Governo Federal tenta liberar FGTS para atingidos pelas chuvas

via O Paraná

O Governo Federal e a Caixa Econômica Federal estão negociando uma permissão especial de saque do FGTS para as vítimas das chuvas no Paraná. Para isso, seria necessário o cadastro dos atingidos. O dinheiro seria usado para a reconstrução das casas, compra de móveis e do que for necessário para que as famílias atingidas possam se recuperar.

O Governo Federal e a Caixa Econômica Federal estão negociando uma permissão especial de saque do FGTS para as vítimas das chuvas no Paraná. Para isso, seria necessário o cadastro dos atingidos. O dinheiro seria usado para a reconstrução das casas, compra de móveis e do que for necessário para que as famílias atingidas possam se recuperar.

A União e a direção da Caixa Econômica Federal negociam o saque do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) à s famílias vítimas das chuvas no Paraná, após as prefeituras que decretaram situação de emergência realizar um levantamento de quem realmente necessita do benefício. A liberação alivia a situação crítica de várias famílias. A Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, do Ministério da Integração Nacional, reconheceu situação de emergência em 130 municípios do Paraná.

De acordo com o capitão Eduardo Pinheiro, que é coordenador estadual de Proteção e Defesa Civil, ainda não há como quantificar o número de pessoas que estarão autorizadas a sacar o FGTS. Só será possível após o cadastro de pessoas afetadas, feito pelas prefeituras em parceria com a Defesa Civil de cada município!, relata Pinheiro.

O número de residências atingidas no Paraná foi de 9.787, de acordo com o último boletim divulgado ontem pela Defesa Civil. Se, por exemplo, as mais de oito mil famílias estivessem autorizadas a receber o FGTS, seriam liberados R$ 60.875.140 milhões somente entre os 131 municípios que decretaram situação de emergência. Esse valor ainda não foi divulgado oficialmente.

O FGTS seria usado para a reconstrução das casas atingidas, compra de móveis que foram danificados durante a enxurrada e de qualquer material necessário para que as famílias atingidas possam se recuperar. O uso do fundo já tem o aval da presidência da República e está aguardando apenas o trâmite burocrático na Caixa Econômica Federal.

Comentários encerrados.