Sindicato pede liberação de catracas dos ônibus de Ponta Grossa

Com 16 dias de paralisação, a greve dos ônibus de Ponta Grossa é considerada uma das maiores já realizadas no Brasil. Sindicato teria pedido em audiência no TRT que as catracas fossem liberadas, e nesse caso, os trabalhadores colocariam 100% dos ônibus em funcionamento. Viação Campos gerais diz que o pedido não aconteceu e que os sindicalistas só querem tumultuar a situação. Impasse continua e quem paga é a população.

Com 16 dias de paralisação, a greve dos ônibus de Ponta Grossa é considerada uma das maiores já realizadas no Brasil. O Sindicato dos trabalhadores teria pedido em audiência no TRT que as catracas fossem liberadas, e nesse caso, os trabalhadores colocariam 100% dos ônibus em funcionamento. A Viação Campos Gerais diz que o pedido não aconteceu e que os sindicalistas só querem tumultuar a situação. Impasse continua e quem paga é a população.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de passageiros Urbanos Intermunicipais Fretamento e Turismo de Ponta Grossa e Região (Sintropas-PG), Ricardo Peloze, afirma que solicitou durante a última rodada de conciliação, que aconteceu na última sexta-feira, no Tribunal Regional do Trabalho (TRT-PR) – entre a Viação Campos Gerais e representantes da categoria – a liberação das catracas dos ônibus para os 100 mil usuários do transporte coletivo. Caso a empresa acatasse o pedido, 100% da frota voltaria!  operar normalmente.

A greve completa hoje 16 dias e é considerada uma das maiores já realizadas no Brasil. Frota segue operando com 30% em horários normais e 50% nos horários de pico.

“Fizemos o pedido para a desembargadora Ana Carolina Zaina e também encaminhamos o pedido para os representantes da empresa. Alegamos que voltaríamos a operar normalmente caso a liberação fosse realizada e até o resultado do julgamento de dissídio coletivo da Justiça. Porém, a empresa e nem o prefeito Marcelo Rangel se pronunciaram sobre este assunto”, diz Peloze.

Por outro lado, a assessoria da Viação Campos Gerais (VCG) desmentiu o presidente do Sintropas sobre a suposta proposta de “catraca livre”. Em nota, a empresa informou que o assunto sequer foi registrado em ata e que é uma tentativa de tumultuar ainda mais! a crise no transporte coletivo.

Com informações do Diário dos Campos e do Jornal da Manhã.

Comentários encerrados.