Mau humor com Copa no Brasil era coisa de estrangeiros, agora diz Globo

do Brasil 247

Editor-chefe e âncora do principal jornal da TV Globo, William Bonner, atribui à  imprensa internacional a publicação de "críticas ácidas" sobre a Copa do Mundo no Brasil; e agora, como "muitos problemas previstos não se confirmaram", com diz a correspondente em Nova York Elaine Bast, aos poucos, os jornais e revistas de outros países noticiam o "clima festivo" do Mundial; o que não fica claro na reportagem do Jornal Nacional, porém, é que o clima negativo também teve como referência a imprensa brasileira, que mostrou forte mau humor ao divulgar o assunto; vemos que "não era para tanto", como diz o jornal espanhol El País.

Editor-chefe e âncora do principal jornal da TV Globo, William Bonner, atribui à  imprensa internacional a publicação de “críticas ácidas” sobre a Copa do Mundo no Brasil; e agora, como “muitos problemas previstos não se confirmaram”, com diz a correspondente em Nova York Elaine Bast, aos poucos, os jornais e revistas de outros países noticiam o “clima festivo” do Mundial; o que não fica claro na reportagem do Jornal Nacional, porém, é que o clima negativo também teve como referência a imprensa brasileira, que mostrou forte mau humor ao divulgar o assunto; vemos que “não era para tanto”, como diz o jornal espanhol El País.

Reportagem exibida na noite desta quinta-feira 26 pelo Jornal Nacional (assista aqui) sobre a mudança de humor da imprensa internacional ao noticiar a Copa do Mundo no Brasil pode ser vista como a maneira da Globo de pedir desculpas. Da bancada, o editor-chefe e âncora do principal noticiário da emissora atribui “especialmente” aos jornais e revistas estrangeiros a publicação de “críticas ácidas” sobre o evento.

“Durante meses, os atrasos e os problemas de organização da Copa do Mundo foram assuntos de muitas reportagens no Brasil e no exterior. Existia no ar uma consequência generalizada quanto à  consequência dos atrasos, das obras não concluídas e os jornais estrangeiros eram especialmente ácidos nas críticas. Mas o fato é que, aos poucos, desde o início desse Mundial, isso tem mudado”, diz Bonner.

O que não fica claro, no entanto, é que boa parte do mau humor veio da imprensa brasileira, que estampava em suas manchetes manifestações contra o Mundial que reuniam dezenas de pessoas e ressaltava principalmente os atrasos e os “tapumes” nas obras de infraestrutura, diminuindo !“ se não ignorando !“ os números positivos que o evento trouxe para o País.

Com o início da Copa, as coisas mudaram. Viu-se que as manifestações previstas ocorreram em número bem menor que o esperado, não atrapalhando a organização do evento, e que o clima é, principalmente, de hospitalidade e festa. Alguns jornais da mídia familiar brasileira já desembarcaram até mesmo da teoria do caos da Copa, que eles próprios criaram (leia mais aqui).

“Muitos problemas que antes eram previstos para a Copa do Mundo no Brasil não se confirmaram. Aos poucos, o tom crítico da imprensa internacional foi mudando com reportagens que retratam tão bem o clima festivo desse Mundial”, disse ontem a correspondente da Globo em Nova York Elaine Bast. Ela mostra a cobertura primeiro negativa de algumas publicações internacionais, e depois positivas, após o início da Copa.

A conclusão pode sair do título de uma dessas reportagens. “Não era para tanto”, escreveu o jornal espanhol El País.

9 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. …,BONNER UM VIRA-LATAS DAS ELITES,SÓ ENGANA COXINHAS BABÁCAS,MAIS UM TIRO NO PÉ…,ESPALHARAM UM MONTE DE MERDA,SÓ ESQUECERAM DE COMBINAR COM O POVO…,QUEM TEM JUIZO SABE,QUEM NÃO TEM VOTO,DÁ GOLPE…,QUÁ,QUÁ,QUÁ,ACORDA PARANÁ,ACORDA BRASIL!!!

  2. Bons jogos e as torcidas animadas? Isso é obra do governo ou do país? Os aeroportos continuam um horror, os transportes públicos continuam só prestando para transportar gado, os rios continuam poluídos, as cidades favelizadas, os preços disparando, as contas públicas estourando, a segurança é uma piada, a saúde pública um lixo, a educação inexistente, a corrupção campeia, os ingressos caríssimos não estavam acessíveis nem para quem se dispunha a pagar e, cereja no bolo, a partir dessa semana me diga sucintamente para QUÊ vão prestar as arenas da Amazônia e Pantanal?
    Quermesse? Festa de final de ano de empresa? Jogo de casados x solteiros? Shows de música sertaneja e do boi de Parintins? Vão virar cadeiões, plantações de soja com público ou pasto de cabrito?
    O sucesso da copa, inegável, está em áreas onde o governo não conseguiria atrapalhar nem se quisesse, porque o futebol do Messi ou do Neymar ou do Klose não dependem de PAC, Minha Casa Minha Vida e nem de nenhum dos quase QUARENTA ministérios que existem no Brasil.
    Nossa sorte é que o talento e a alegria ainda não foram estatizados. E só.
    TEXTO DE Marcus Vinicius Motta

  3. Os protestos vão ser nas urnas. Roupa suja se lava em casa e não na frente das visitas.

  4. Rede globo quebrou a cara!!!!!

  5. Brasileiro é perdedor, pessimista sempre os outros são melhores, precisa os de fora ver que não era nada daquele pessimismo todo. Quem iria ver goteira em aeroporto, estádio inacabado, quem veio só queria festa e bebida, quem levou o pior nessa Copa foram os que aumentaram os preços, queriam aproveitar. Tomaram, só veio torcedor aventureiro com a roupa do corpo e os ingressos

  6. Santa Cara de Pau, a quem querem enganar? E a cara de tacho do Willian Boner? É divulgando uma mentira para cobrir outra mentira. Todos que propagaram o caos quebraram a cara.