No último dia da Copa em Curitiba, ônibus podem parar novamente

via Paraná Online

Os motorista e cobradores dos ônibus coletivos de Curitiba podem iniciar nova greve à  zero hora desta quinta-feira, dia do último jogo da Copa do Mundo de futebol na Capital paranaense. Uma audiência foi realizada nesta tarde, e os representantes do Sindimoc levaram as propostas acertadas para uma reunião com os delegados sindicais que será realizada ainda hoje.

Os motorista e cobradores dos ônibus coletivos de Curitiba podem iniciar nova greve à  zero hora desta quinta-feira, dia do último jogo da Copa do Mundo de futebol na Capital paranaense. Uma audiência foi realizada nesta tarde, e os representantes do Sindimoc levarão as propostas acertadas para uma reunião com os delegados sindicais que será realizada ainda hoje.

Após uma audiência no Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR), que durou mais de quatro horas, não houve acordo entre trabalhadores e donos das empresas de ônibus do transporte coletivo de Curitiba e região. Com isso, ainda não há definição se motoristas e cobradores vão entrar em greve nesta quinta-feira (26). A decisão deve sair nas próximas horas.

A Urbs deverá apresentar melhorias de condições de trabalho para as estações-tubo já existentes. Em relação à  dupla função – de motorista e cobrador – nos micro-ônibus, o sindicato dos trabalhadores, junto com os patrões, deve redigir uma cláusula de convenção coletiva sobre o assunto.

O presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de à”nibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc), Anderson Teixeira, visitará todas as garagens de ônibus do transporte coletivo ainda na noite desta quarta-feira (25) para perguntar aos representantes dos trabalhadores se eles optam por manter a paralisação.

O vice-presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano e Metropolitano de Passageiros de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp), Maurício Gulin, afirmou que se a categoria decidir fazer somente a greve de cobradores, nenhum ônibus será liberado das garagens.

2 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Eu entendo que tem que haver melhoras para os profissionais mais eles tem que ver que não esta prejudicando a empresa e sim a população de curitiba e regiao metropolitana que depende dos onibus para tudo , quer entrar de greve entra mais nao precisa entra 100% acho que deveria ta circulando pelo menos 20% dos onibus para nao nos preojudicar.

  2. amanhã a coisa vai ficar russa em curitiba dentro e fora do estádio