Por Esmael Morais

Quiproquó no PMDB: Beto Richa não comprou delegado à  convenção!, jura Doático Santos

Publicado em 04/06/2014

à‰ alta a temperatura na disputa pela alma dos convencionais do PMDB; nesta quarta, o arqueiro Doático Santos entrou em contato com o Blog do Esmael para, em nome do governador, negar que houve tentativa de compra de votos à  convenção do partido; Richa não comprou delegado à  convenção do PMDB!, jura Doático Santos, referindo-se à  denúncia da vereadora Neide Sena, de Goioerê; deputado João Arruda, coordenador da campanha pela candidatura própria de Requião, afirma que "Neide é dirigente do PMDB e tem o dever moral de denunciar atos de corrupção em quaisquer circunstâncias".

à‰ alta a temperatura na disputa pela alma dos convencionais do PMDB; nesta quarta, o arqueiro Doático Santos entrou em contato com o Blog do Esmael para, em nome do governador, negar que houve tentativa de compra de votos à  convenção do partido; Richa não comprou delegado à  convenção do PMDB!, jura Doático Santos, referindo-se à  denúncia da vereadora Neide Sena, de Goioerê; deputado João Arruda, coordenador da campanha pela candidatura própria de Requião, afirma que “Neide é dirigente do PMDB e tem o dever moral de denunciar atos de corrupção em quaisquer circunstâncias”.

O governador Beto Richa (PSDB), por meio do arqueiro Doático Santos, secretário-geral do PMDB de Curitiba, jura que não comprou nenhum delegado à  convenção estadual peemedebista prevista para o dia 20 de junho.

Segundo Doático, a vereadora Neide Sena, que denunciou suposta compra de voto pelo governador, nem delegada é à  convenção (clique aqui). “O único delegado peemedebista no município de Goioerê, no Noroeste do estado, é o senhor Antônio Bernardino Senna Neto”, esclarece o futuro secretário de Estado da Habitação, caso Richa seja reeleito.

Senna Neto é sogro da vereadora que fez ontem o escarcéu denunciando o governador Beto Richa. De acordo com Maurício Requião Filho, “Neide é dirigente do PMDB e tem o dever moral de denunciar atos de corrupção em quaisquer circunstâncias”.

A vereadora goioerense avisou que já denunciou a tentativa de compra de voto na tribuna da Câmara Municipal e que agora vai procurar a Justiça.