri criticou o governo em sua coluna, e a Copel solicitou direito de resposta que foi atendido. Respeitando o princípio democrático do contraditório, publicamos a seguir a íntegra da nova mensagem enviada pela Copel:

Em relação à  coluna do deputado Enio Verri, esclarecemos:

Não é a Copel nem o Governo do Paraná quem define o reajuste da tarifa da luz.

A definição do reajuste é, sim, feita pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), do Governo Federal, até porque a distribuição da energia é um monopólio, por isso a Copel não tem autonomia para definir sua tarifa.

O reajuste definido pela Aneel de 35,05% não contempla o diferimento do ano passado, como informou erroneamente o deputado, até porque o diferimento é de 4,34%, e não de 3%, como informou erroneamente o deputado.

A pedido do Governo do Estado, a Copel não aplicará o diferimento de 4,34% neste ano. Se tivesse incluído, somados aos 35,05% definidos pela Aneel, o reajuste agora seria de 39,39%.

A diferença de 3% a que o deputado se refere é porque a Aneel tem uma expectativa ainda maior de acionamento de usinas térmicas nos próximos meses, acionamento este feito pelo Governo Federal.

10 de julho de 2014
por esmael
13 Comentários

Mesmo condenado pelo “Mensalão do DEM”, Arruda é candidato no DF. Cadê a Lei da Ficha Limpa?

da Agência BrasilA 2!ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDF) manteve hoje (9) a condenação do ex-governador do Distrito Federal (DF) José Roberto Arruda por improbidade administrativa. O processo é um dos desdobramentos das investigações da Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, que desvendou o esquema de corrupção conhecido como mensalão do DEM, em 2009.

Filiado ao PR, Arruda é candidato ao governo do DF pela coligação União e Força e pode concorrer normalmente à s eleições. A Lei da Ficha Limpa impede candidatura de condenados na segunda instância da Justiça. No entanto, a Lei das Eleições (Lei 9.504/97) diz que as condições de inelegibilidade são aferidas no momento do pedido de registro da candidatura, feito na semana passada, quando o recurso de Arruda ainda não tinha sido julgado. Além disso, a suspensão dos direitos políticos só vale após o trânsito em julgado, o fim do processo.

Em nota, o Ministério Público afirmou que vai analisar o caso. O Ministério Público Eleitoral vai examinar a decisão do TJDFT tão logo tenha conhecimento do inteiro teor dela, e verificar as consequências da condenação no processo eleitoral!, diz a nota.

A assessoria de Arruda afirmou que vai recorrer da decisão e garantiu que ele está elegível para participar das eleições.

Em nota, o diretório do PR no Distrito Federal reafirmou apoio absoluto e inabalável! ao candidato.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, o ex-secretário de Assuntos Institucionais do governo do Distrito Federal Durval Barbosa relatou ter recebido autorização do ex-governador Joaquim Roriz, em 2002, para apoiar financeiramente a campanha de Arruda. Após a autorização, Durval disse que passou a entregar dinheiro arrecadado com propinas para Arruda e para quem ele indicasse. Segundo o ex-secretário, o esquema criminoso! continuou no governo seguinte.

Como provas, Durval entregou vídeos e gravações em que diversos agentes públicos e empresários recebiam dinheiro de origem ilícita. Na mesma ação, foi condenada a ex-deputada distrital Jaqueline Roriz.

Durante o julgamento, a defesa do ex-governador negou as acusações de improbidade e afirmou que o nome de Arruda não foi citado nas gravações entregues por Barbosa.

A descoberta do suposto esquema de desvio de dinheiro público e pagamento de propina entre integrantes d

10 de julho de 2014
por esmael
25 Comentários

Coluna do Requião Filho: sem trocadilhos, façamos como o carvalho

Requião Filho, em sua coluna desta quinta, sem citar nomes, critica os marqueteiros Oliveiros Marques, da petista Gleisi Hoffmann, e Marcelo Cattani, do tucano Beto Richa; segundo o colunista, os profissionais da propaganda iludem os eleitores paranaenses como se fossem mágicos peritos em falsear a realidade; "Tem gente que quer olhar pra frente e apagar o passado" e outro que "procura um Paraná que acredite em Papai Noel, coelhinho da Páscoa, propaganda enganosa e promessas não cumpridas"; especialista em políticas públicas, Requião Filho recomenda estilo de conduta: Sejamos como o carvalho que a cada tempestade finca mais fundo as suas raízes, a cada raio reforça seu caule, a cada ventania dança ao vento, mas mantém-se firme e plantado no chão que o nutre!; leia o texto e compartilhe.

Requião Filho, em sua coluna desta quinta, sem citar nomes, critica os marqueteiros Oliveiros Marques, da petista Gleisi Hoffmann, e Marcelo Cattani, do tucano Beto Richa; segundo o colunista, os profissionais da propaganda iludem os eleitores paranaenses como se fossem mágicos peritos em falsear a realidade; “Tem gente que quer olhar pra frente e apagar o passado” e outro que “procura um Paraná que acredite em Papai Noel, coelhinho da Páscoa, propaganda enganosa e promessas não cumpridas”; especialista em políticas públicas, Requião Filho recomenda estilo de conduta: Sejamos como o carvalho que a cada tempestade finca mais fundo as suas raízes, a cada raio reforça seu caule, a cada ventania dança ao vento, mas mantém-se firme e plantado no chão que o nutre!; leia o texto e compartilhe.

Requião Filho*

A minha história, o meu caráter, o meu rumo são definidos pelo meu passado, pela minha criação. O meu partido tem tradição, e dessa tradição eu tenho orgulho. Represento e sustento os programas do PMDB, que nasceram da indignação e da luta de um povo contra a ditadura. Sei porque sou PMDBista, sei de onde veio o Partido, reconheço os erros que foram cometidos e luto dentro da agremiação para que eles não sejam repetidos. Me sinto à  vontade dentro do PMDB. Leia mais