PT tem que “ajoelhar no milho” antes de fechar coligação com o PDT no Paraná!, exige Jorge Bernardi

Cotado para a vice de Requião, caso haja coligação do PDT com o PMDB, vereador curitibano Jorge Bernardi afirma que PT precisará 'ajoelhar no milho' se pretende casar-se! com os pedetistas no Paraná; líder do partido na Câmara de Curitiba condiciona apoio à  senadora Gleisi Hoffmann à  retirada de ações onde for possível e declaração pública de desinteresse onde não for possível a retirada da demanda judicial, como é o caso em Cascavel.

Cotado para a vice de Requião, caso haja coligação do PDT com o PMDB, vereador curitibano Jorge Bernardi afirma que PT precisará ‘ajoelhar no milho’ se pretende casar-se! com os pedetistas no Paraná; líder do partido na Câmara de Curitiba condiciona apoio à  senadora Gleisi Hoffmann à  retirada de ações onde for possível e declaração pública de desinteresse onde não for possível a retirada da demanda judicial, como é o caso em Cascavel.

O Partido dos Trabalhadores (PT) precisará ‘ajoelhar no milho’, antes, no Paraná, se quiser fechar coligação com os brizolistas do PDT. A informação é do vereador e pré-candidato ao Senado Jorge Bernardi, líder do partido na Câmara Municipal de Curitiba, ao Blog do Esmael.

Bernardi disse que os prefeitos de cidades importantes no estado, tais como Cascavel, Umuarama e Pato Branco, sofrem ações judiciais de petistas. “O PT precisa retirar ações onde é possível e declarar publicamente desinteresse onde não for possível retirar, como é o caso cascavelense”, condiciona o pedetista, ao se referir à s ações movidas pelo deputado Professor Lemos (PT) contra o prefeito Edgar Bueno (PDT) fruto da disputa em 2012.

Nesta quarta-feira (25), o Blog do Esmael apurou que Bernardi foi lembrado para a vice pelo senador Roberto Requião, caso evolua a coligação com o PMDB. Entretanto, o próprio vereador aponta tendência de os pedetistas marcharem com a senadora Gleisi Hoffmann (PT).

Comentários encerrados.