PT tem que “ajoelhar no milho” antes de fechar coligação com o PDT no Paraná!, exige Jorge Bernardi

Cotado para a vice de Requião, caso haja coligação do PDT com o PMDB, vereador curitibano Jorge Bernardi afirma que PT precisará 'ajoelhar no milho' se pretende casar-se! com os pedetistas no Paraná; líder do partido na Câmara de Curitiba condiciona apoio à  senadora Gleisi Hoffmann à  retirada de ações onde for possível e declaração pública de desinteresse onde não for possível a retirada da demanda judicial, como é o caso em Cascavel.

Cotado para a vice de Requião, caso haja coligação do PDT com o PMDB, vereador curitibano Jorge Bernardi afirma que PT precisará ‘ajoelhar no milho’ se pretende casar-se! com os pedetistas no Paraná; líder do partido na Câmara de Curitiba condiciona apoio à  senadora Gleisi Hoffmann à  retirada de ações onde for possível e declaração pública de desinteresse onde não for possível a retirada da demanda judicial, como é o caso em Cascavel.

O Partido dos Trabalhadores (PT) precisará ‘ajoelhar no milho’, antes, no Paraná, se quiser fechar coligação com os brizolistas do PDT. A informação é do vereador e pré-candidato ao Senado Jorge Bernardi, líder do partido na Câmara Municipal de Curitiba, ao Blog do Esmael.

Bernardi disse que os prefeitos de cidades importantes no estado, tais como Cascavel, Umuarama e Pato Branco, sofrem ações judiciais de petistas. “O PT precisa retirar ações onde é possível e declarar publicamente desinteresse onde não for possível retirar, como é o caso cascavelense”, condiciona o pedetista, ao se referir à s ações movidas pelo deputado Professor Lemos (PT) contra o prefeito Edgar Bueno (PDT) fruto da disputa em 2012.

Nesta quarta-feira (25), o Blog do Esmael apurou que Bernardi foi lembrado para a vice pelo senador Roberto Requião, caso evolua a coligação com o PMDB. Entretanto, o próprio vereador aponta tendência de os pedetistas marcharem com a senadora Gleisi Hoffmann (PT).

10 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Ainda continuo dizendo que o Lemos continua sendo motivo de chacota em Cascavel, tem que saber perder com dignidade, vamos partir para a próxima fazer propostas sérias,não ficar prometendo teleférico e outras babaquices para Cascavel (Quase não temos favelas e não há morros na cidade), se trabalhar direitinho vai ganhar a próxima.

  2. O que o catarinense Bernardi como vice acrescentaria de votos à candidatura do Requião?
    Vereador em Curitiba há 32 anos, ele é 1 simples
    desconhecido para os paranaenses das demais
    cidades.
    Notícia estranha Esmael!

  3. Esmael, meu irmão, eu jamais disse que o PT tinha que se “ajoelhar no milho” para haver a coligação com o PDT. O que eu disse era que a coligação preferencial nossa é com o PT, mas seria uma boa política do PT, o professor Lemos tirar a ação contra o prefeito Edgar Bueno, de Cascavel.
    Este assunto já foi tratado em reunião da Executiva do partido.
    Favor fazer esta correção, jamais falei em se ajoelhar no milho ou qualquer outra posição do PT para que haja a coligação. Afirmei também que a retirada da ação não é condição para que possamos fazer a coligação com o PT, mas apararia as arestas.

  4. O PT JA AJUDOU A ELEGER ESSE TUCANINHO, DISFARÇADO DE TRABALHISTA… CHEGA DESSES ROLA BOSTA..ENCHENDO O SACO.. O BERNARDE CARA DEVERIA É FICAR BEM QUETINHO.

  5. …,ESSE TAL DE JORGE BERNARDI NÃO PASSA DE MAIS UM SOFISMA DA POLÍTICA DESTE ESTADO,NA VERDADE,ESSE ÍNDIVIDUO, É UM TUCANO DE CARTEIRINHA DISFARÇADO DE BRIZOLISTA…,E O POVO CONTINUA ELEGENDO ESSA MENTIRA,ASSIM É FODA…

  6. JORGE BERNARDI! EXCELENTE VICE D0 SEN REQUIÃO!
    TÁ FECHADO!

  7. Se a Cupula do PDT tiver o mínimo de inteligência, ficará bem longe desta Organização Criminosa que chama-se PT e mais longe ainda da Patroa do Assessor Pedófilo, casada com um MInistro que afirmou que a TV Analogica continuará até 2017, ou seja, Esse Trolha vai manter a merda funcionando se a PresidANTA for Reeleita. Acorda Brasil,