camila_porto_arruda.jpg

| Comente agora

Deputado federal João Arruda denunciou, nesta terça (10), que o governo Beto Richa trocou um cargo de R$ 7 mil ao mês, no Porto de Paranaguá, por dois votos na convenção estadual do PMDB; segundo o parlamentar, que é sobrinho do senador Roberto Requião, pré-candidato do partido ao Palácio Iguaçu, o escambo seria para aprovar coligação com o PSDB; em março de 2012, o então superintendente dos Portos de Paranaguá e Antonina (APPA), Airton Maron, foi demitido porque era alvo de investigação do Ministério Público e da Polícia Federal por suposta cobrança de “pedágio partidário” utilizando cargos comissionados para essa finalidade; deputado informa que vai pedir na Justiça a suspeição dos dois convencionais parnanguaras, ou seja, para que tenham seus votos invalidados na convenção do partido.

Deixe uma resposta

Preenchimento obrigatório *.