Por Esmael Morais

Requião chama de “cachorro” presidente da Câmara de Paranaguá; assista ao vídeo

O presidente da Câmara de

Publicado em 14/06/2014

O presidente da Câmara de Paranaguá, Marquinhos Roque, ao defender-se da acusação de venda de voto na convenção do PMDB, em troca de cargo no Porto, disse que votaria num cachorro mas não votaria no senador Roberto Requião. O parlamentar e pré-candidato ao Palácio Iguaçu não deixou barato: “cachorro vota em cachorro, ele tinha que votar em alguém igual a ele, eu não sou”.

A pacandaria começou com a nomeação pelo Porto de Paranaguá – e posterior recuo – de convencionais ou de delegados à  convenção do PMDB com polpudos cargos comissionados. Entre os beneficiários estavam Camila Roque, filha do presidente da Câmara, que é delegado à  convenção estadual do PMDB, e sobrinha de outro convencional, Mário Cezar Elias Roque, conhecido como Maruca.

Já o delegado partidário Ivori José Dias, do município de Guaraqueçaba, também no Litoral, procurou a Polícia Federal (PF), ontem (13), para formalizar denúncia de compra de votos contra a candidatura própria de Requião. Ele foi nomeado no dia 9 de junho e, menos de 24 horas, fora demitido, no dia 10 (clique aqui).

O deputado federal João Arruda, autor das denúncias, acusou o governo Beto Richa (PSDB) de promover as nomeações com o intuito de derrotar o senador Roberto Requião na convenção estadual do PMDB no próximo dia 20 de junho.

Sobre o quiproquó no Porto, além de carimbar o vereador parnanguara de “cachorro”, durante entrevista ao repórter Tony Lagos, da TVCI, Requião cobrou medida enérgica do governador tucano em relação ao episódio. “O pau que bateu no Maron também bate no Dividino?”, questionou pelo Twitter.

Em março de 2012, o governador Beto Richa demitiu o então superintendente dos Portos de Paranaguá e Antonina (APPA), Airton Maron, que era alvo de investigação do Ministério Público e da Polícia Federal por suposta cobrança de pedágio partidário! utilizando cargos comissionados para essa finalidade (clique aqui). Há pouco mais de dois anos o Porto é dirigido por Luiz Dividino.